R.B. 2/MAI/16 "É capaz de tudo para se manter no poder"


"É capaz de tudo para se manter no poder"

 

São Paulo, 2 de maio de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, ainda realizando lucros após acumular uma alta de 7,7% no mês passado, acompanhando a desvalorização das commodities, seguindo as perdas das principais bolsas mundiais e influenciada pelas medidas irresponsáveis anunciadas pela ainda presidenta Dilma e (2) o DÓLAR pode subir, influenciado pela esperada piora do "humor" na bolsa brasileira, impulsionado pela valorização internacional da moeda norte-americana e também pressionado pelos esperados leilões de compra do BC.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,7%, com bom volume de negócios (R$ 9,0bi), em um movimento de cautela antes do final de semana e também acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR caiu –1,6% à R$ 3,44, para fechar o dia no menor valor desde 31/JUL/15, com os vendidos ganhando a "briga" para a formação da cotação de fechamento de mês mesmo com a realização de quatro leilões de compra do BC.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão não teve pregão devido a feriado e China –0,2%, seguindo o fraco desempenho dos mercados acionários em NY no dia anterior e com destaque de queda para as ações da PetroChina (-4,0%), após divulgar prejuízo recorde no primeiro trimestre, (2) da EUROPA, Inglaterra –1,3%, França –2,8% e Alemanha –2,7%, em um dia de menor apetite pelas ações entre os investidores, que monitoraram a divulgação de balanços piores do que o esperado, como Royal Bank of Scotland (-6,1%), Lufthansa (-5,6%), BASF (-0,8%) e Carrefour (4,0%) e (3) dos EUA, registrando o pior desempenho semanal deste FEV/16, S&P –0,5%, DJ –0,3% e NASDAQ –0,6%, pressionadas principalmente por uma liquidação de ações no setor de tecnologia, que acontece já há algumas sessões, diante de uma série de resultados trimestrais decepcionantes de companhias como Microsoft (-0,1%), Apple (-1,1%) e Gilead Sciences (-9,1%).

 

Segundo a equipe de economistas que Temer está montando, apesar do cenário de contas públicas no vermelho e forte recessão, é possível iniciar uma recuperação da economia ainda neste ano e promover um crescimento de pelo menos 1% em 2017, acima da previsão de mercado, de 0,3%, com medidas como (1) evitar uma queda mais acentuada na cotação do dólar, (2) reduzir o déficit do governo, (3) privatizar o que for possível, como a BR Distribuidora e a Infraero, (4) acelerar as concessões de rodovias, portos e ferrovias, (5) reduzir a taxa básica de juros e (6) aprovar as reformas da previdência e tributária.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) no primeiro trimestre deste ano o emprego com carteira assinada no setor privado caiu -4,0% ante igual período de 2015, (2) o volume concedido em financiamentos para compra de imóveis com recursos da caderneta de poupança somou R$ 10,9bi no primeiro trimestre deste ano, número que representa uma queda de -54,6% ante igual período do ano passado e (3) considerando a inflação no período, em MAR/16 os contratos de aluguel assinados em SP tiveram baixa de -11,56% na comparação com MAR/15.

 

Mostrando que a situação é bem pior do que os números oficiais indicam, apenas em SP 5,5 milhões de inadimplentes deixaram de entrar na "lista suja" entre SET/15 e MAR/16 e o motivo é a exigência legal de que o devedor assine o recebimento de um aviso da dívida antes que o credor possa "sujar" seu nome.

 

Comprovando mais uma vez a incapacidade gerencial do governo Dilma, em MAR/16 as contas do setor público tupiniquim registraram um rombo de R$ -10,6bi, mantendo a tendência de piora registrada por União, Estados e municípios desde o ano passado.

 

Misturando renda fixa com renda variável, o COE (Certificado de Operações Estruturadas) é um produto que vem sendo cada vez mais recomendado por planejadores financeiros a investidores que desejam ter parte de suas aplicações em renda variável, já que oferece a opção de capital protegido, garantindo ao poupador receber pelo menos o valor aplicado de volta se tudo der errado na aplicação.

 

A participação de pessoas físicas entre os investidores da bolsa brasileira saltou de 11,9% em DEZ/15 para 16% em ABR/16, porem é sempre importante lembrar que, para a pessoa física, a decisão de investimento em ações deve ter foco no longo prazo.

 

-    A Embraer recuou -3,9%, após divulgar resultado financeiro trimestral abaixo do esperado.

-    A BM&FBovespa caiu -4,5%, depois que a agência de classificação de risco Standard & Poor's rebaixou sua "nota", ressaltando um cenário hipotético de defaults no Brasil.


Política:
 
Mostrando que "é capaz de tudo para se manter no poder", e também para escapar da cadeia, José Eduardo Cardozo, ministro da AGU e lacaio número 1 da futura ex-presidente Dilma, afirmou que não descarta acionar a Justiça para questionar o andamento do processo de impeachment, que ele insiste em classificar como golpe.

 

Fazendo de tudo que pode para prejudicar cada vez mais a economia tupiniquim, faltando 10 dias para seu provável afastamento da Presidência da República, ontem Dilma anunciou um "pacote de bondades" que incluem reajuste do Bolsa Família e correção de 5% na tabela do Imposto de Renda.

 

Com atuação fundamental no processo de impeachment da presidenta Dilma, o MBL (Movimento Brasil Livre) se uniu com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária) e com deputados ligados à lideranças evangélicas para , juntos, influenciarem as votações no Congresso em torno da defesa de um Estado mínimo, da reforma trabalhista e do ajuste fiscal.

 

Provando mais uma vez que em Brasília o "nobres parlamentares" mudam de lado por razões pouco republicanas, 24 dos 51 senadores que declaram que a presidenta Dilma deve ser afastada por crimes contra o orçamento votaram em 2014 ou em 2015 a favor da mudança da meta fiscal, liberando a petista para gastar além do autorizado pelo Congresso.

 

Mais uma vez mostrando sua "diplomacia", Cid Gomes, ex-ministro de Dilma e ex-governador do Ceará, afirmou que, se o nome dele surgir entre os investigados da Operação Lava Jato, Teori Zavascki. ministro do STF, é "corno" e Rodrigo Janot, procurador-geral da República, é "ladrão".

 

-    Enfrentando dificuldades para definir um nome para o comando do Ministério da Justiça a pouco mais de uma semana da votação do impeachment da presidenta Dilma no plenário do Senado, Temer aguarda uma indicação da cúpula nacional do PSDB.

-    Impedindo mais desperdício de dinheiro publico, Gilmar Mendes, ministro do STF, determinou a suspensão de crédito extra de R$ 100mi destinados à Presidência da República para gastar mais com publicidade.

-    Maluf, que na ultima hora mudou de lado e votou à favor do impeachment da presidenta Dilma, estava a um passo de sair da lista de procurados da Interpol, mas um "não" da Prefeitura de SP atrapalhou a "absolvição" do deputado.

-    Preparando a rapinagem do patrimônio publico, há cerca de um mês, portanto antes de a Câmara votar o impeachment, Dilma começou a levar caixas para Porto Alegre.

-    Aproximando da cadeia o maior bandido da história do país, a delação de Delcídio do Amaral renderá mais um inquérito contra Lula.

-    Mostrando que é um político profissional, Temer já avisou aos falastrões de sua equipe que, além dele e do ministro da Fazenda, auxiliares só se posicionarão publicamente sobre política econômica quando autorizados.

-    Com a desculpa esfarrapada de que estava rouco, Lula, mais preocupado em se livrar da cadeia, faltou ao evento que a CUT realizou ontem em SP.


Crítica:
 

Em shows patrocinados pelas milionárias centrais sindicais e pelo governo Dilma que, mesmo prestes a cair, quer se aproveitar da data para distribuir bondades que o país não pode pagar, o Brasil nada tinha a comemorar ontem, 1º de Maio, dia do Trabalho, já que atualmente são 11 milhões de desempregados, 22% a mais do que em DEZ/15 e quase 40% acima dos 7,9 milhões que procuravam ocupação no primeiro trimestre de 2015.

 

Apesar de ter rapinado os cofres públicos e de ter seu presidente enjaulado por corrupção e formação de quadrilha, a Odebrecht, que em qualquer país sério já estaria fechada, atualmente pede pressa aos bancos brasileiros para fechar um novo empréstimo de cerca de R$ 2,8bi para se manter enquanto não vende ativos e fecha acordo com o governo.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário