R.B. 21/JUN/16 "O agigantamento constante do Estado"



"O agigantamento constante do Estado"

São Paulo, 21 de junho de 2016 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, em um movimento de realização de lucros e de cautela após 4 pregões seguidos de alta, influenciado pelo recuo das commodities e pelas incertezas da economia brasileira e (2) o DÓLAR pode subir, também em um “ajuste técnico” após 5 pregões seguindo de queda, nos quais recuou -2,4%, acompanhando a esperada piora do “humor” na bolsa brasileira.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,6%, para fechar em território positivo pelo quarto pregão consecutivo e assim retomar o patamar dos 50.000pts, terminando o dia aos 50.329pts, acompanhando a forte melhora do “animo” nas principais bolsas mundiais, diante do aumento das “apostas” de que o Reino Unido permanecerá na União Europeia, e também beneficiada pela valorização das commodities e (2) o DÓLAR caiu -0,6% à R$ 3,39, influenciado pelos mesmos motivos que animaram a bolsa brasileira e também seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante da perspectiva de adiamento da alta de juros nos EUA para o fim deste ano ou início de 2017.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 2,3% e China 0,1%, divididas entre um movimento de recuperação de perdas recentes e a decisão de reguladores em Pequim de dificultar a listagem de companhias envolvidas em grandes reestruturações, (2) da EUROPA, registrando as maiores valorizações diárias dos últimos 10 meses, Inglaterra 3,0%, França 3,5% e Alemanha 3,4%, impulsionadas pelo aumento das “apostas” de que os eleitores do Reino Unido decidirão permanecer na União Europeia no plebiscito desta quinta-feira e com destaques de alta para as ações dos bancos, como Lloyds (7,6%), Deutsche (5,9%) e BNP (4,9%) e (3) dos EUA, impulsionadas pelo mesmo motivo que animou as bolsas europeias, S&P 0,6%, DJ 0,7% e NASDAQ 0,8%, impulsionadas principalmente pelas ações dos bancos e das empresas do setor de tecnologia.

Mostrando que aos poucos o pessimismo vai diminuindo, o “mercado” reduziu, de -3,60% para -3,44%, suas projeções para o desempenho do PIB brasileiro em 2016, porem a estimativa para o IPCA para este ano foi elevada, desta vez de 7,19% para 7,25%, patamar ainda muito distante do centro da meta (4,5%).

Indicando mais uma vez que o grande problema do Brasil é "o agigantamento constante do Estado", o RJ, que decretou calamidade pública no final da semana passada devido à crise em suas finanças, foi o Estado que mais elevou as despesas com pessoal a partir de 2009, já que segundo um relatório do Tesouro Nacional os seus gastos com a folha de pagamentos cresceu 70% acima da inflação no referido período.

Descartando, ao menos por hora, a criação de novos impostos, o governo Temer avalia que o aumento real da arrecadação e os recursos que vão entrar nos cofres públicos com as novas concessões vão garantir que o resultado das contas públicas em 2017 seja melhor que o de 2016 (R$ -170,5bi).

Ontem, após uma nova rodada de negociações, Estados e União selaram o acordo para a renegociação da dívida, no qual a maioria dos Estados só voltarão a pagar suas contas com a União dívidas a partir de 2017, porem os maiores devedores, que são SP, MG e RJ, ainda terão novas rodadas de negociações para definir suas situações.

Tirando o foco das “empresas queridinhas” e voltando a atenção para quem realmente precisa e gera emprego e renda, a nova diretoria do BNDES criou uma força-tarefa para avaliar pedidos de empréstimos que estão pendentes no banco desde o governo passado, que são de interesse do país e que serão analisados com base em parâmetros técnicos.

Critico, como toda pessoa com mais de 1 neurônio, aos acordos ideológicos e protecionistas firmados pelo Mercosul, Serra, novo ministro das Relações Exteriores, “avisou” que o Brasil deve flexibilizar a tarifa externa comum do referido bloco econômico, ressaltando que a atual cláusula da união alfandegária atrapalha nosso país nas demais negociações bilaterais.

-    A Oi caiu -10,0% e, após o fechamento do pregão a empresa, mostrando toda sua incompetência de ser incapaz de sobreviver em um mercado que no Brasil é praticamente um monopólio, anunciou que entrou com pedido de recuperação judicial de sua dívida de R$ 65,4bi.

Política:

Complicando bastante a vida de Dilma, segundo “rumores” Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht, vai assumir no acordo de delação que negocia com procuradores da Lava Jato que ele e a referida ex-presidenta controlavam pessoalmente os recursos legais e ilegais que irrigaram as campanhas presidenciais petistas de 2010 e 2014.

Considerada experiente, conciliadora e com o apoio de ampla maioria, a senadora peemedebista Rose de Freitas aceitou ontem a liderança do governo no Congresso, se tornando agora responsável, principalmente, por organizar e comandar a tramitação de medidas provisórias, editadas pelo Executivo.

Como o pastor picareta de uma igreja, que pede dinheiro aos fieis mas vive em uma mansão e só anda de avião particular, ontem, durante o lançamento da candidatura da deputada Federal Jandira Fegali, do PCdoB, à prefeitura do RJ, o ex-presidente Lula teve a cara de pau de dizer que agora os petistas terão que enfiar a mão no bolso para contribuir com as campanhas do partido.

A operação de DEM e PSDB para emplacar um candidato de fora do “centrão” no lugar de Eduardo Cunha na presidência da Câmara abriu um racha perigoso na base de Temer e o maior risco é que a disputa interna dificulte votações prioritárias e importantes para o país sair do atoleiro em que se encontra.

Puxando o saco do PT, do PSDB e do PMDB, porem sem apoio de nenhum dos 3, o senador Romário, que é do PSB, lançou ontem sua pré-candidatura à Prefeitura do RJ com um discurso no qual ironizou sua falta de experiência em cargos executivos e ressaltou que atualmente os políticos os mais experientes estão em cana.

Com 99% dos parlamentares “apostando” que ele não retorna à presidência da Câmara, Eduardo Cunha, cujo processo de cassação caminha para um desfecho, envia constantemente recados ao governo de que espera do Palácio do Planalto ajuda para escapar ao menos da cassação de seu mandato, porem até aliados já dizem ver as suas chances diminuírem dia após dia.

Crítica:

Se você compra roupas da marca de luxo Brooksfield, cujas peças chegam a custar mais de R$ 500,00, fique ciente de que, segundo um flagrante do Ministério do Trabalho, a referida marca, que se propaganda como aquela que desenvolve produtos com o objetivo de atender mulheres que valorizam a sofisticação, o requinte e o conforto, usa mão de obra escrava e infantil para produzir suas roupas.

Para ajudar a estatal tupiniquim monopolista, corrupta e ineficiente a sobreviver um pouco mais, ontem Ministério da Fazenda autorizou aumento médio de 10,7% nos preços de serviços postais e telegráficos prestados pelos Correios.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário