R.B. 31/MAR/16 "Injusta, imoral e ineficaz"


"Injusta, imoral e ineficaz"

 

São Paulo, 31 de março de 2016 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, realizando lucros recentes, acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais e com os investidores começando a perceber que o processo de impeachment da presidenta Dilma será mais longo, mais tumultuado e mais traumático do que se esperava e (2) o DÓLAR pode subir, recuperando perdas recentes, diante da provável piora do "humor" da bolsa brasileira e dos leilões de compra do BC.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,2%, reduzindo quase todos os ganhos registrados na parte da manhã, quando na máxima avançou 2,1%, sustentada pelo desempenho positivo das principais bolsas mundiais, porem com os investidores já começando a avaliar que a queda da presidenta Dilma será lenta, tumultuada e traumática pra o país e (2) o DÓLAR caiu 0,9% à R$ 3,62, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante da redução das "apostas" de elevação dos juros nos EUA.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão –1,3%, realizando lucros recentes, com destaques de queda para as exportadoras, diante da valorização da moeda local (iene) frente ao dólar e China 2,8%, beneficiada pelos sinais de que a a taxa de juros dos EUA não vai subir no curto prazo, (2) da EUROPA, Inglaterra 1,6%, França 1,8% e Alemanha 1,6%, com destaque de alta para as ações das mineradoras, que na média subiram 4,6%, beneficiadas pela desvalorização do dólar frente ao euro, o que torna as commodities mais baratas a investidores que detêm outras moedas e (3) dos EUA, em alta pelo terceiro pregão consecutivo e com o DJ registrando o maior número de fechamentos positivos em 1 mês (17 pregões) dos últimos 6 anos, S&P 0,4%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,5%, com os investidores aliviados com o discurso de Janet Yellen, presidente do Fed ("BC" local), ressaltando a necessidade de cautela nas elevações das taxas de juros.

 

Diante do aumento das "apostas" de que é inevitável o impeachment da presidenta Dilma e do elevado patamar da taxa de juros brasileira, o fluxo de capital estrangeiro para a Bovespa já acumula um sado positivo de R$ 9,4bi no ano, com destaque para o resultado deste mês de MAR/16, cujo saldo positivo até o dia 28 estava em R$ 7,3bi.

 

Incentivando de forma irresponsável o consumo supérfluo e desnecessário, que vai prejudicar o futuro da aposentadoria e endividar ainda mais a população, ontem o governo Dilma publicou uma medida provisória autorizando o crédito consignado para trabalhadores do setor privado usando recursos do FGTS como garantia.

 

Ajudando principalmente as grandes construtoras brasileiras, quase todas envolvidas na operação Lava Jato, ontem o BNDES  aprovou a criação de uma linha de R$ 200mi para incentivar a elaboração de projetos na área de infraestrutura, apoiando financeiramente as consultorias especializadas na estruturação de parcerias público-privadas.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) segundo expectativas do setor, a queda bruta (sem considerar a inflação) nas vendas em supermercados este ano deverá ser de -2,1% na comparação com 2015 e (2) ontem a Gol anunciou que sua oferta de voos vai encolher entre 15% e 18% neste ano.

 

Diante da retração da economia e influenciado principalmente pela queda nos preços de bens intermediários no atacado e de habitação no varejo, o IGP-M de MAR/16 ficou em 0,51%, resultado inferior ao auferido em FEV/16 (1,29%), porem ainda acumula uma forte alta de 11,56% nos últimos 12 meses.

 

Agindo como o PMDB, que só foi para a oposição quando teve certeza que "a vaca foi para o brejo", ontem o executivo Paulo Remy Gillet, CEO da construtora WTorre, afirmou que o governo Dilma está perdido e precisa reconhecer que seu tempo passou, ressaltando que o próximo presidente, seja ele quem for, terá mais condições de aprovar as mudanças necessárias para o país voltar a crescer.

 

Infestados e comandados por petistas e peemedebistas corruptos, ignorantes e incompetentes, os 219 fundos de previdência das estatais tupiniquins, como Previ, Petros e Funcef, terminaram o ano de 2015 com um déficit acumulado de estratosféricos R$ -76,7bi, causado principalmente por investimentos em "projetos suspeitos" ligados à Petrobrás.

 

Obviamente por falta de capacidade de gestão e principalmente por corrupção, Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) apresentou prejuízo de R$ -3bi no ano passado, superando o resultado negativo de R$ –2bi auferido em 2014.


Política:
 
Conseguindo ser mais oportunista que o PMDB, que após 13 anos com o PT saiu da base aliada no momento em que a "vaca já foi para o brejo", o PP decidiu que só vai se decidir se sai da base aliada no dia 11/ABR/16, exatamente uma dia antes da votação do impeachment na Comissão Especial da Câmara, quando já deve está bem claro se "a vaca afundou no brejo".

 

Abrindo seu balcão de negócios escusos para comprar o apoio necessário para evitar o impeachment, o governo Dilma, tentando reagir ao rompimento do PMDB, ofereceu ao PP, que tem uma bancada de 49 deputados federais, o Ministério da Saúde, considerado um dos principais da Esplanada, já que tem uma verba bilionária.

 

Usando, de forma ilegal, dinheiro publico para defender seu mandato, ontem a presidenta Dilma transformou um evento de entrega de moradias da terceira fase do Minha Casa Minha Vida, obviamente com uma plateia formada pelos vagabundos e terroristas do MST, em um palanque contra o impeachment.

 

Mostrando que, apesar de ter ideias estúpidas, é coerente com o que pensa e não é linha auxiliar do PT, ontem, mesmo duramente criticada pelo seu partido (PSOL), Luciana Genro, ex-deputada e ex-candidata à presidência, afirmou que (1) impeachment não é golpe, (2) o PT tenta se fortalecer com a tese do medo e (3) o juiz Sergio Moro não é um fascista.

 

Em mais uma sinalização de uso de dinheiro publico para comprar apoio político no Congresso, o governo Dilma decidiu poupar despesas de interesse direto de congressistas e aumentar os cortes nos ministérios da saúde e da educação, que perderam respectivamente R$ –2,4bi e -4,2bi.

 

Confirmando que será uma longa e dura batalha a queda da presidenta Dilma, mais uma vez terminou em confusão e agressão física a audiência na comissão da Câmara que analisa o pedido de impeachment, desta vez por conta da presença dos juristas Miguel Reale Jr. e Janaína Paschoal, autores da denúncia.

 

O plano para salvar Dilma passa por inflar o número de ministérios de PP, PR e PSD, que receberiam cada um duas pastas, e até com o nanico PTN existe negociação para uma participação "de proa", com grandes chances de levar o Ministério do Turismo.

 

A polemica, porem já esperada, decisão da presidenta Dilma confiar sua defesa no impeachment à Advocacia-Geral da União, que é um órgão de governo e atualmente comandado por seu escudeiro José Eduardo Cardozo, sofre inúmeras críticas no meio jurídico, já que pela leia a referida pasta não pode prestar serviços ao governante como pessoa física.


Crítica:
 

Com quem tem capacidade técnica e dedicação pela empresa "pagando o pato" pelas sacanagens e picaretagens cometidas pelos diretores indicados por Lula e por Dilma, ontem a Petrobras anunciou que decidiu ampliar de 30% para 43% do total o tamanho do corte nos cargos de gerência, formado quase que na totalidade por funcionários concursados, como parte de seu programa de reestruturação organizacional já anunciado em JAN/16, o que deve gerar uma economia de até R$ 1,8bi por ano.

 

Mostrando como é importante o governo se meter apenas naquilo que é fundamental, reduzindo ao máximo o tamanho do Estado, com dificuldades para atingir os índices mínimos de acesso à TV digital, estão sendo agora distribuídos gratuitamente conversores de sinal para os beneficiários do Bolsa Família, obviamente pagos com dinheiro de quem trabalha e provavelmente comprados de empresas de "amigos".

 

A Rouanet, que beneficia artistas facilitando a captação de patrocínios para seus projetos e beneficia a empresa que reduz o pagamento de impostos em troca de publicidade gratuita, é "injusta, imoral e ineficaz", pois (1) os recursos são destinados na maioria das vezes para os grandes artistas, (2) é usada para compra apoio politico, como do ator Wagner Moura que já captou R$ 11,5mi para seus filmes e (3) com o governo arrecadando menos os impostos sobem para empresários e trabalhadores, que por sua vez tem cada dia menos dinheiro para lazer e cultura.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário