R.B. 19/ABR/16 "Sobra dinheiro no mundo"


"Sobra dinheiro no mundo"

 

São Paulo, 19 de abril de 2016 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, recuperando as perdas do pregão anterior, beneficiada pelas "apostas" de queda da presidenta Dilma, acompanhando a valorização internacional das commodities e seguindo o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo uma parte da forte alta registrada no pregão anterior, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela esperada redução dos leilões de compra do BC.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,6%, realizando lucros recentes, após avançar 5,8% na semana passada, prejudicada pelo recuo internacional das commodities e influenciada pela constatação de que o impeachment da presidenta Dilma ainda precisa ser aprovado no Senado e (2) o DÓLAR subiu 2,2% à R$ 3,60, revertendo uma abertura negativa, na qual chegou a recuar –1,5%, já que acompanhou o "ajuste técnico" da bolsa brasileira e foi influenciado principalmente pelos "agressivos e intensos" leilões de compra do BC.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –3,4%, devolvendo mais da metade da valorização acumulada na semana passada (6,5%), prejudicada pelas consequências de 2 grandes terremotos que atingiram o país recentemente e com destaque de queda para as ações da Toyota (-4,8%), após anunciar que vai suspender a produção de veículos gradualmente esta semana na maioria de suas fábricas japonesas, devido à escassez de autopeças causada pelos terremotos e China –1,4%, diante dos temores de que a recuperação recente de indicadores da segunda maior economia do mundo, alimentada pela política de estímulos de Pequim, não seja sustentável, (2) da EUROPA, recuperando as perdas da abertura, Inglaterra 0,2%, França 0,3% e Alemanha 0,7%, impulsionadas pelas ações das empresas dos setores aéreo e de viagens, que se beneficiam da queda do petróleo (-3,2%) e (3) dos EUA, com o DJ atingindo o maior patamar desde 20/JUL/15, S&P 0,7%, DJ 0,6% e NASDAQ 0,4%, com destaque de alta para as ações da Walt Disney (2,9%), que apresentou resultados melhores do que o esperado.

 

Comprovando a força de uma economia séria, produtiva e inspiradora, a Alemanha, segundo seu banco central cresceu com força nos primeiros 3 meses deste ano graças, sobretudo, à demanda interna mais do que às exportações, que por sua vez deram uma contribuição relativamente fraca.

 

Indicando que, para quem merece confiança, atualmente "sobra dinheiro no mundo", a Argentina, após mudar de governo, fechar acordo com credores e aprovar uma lei de austeridade no Congresso, recebeu uma demanda de US$ 67bi para os US$ 15bi em títulos que está captando, pela primeira vez desde 2001, no mercado internacional para pagar sua dívida com os fundos "abutres".

 

Já colocando "na conta" a aprovação do impeachment da presidenta Dilma pela Câmara, o "mercado" (1) reduziu, de 13,75% para 13,38%, suas "apostas" para a taxa básica de juros (Selic) no final deste ano, (2) diminuiu, pela sexta semana consecutiva, suas projeções para a inflação medida pelo IPCA neste ano, desta vez de 7,14% para 7,08% e (3) piorou ainda mais suas perspectivas para o desempenho do PIB tupiniquim em 2016, de –3,77% na semana passada para -3,80% agora.

 

Cotado para fazer parte de um cada vez mais certo governo Temer, provavelmente como Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que estava em um evento em NY, afirmou que, para assegurar que o Estado brasileiro recupere a confiança, será necessário aumentar impostos e fazer a reforma tributária.

 

Confirmando o descontrole das contas publicas no governo Dilma, o projeto da lei de diretrizes orçamentárias para 2017 estima uma frustração de até R$ –87bi na arrecadação federal em um cenário econômico de estresse, com indicadores piores que os utilizados oficialmente.

 

Segundo o economista Mansueto Almeida, especialista em contas públicas, um eventual governo Temer terá no máximo 5 meses de trégua com o "mercado" para demonstrar que consegue obter consenso político em torno (1) de uma "agenda mínima" de reformas estruturais, (2) da fixação de um teto para os gastos públicos, (3) do aumento de impostos e (4) do aprimoramento da governança em empresas estatais.

 

Ontem o petróleo recuou –3,2% nos mercados internacionais, diante do anúncio de que foram frustradas as tentativas de congelamento da produção de na reunião realizada no domingo passado em Doha, no Catar, entre os maiores países produtores da referida commoditie.

 

-    A Usiminas caiu –1,4%, realizando lucros recentes após a empresa informar que sua assembleia extraordinária de acionistas aprovou por unanimidade aumento de capital de R$ 1bi, a ser feito por meio de emissão de 200 milhões de novas ações.


Política:
 
Visivelmente dopada, mentalmente perturbada e psicologicamente abalada, a presidenta Dilma foi ontem à TV para, em sua primeira declaração pública desde a derrota que sofreu na Câmara, dizer que (1) teve os "sonhos e direitos torturados", (2) se sentiu "indignada" e "injustiçada" com a aprovação do impeachment, (3) a sociedade não gosta de traidores, (4) não cometeu crime de responsabilidade e (3) não está no fim de seu mandato, mas "no início da luta".

 

Após o processo de impeachment de Dilma ser aprovado na Câmara, o vice-presidente Michel Temer precisa sinalizar o quanto antes que vai se desvincular de Eduardo Cunha, presidente da referida Casa legislativa e principal condutor do processo contra a presidenta, para assim sustentar o voto de confiança que o mercado tem dado a ele.

 

"Apostando" que, após ser aprovado na Câmara, o processo de impeachment da presidenta Dilma caminhará com mais facilidade, pelo Senado, segundo a consultoria internacional Eurasia há uma chance de apenas 20% de os senadores não seguirem a votação dos deputados.

 

Emparedando cada vez mais o maior bandido da história do Brasil, que aliás será preso em breve se sua nomeação como ministro for proibida pelo Supremo, em julgamento que ocorrerá amanha, segundo um laudo elaborado pela Polícia Federal a empreiteira Andrade Gutierrez pagou R$ 3,6mi ao instituto Lula por meio de uma conta contábil suspeita.

 

-    Parte da oposição já pensa nos "esqueletos que pode tirar do armário" com a chegada de Temer ao poder e com isto, na Câmara, já articula-se uma CPI para investigar convênios da CUT com o governo federal.

-    Acreditando que Lula tem chances de vitória, um grupo de 6 senadores apresentaram ontem uma proposta de novas eleições, já em OUT/16, para presidente e vice como solução para a atual crise política.


Crítica:
 
Mostrando como é complicado empreender em um país no qual o governo rata o consumidor como analfabeto, ignorante e incauto, o que aliás na maioria das vezes é verdade, ontem a Anatel, atentando contra a livre iniciativa privada, publicou uma norma que impede as operadoras de serviços de banda larga fixa de reduzirem, cortarem ou cobrarem tarifas excedentes de consumidores que esgotarem franquias de transferência de dados, sem que haja ferramentas que ajudem os clientes a ter informações sobre seus planos.

 

Melhorando e facilitando a vida de seus "companheiros presos", que agora terão drogas, armas e celulares à disposição com mais facilidade, a presidenta Dilma sancionou ontem uma lei que proíbe os órgãos e entidades da administração pública, como as penitenciárias, de adotar qualquer prática de revista íntima de mulheres.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário