R.B. 27/ABR/16 "Reeditando uma velha parceria"



"Reeditando uma velha parceria"

São Paulo, 27 de abril de 2016 (QUARTA-FEIRA).



Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, diante do aumento das "apostas" de que (l) a taxa de juros não subirá nos EUA, (ll) o Copom brasileiro indicará que a Selic pode começar a cair no Brasil e (lll) Meirelles e Serra participarão do governo Temer e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, acompanhando o esperado "bom humor" na bolsa brasileira o "mercado" testando os limites do BC, que só deve atuar com mais força na ponta compradora caso a moeda norte-americana ameace romper o "suporte" dos R$ 3,50.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 2,3%, em um movimento de recuperação após 3 pregões seguidos de alta, acompanhando a valorização das commodities e influenciada pela instalação da comissão especial do impeachment no Senado e (2) o DÓLAR caiu –0,7% à R$ 3,52, seguindo os mesmos motivos que impulsionaram a bolsa brasileira e também pressionado pela ausência do BC na ponta compradora.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –0,5%, em baixa pelo segundo pregão consecutivo, ainda influenciada por um ambiente de cautela que precede as reuniões de política monetária dos BCs do EUA e do próprio país e China %, 0,6%, recuperando as perdas da abertura, beneficiada pela valorização das commodities, (2) da EUROPA, sem uma direção única, Inglaterra 0,4%, França –0,3% e Alemanha –0,3%, com os investidores digerindo os resultados trimestrais de grandes empresas da região, como a Standard Chartered (10,0%), que anunciou desaceleração na inadimplência e de lucro acima do esperado, e a Fiat (-2,6%), que informou ter registrado no trimestre dívida acima do esperado e (3) dos EUA, também sem uma direção única, S&P 0,2%, DJ 0,7% e NASDAQ –0,1%, com a valorização das ações das empresas dos setor de energia amenizando as perdas das ações das empresas de saúde.

Meirelles, favorito de Temer para a Fazenda, afirmou no começo desta semana em uma palestra em NY que acredita que o problema do déficit das contas publicas tupiniquins, que segue crescendo e já chega a 10,75% do PIB, deve ser primeiro combatido com "cortes radicais" de despesas, para evitar aumento de impostos, e também é causado pela complexidade tributária do país, que segundo ele afugenta investimentos.

Definindo o momento político e econômico do Brasil como "um avião passando por uma enorme tormenta", Everardo Maciel, ex-secretário da Receita Federal no governo FHC, ressaltou ontem que é contra a criação da CPMF e de novos impostos e que prefere discutir a obrigatoriedade de alguns gastos.

Como o país está cada dia mais sem dinheiro e as "empresas queridinhas" do governo estão na mira da Polícia Federal, no primeiro trimestre deste ano os desembolsos do BNDES para o setor de infraestrutura caíram –51% na comparação com o mesmo período de 2015, com destaques negativos para energia elétrica (-62%), transporte rodoviário (-39%) e telecomunicações (-83%).

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) o percentual das famílias com dívidas no cartão de crédito subiu de 19,7% entre ABR/15 e ABR/16, (2) segundo expectativas do setor, o  tíquete médio de compras no comércio eletrônico para o Dia das Mães deste ano deve ter queda de -20% em relação ao ano passado, (3) segundo dados oficiais da Fipe, em MAR/16 cerca de 60% das negociações para reajustes salariais ficaram abaixo da inflação e (4)  acumulando o oitavo mês seguido de retração, em MAR/16 a demanda por voos domésticos no país recuou -7,3% na comparação com MAR/15.

-    Tentando sobrevier à crise, no ano passado setores de varejo e de serviços aumentaram respectivamente em 16% e 25% a compra de espaço publicitário nos meios de comunicação na comparação com o ano de 2014.

-    A Apple caiu –0,7% e, após o fechamento do pregão de NY, anunciou que no primeiro trimestre deste ano as vendas do iPhone caíram pela primeira vez desde o lançamento do produto, em 2007, o que já era esperado pelo mercado diante da falta de novidades da última versão do smartphone e da concorrência em mercados-chave como a China.



Política:
Com a formação de seu governo já quase que totalmente concluída, o ainda vice-presidente Michel Temer chamou de "golpe" a tentativa de antecipação das eleições presidenciais para este ano, ressaltando que esta proposta não está prevista na Constituição Federal.

Acostumado em defender corruptos e signatário de um manifesto feito em JAN/16 contra a operação que investiga o esquema de corrupção da Petrobras, o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, que é o favorito para ser ministro da Justiça de Michel Temer, criticou a delação premiada e afirmou que a Polícia Federal deve ter outros focos além do combate à corrupção.

Convenientemente se esquecendo que seu vice foi eleito juntamente com ela, ontem a presidenta Dilma afirmou, em um evento de entrega de casas populares em Salvador, que Temer quer sentar em sua cadeira sem ter voto e mais uma vez afirmou que, uma vez no poder, o peemedebista deverá reduzir programas sociais com o Bolsa Família e o Minha Casa, Minha Vida.

Para se aproveitar da trégua com o Congresso que todo presidente tem ao assumir,  Temer já acertou com o Congresso uma agenda prioritária para os primeiros dias de seu governo, promulgando, de cara, uma PEC desvinculando as receitas de Estados e municípios, e colocando em votação a polêmica reforma da Previdência, com idade mínima para aposentadoria das gerações futuras.

Provando mais uma vez que a corrupção do PT é um aperfeiçoamento da corrupção do PSDB, ambos aliás partidos de esquerda, ontem o Tribunal Superior Eleitoral condenou os tucanos a devolverem R$ 1,1 milhão aos cofres públicos por irregularidades, como gastos sem nota e despesas não explicadas, identificadas na prestação de contas do partido de 2010 entregue à Justiça Eleitoral.

"Reeditando uma velha parceria", ontem Michel Temer afirmou que quer discutir com o comando nacional tucano a participação do PSDB em seu governo, inclusive incorporando propostas como (1) o compromisso de manter e não interferir na Operação Lava Jato, (2) a realização de na reforma política e (3) a redução da máquina pública.

-    Após se reunir ontem com Lula e discutir a proposta de novas eleições presidenciais, Renan Calheiros, presidente do Senado, se reúne hoje com Michel Temer.
-    Temer estuda a criação de um órgão exclusivo para agilizar a pauta de privatizações, possivelmente com a criação de uma nova agência reguladora para este fim.
-    Bancado com dinheiro sujo do PT e com táticas importadas do MST, o grupo chamado Levante Popular da Juventude está perseguindo Michel Temer desde que o impeachment da presidenta Dilma foi aprovado na Câmara.


Crítica:
Comprovando que problemas com fraudes em emissões não são exclusividade do grupo Volkswagen, e devem atingir quase todas as empresas automobilísticas, ontem a Mitsubishi admitiu ter manipulado no Japão testes de consumo desde 1991.

Com todos os méritos, o juiz federal Sergio Moro, responsável por condenações das ações penais da operação Lava Jato, foi homenageado ontem em NY pela prestigiada revista "Time", que o incluiu na semana passada entre as 100 pessoas mais influentes do mundo.


PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho




O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil




Nenhum comentário:

Postar um comentário