R.B. 2/MAR/16 "Avaliado com cautela"


"Avaliado com cautela"

 

São Paulo, 2 de março de 2016 (QUARTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, mesmo após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 15/DEZ/15 (aos 44.121pts), acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e influenciada positivamente pelo andamento do processo de cassação do mandato de Eduardo Cunha, que certamente vai ajudar a derrubar também a presidenta Dilma (2) o DÓLAR pode seguir em queda, rompendo o "suporte" dos R$ 3,95, seguindo a esperada melhora do "humor" na bolsa brasileira.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 3,1%, com bom volume de negócios (R$ 7,1bi), acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais, diante das expressivas de novos estímulos econômicos, beneficiada pela valorização das commodities, como o petróleo (2,5%) e (2) o DÓLAR caiu –0,5% à R$ 3,95, seguindo a melhora do "humor" na bolsa brasileira e as "apostas" de aumento do fluxo positivo de recursos externos.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,4% e China 1,7%, beneficiadas pela decisão do BC chinês de adotar uma nova medida de estímulo monetário, desta vez cortando os compulsórios bancários em -0,50%, estimulando o o setor bancário a ampliar a concessão de empréstimos, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,9%, França 1,2% e Alemanha 2,4%, beneficiadas pelo avanço do petróleo (2,5%) e das demais commodities e com destaques de alta para as mineradoras e siderúrgicas, como ArcelorMittal (8,4%) e Anglo American (2,3%) e (3) dos EUA, mostrando um renovado apetite ao risco, S&P 2,4%, DJ 2,1% e NASDAQ 2,9%, influenciadas positivamente por dados animadores da economia norte-americana, como o avanço bem maior do que o esperado do índice dos gerentes de compra e dos investimentos em construção, e com destaques de alta para as ações das empresas dos setores bancário e de tecnologia.

 

Mostrando algo difícil de se entender, principalmente para os brasileiros, atualmente o governo japonês está sendo pago para pegar dinheiro emprestado de investidores, já que ontem o Ministério das Finanças do país fez uma oferta de títulos de 10 anos com rendimento de 0,1% e preço médio de 101,25 ienes, o que produz um rendimento de -0,24% ao ano caso o investidor mantenha o papel até seu vencimento.

 

Hoje, sem nenhum destaque e expectativa de surpresa, termina a reunião do Copom que, caso siga a expectativa de mais de 90% do "mercado" e não siga a pressão dos petistas, deve anunciar a manutenção da taxa básica de juros (Selic) no atual patamar de 14,25%.

 

Contrariando a lei da oferta e procura, apesar da profunda recessão na qual o Brasil está mergulhado no presente, que ao que tudo indica é a pior da história, cerca de metade (3,8%) da inflação prevista para este ano de 2016 (7,6%) será fabricada pelos fantasmas dos aumentos de preços passados e futuros.

 

Dando 4 novos sinais negativos da economia brasileira, (1) nos 2 primeiros meses deste ano os licenciamentos de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos no país caíram –31,3% na comparação com o mesmo período de 2015, (2) em FEV/16 a produção de cerveja no Brasil caiu –3,1% na comparação com FEV/15, (3) segundo previsões do setor, no primeiro semestre deste ano as vendas do varejo em SP devem ser –7,4% menores do que no mesmo período de 2015 e (4) o Brasil perdeu 23 bilionários neste ano em relação a 2015.

 

A balança comercial brasileira de FEV/16 registrou um superávit de R$ 3,04bi, o que representa o maior saldo positivo para um mês de fevereiro desde o início da série histórica, em 1989, porem este resultado deve ser "avaliado com cautela", já que foi conseguido por conta de uma queda de -34,6% das importações na comparação com FEV/15 e por um aumento de 4,6% nas exportações, que por sua vez são beneficiadas pela disparada do dólar, na mesma base de comparação.

 

Ressaltando que a indústria brasileira já representou 25% do PIB e hoje responde por apenas 9% da geração de riquezas do país, o economista Luiz Carlos Bresser-Pereira, ex-ministro e atualmente professor da FGV, alertou que não serão os acordos comerciais, mas a derrubada de entraves econômicos, como a adoção de uma taxa de câmbio excessivamente valorizada, e até sociais, como a baixa produtividade do trabalhador, que levarão o Brasil a uma inserção "competitiva" ou "inovadora" no mundo.

 

Com o objetivo de socorrer a Gol, ontem a presidenta Dilma assinou uma medida provisória que eleva o limite de participação de capital estrangeiro nas empresas aéreas dos atuais 20% para 49%.


Política:
 
Elevando a possibilidade de queda da presidenta Dilma, ontem, depois de quase 5 meses de idas e vindas e alvo de um arsenal de manobras, o Conselho de Ética decidiu, por apertada margem, dar sequência ao processo de cassação contra o peemedebista Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados.

 

Sem capacidade intelectual para compreender o tamanho da crise que assola o país, Dilma está sitiada por todos os lados e é solapada dentro de casa, já que Lula (1) lavou as mãos ao deixar o PT bater na presidenta do Brasil com um programa econômico de oposição e (2) tanto fritou que queimou Luiz Eduardo Cardozo, ex-ministro da Justiça, que seria "mole com a Polícia Federal".

 

Confirmando os rumores, José Eduardo Cardozo afirmou que, após cinco anos e dois meses no comando do Ministério da Justiça, deixou o cargo pois setores de seu partido, o PT, pediram que ele atuasse de forma diferente diante da Polícia Federal, porem "garantiu" que não há risco de a Operação Lava Jato ter qualquer tipo de interferência política.

 

Coberta de razão, a cúpula tucana tem criticado, de forma privada e também publica, a movimentação ostensiva do governador de SP Geraldo Alckmin para fazer de seu afilhado político, João Doria, o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, o que tem criado um clima de isolamento entre ele e os principais líderes nacionais da sigla.

 

Provando mais uma vez que não manda nada, ontem, em uma tentativa de reaproximação com o ex-presidente Lula, a presidenta Dilma fez uma defesa veemente ao seu antecessor no Palácio do Planalto ao afirmar que uma liderança como o referido petista merece manifestações de solidariedade e que não se pode deixar que a ofensiva da Polícia Federal contra ele "passe dos limites".

 

Caminhando tranquilamente para preparar a pizza que salvará seu mandato, o senador Delcídio do Amaral, que foi preso ao se vangloriar de ter poder para influenciar nas decisões de ministros do Supremo, renunciou ontem à presidência da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, que agora será comandada pela também petista Gleisi Hoffman.

 

Enquanto a presidenta Dilma tem que se explicar das pedaladas fiscais, o ex-presidente Lula agora terá que se explicar porque seu segurança lhe comprou 2 pedalinhos e porque estes pedalinhos, com os nomes de seus netos, foram para no lago do sítio em Atibaia que o referido petista diz não ser seu.


Crítica:
 
Agindo de forma arbitraria e sem nenhum conhecimento técnico, Marcel Maia Montalvão, juiz da Vara Criminal de Lagarto, que fica em Sergipe, mandou prender Diego Jorge Dzodan, vice-presidente da rede social Facebook na América Latina, por ele descumprir uma impraticável ordem judicial de entregar copias que não existem de conversas de WhatsApp entre traficantes de drogas.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário