R.B. 17/JUN/16 "A ninharia de R$ 6bi"



"A ninharia de R$ 6bi"

São Paulo, 17 de junho de 2016 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, com “boas chances” de fechar o dia retomando o patamar dos 50.000pts, externamente beneficiada pela redução das “apostas” de saída do Reino Unido da União Europeia e internamente impulsionada pelo aumento das “postas” de que a economia tupiniquim começou a sair do fundo do poço e (2) o DÓLAR pode cair, acompanhando a melhora do “humor” na bolsa brasileira, ainda seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelas expectativas de aumento do fluxo positivo de recursos externos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,0%, revertendo as perdas da abertura, quando na mínima recuou -1,7%, para fechar na máxima do dia (aos 49.412pts), acompanhando a melhora do “humor” nas bolsas de NY e com destaques de alta para as ações das empresas dos setores de siderurgia, financeiro e papel e celulose e (2) o DÓLAR caiu -0,2% à R$ 3,46, devolvendo a alta da abertura, para fechar em território negativo pelo terceiro pregão consecutivo, mais uma vez seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante do aumento das perspectivas de que o FED (“BC” dos EUA) poderá demorar para elevar os juros.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -3,1% e China -0,5%, frustradas com a decisão do BC japonês de não mexer em sua política monetária e nem anunciar medidas de estímulos adicionais, (2) da EUROPA, em queda pelo sexto pregão seguido, Inglaterra -0,3%, França -0,4% e Alemanha -0,6%, com os investidores temendo cada dia mais a saída do Reino Unido da União Europeia, que será decidida no plebiscito do dia 23/JUN/16 e (3) dos EUA, revertendo uma abertura negativa, para quebrar uma sequência de 5 pregões seguidos de baixa, S&P 0,3%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,2%, em um movimento de recuperação capitaneado por ações de empresas dos setores de telecomunicações e de serviços básicos.

Reverberando um sentimento global, Roberto Azevêdo, diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, afirmou ontem que ainda não é possível dimensionar os impactos na economia global de uma eventual saída do Reino Unido da União Europeia, pois esta é uma situação sem precedentes, e ressaltou que se isto ocorrer o governo britânico terá que renegociar todos os seus acordos comerciais.

Revelando de que lado estão os radicais e podendo causar uma reviravolta no plebiscito marcado para o dia 23/JUN/16, a deputada trabalhista Jo Cox, que era defensora da permanência do Reino Unido na União Europeia, foi assassinada na tarde de ontem por um simpatizante da ultradireita britânica.

Tentando ser liberal em um país com mentalidade protecionista, Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, afirmou ontem, durante uma reunião com os principais empresários e executivos de SP, que o Brasil precisa "caminhar no rumo da terceirização", o que obviamente gerou uma salva de aplausos, ressaltando que este tema é fundamental para fomentar a produtividade tupiniquim e será discutido na reforma trabalhista.

Com o objetivo de resgatar a economia brasileira do atoleiro em que ela se encontra, Moreira Franco, secretário-geral do Programa Prioritário de Investimentos, anunciou ontem que 15 em dias vai um grupo de 13 projetos de infraestrutura para análise do Conselho do Programa, o que poderia resultar no início dos leilões de concessão de rodovias, ferrovias, terminais portuários e aeroportos.

Indicando que provavelmente o pior já passou, após 15 meses consecutivos de retração, em ABR/16 a economia brasileira registrou, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do BC, um crescimento de 0,03% na comparação com MAR/16, sustentada principalmente pela produção industrial, que apresentou avanço de 0,1% na mesma base de comparação.

Mostrando otimismo com o futuro, o BC brasileiro, agora comandado pelo prestigiado economista Ilan Goldfajn, reduziu suas projeções de inflação para 2017 e agora estima que o IPCA chegará ao centro da meta de 4,5% no fim do próximo ano, na hipótese de manutenção da taxa de câmbio em R$ 3,60 e da taxa básica de juros em 14,25% ao ano.

Apesar do otimismo gerado com o afastamento de Dilma ainda não se refletir com clareza nos principais indicadores econômicos, é nítida a crescente disposição do empresariado em transitar do cenário de desalento para um quadro menos negativo, e isto pode ser referendado pelo índice da CNI que mede a confiança da indústria, que atingiu 45,7pts em JUN/16, distanciando-se de seu nível mais baixo em anos recentes, que foi os 35pts registrados em NOV/16.

-    A JBS caiu -2,7%, já que a empresa, “queridinha do PT”, foi citada na delação de Sérgio Machado e estaria relacionada a uma propina de R$ 40mi que teria sido paga a senadores.

Política:

Atendendo a um pedido feito pelo presidente Temer, o presidente do Senado, Renan Calheiros, decidiu retomar os trabalhos da comissão no Senado que avalia a chamada Agenda Brasil, que é um conjunto de propostas apresentadas pelo PMDB em AGO/15 para a recuperação da economia.

Perdendo uma ótima oportunidade para ficar calado, Luiz Alberto Figueiredo, embaixador brasileiro em Washington, rebateu as críticas do jornal norte-americano "The New York Times" que em um editorial do jornal intitulado "A medalha de ouro em corrupção do Brasil" afirmou, com toda a razão, que o foro privilegiado concedido a parlamentares e ministros permitiu uma cultura de corrupção e impunidade institucionalizadas.

Confirmando, pela enésima vez, que no Brasil o crime sempre compensa, a força-tarefa de procuradores federais em Curitiba, que coordena os acordos com as empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras, vai pedir “a ninharia de R$ 6bi” de indenização para o grupo Odebrecht, que apenas no ano passado faturou R$ 132bi, assinar um acordo de leniência e assim ficar liberada para manter e fazer novos contratos com o setor público.

Provando, também pela enésima vez, que a corrupção está em todos os partidos, segundo uma auditoria Controladoria-Geral do Estado de MG os contratos firmados entre duas estatais mineiras e parentes e um funcionário do senador Zezé Perrella, do PTB de MG, causaram prejuízos de R$ 18,9mi aos cofres públicos entre 2007 e 2011, nos governos dos tucanos Aécio Neves e Antônio Anastasia.

Sergio Machado, o ex-presidente da Transpetro que fez uma delação premiada bombástica, envolvendo o presidente Temer e mais 20 caciques de quase todos os partidos políticos, vai devolver R$ 75mi que roubou e cumprir sua pena de 3 anos em uma mansão com piscina e quadra poliesportiva no Ceará.

Acabando com a mortadela grátis de jornalistas com “caneta de aluguel” como Sidney Rezende, Paulo Moreira Leite e Luís Nassif, ontem Temer decidiu fechar a TV Brasil, que com quase zero de audiência consumia, principalmente com salários astronômicos, mais de R$ 535mi por ano em verbas publicas.

Crítica:

Confirmando a ineficácia da mentalidade protecionista tupiniquim, após o Tribunal de Justiça decidir que é proibido os cinemas proíbem os clientes de entrarem nas salas de exibição com comida de fora, Caio Silva, diretor-executivo da Associação Brasileira das Empresas Exibidoras Cinematográficas Operadoras de Multiplex, avisou que o preço do ingresso vai subir em todo o país.

Indicando que são os ricos os maiores caloteiros do país, as 135 pessoas físicas e empresas que mais devem impostos federais no Brasil acumulam, juntas, uma dívida escorchante de R$ 272,1bi, o que cobriria, com folga de R$ 100bi, o déficit fiscal previsto pelo governo Temer para este ano.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário