R.B. 21/MAR/16 "Aécio é bandido como Lula"


"Aécio é bandido como Lula"

 

São Paulo, 21 de março de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, reduzindo uma parte da forte alta acumulada no mês (18,7%), acompanhando a desvalorização internacional das commodities e influenciada principalmente pela percepção de que a situação econômica e política do país vai piorar muito antes da queda da presidenta Dilma e (2) o DÓLAR pode subir, influenciado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa brasileira e também pelo anúncio do BC, após o fechamento do pregão de sexta-feira, de um leilão de compra para reduzir o estoque de contratos de "swap" cambial tradicional.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,4%, para fechar na mínima do dia e devolvendo parte dos lucros registrados no pregão anterior, em um movimento de cautela diante da avaliação de que, como certamente Dilma vai permanecer no cargo o maior tempo que conseguir, o processo de impeachment no Congresso Nacional será tumultuado, demorado e imprevisível e (2) o DÓLAR caiu –1,4% à R$ 3,59, para fechar o dia no menor patamar dos últimos 7 meses, com os investidores reforçando a "aposta" de manutenção de Dilma no cargo e também acompanhando a desvalorização internacional da moeda norte-americana, diante da manutenção da taxa de juros pelo Fed ("BC" dos EUA).

 

Também Sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão –1,2%, em queda pelo 4º pregão seguido, diante dos temores de que os lucros de empresas do país piorem em meio à tendência mais recente de valorização da moeda local (o iene) frente ao dólar e China 1,7%, em alta pelo 6º pregão consecutivo, desta vez beneficiada pelos ganhos das empresas de tecnologia e de mídia, (2) da EUROPA, também sem uma tendência única, Inglaterra –0,2%, realizando lucros recentes e com destaques de queda para Antofagasta (-4,3%) e BP (-0,7%), porem França 0,4% e Alemanha 0,6%, beneficiadas pelos sinais de que os principais BCs mundiais devem seguir com a política de juros inclinados ao juro baixo e (3) dos EUA, fechando a quinta semana consecutiva de ganhos e com isto levando o S&P a passar ao terreno positivo em 2016, S&P 0,4%, DJ 0,7% e NASDAQ 0,4%, ainda beneficiadas pela decisão do Fed ("BC" local) de manter a taxa de juros do país baixa e de sinalizar que as elevações futuras serão mais graduais do que o previsto antes e com destaques de alta para as ações das empresas dos setores de saúde e financeiro.

 

Ressaltando que a crise política e econômica brasileira não pode ser "subestimada", pois afeta a percepção internacional sobre o país, o brasileiro Roberto Azevedo, diretor-geral da Organização Mundial de Comércio, afirmou que quando "esse momento difícil for superado o Brasil voltará a ser um "centro de atenção" global, já que seu potencial não desapareceu.

 

Com muita moral entre os investidores, apesar de ter fracassado quando se aventurou a fazer gestão de ativos, Armínio Fraga, ex-presidente do BC durante o governo FHC, afirmou, com toda a razão, que acredita que está mais do que claro que a gestão de Dilma "quebrou e pilhou o país", ressaltando que, se não houver uma mudança tanto do governo quanto na forma de conduzir a economia, o pais terá um cenário de "perda de emprego e renda como nunca se viu" e a maior vítima será o povo que acreditou que esse modelo daria certo e se endividou.

 

Sem falar em corrupção, Christa Brunnschweiler, pesquisadora da Universidade de East Anglia, que fica na Noruega, afirmou que o Brasil é um bom exemplo de como a incapacidade de emergir do atraso econômico devido à incompetência política pode ameaçar a paz e a estabilidade.

 

Para tentar rebater os "rumores" de que ocorrerá uma troca de comando no ministério da Fazenda, a equipe econômica da presidenta Dilma prometeu lançar hoje um pacote de medidas com o qual espera (1) jogar R$ 15bi na economia no segundo semestre, (2) indicar que as contas públicas vão voltar ao azul nos próximos anos e (3) sinalizar que existe espaço para queda da taxa de juros também no segundo semestre.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) nos 2 primeiros meses deste ano o consumo de diesel caiu –6,6% na comparação com o mesmo período de 2015 e (2) em FEV/16 a a arrecadação de tributos foi -11,5% menor que em FEV/15.

 

Acreditando que seus cotistas são todos idiotas, as diretorias de Previ, Petros e Funcef, lotadas de petistas e sindicalistas incompetentes e corruptos, negaram qualquer interferência política nas decisões de investimento e "garantem" que tudo que foi feito, como as apostas bilionárias na Sete Brasil e na OAS, seguiu altos padrões técnicos e de governança.

 

-    A Usiminas subiu 0,1% e, durante o final de semana a empresa anunciou que assinou acordos com credores brasileiros e japoneses para suspender suas obrigações financeiras pelo prazo de 120 dias, condicionados à aprovação de proposta de aumento de capital.


Política:
 
Indicando que "Aécio é bandido como Lula", segundo a delação premiada do senador Delcídio Amaral, que só é valida se for 100% verdadeira, o referido senador tucano atuou para maquiar as contas do Banco Rural durante CPI Mista dos Correios e é beneficiário de uma conta não declarada de uma fundação no paraíso fiscal de Liechtenstein.

 

Preparando mais uma afronta aos brasileiros, representantes da Câmara preparam uma emenda constitucional para garantir foro privilegiado a ex-presidentes da República, determinando que só sejam julgados pelo Supremo Tribunal Federal, o que beneficiaria diretamente Dilma e Lula e também o vice Michel Temer, herdeiro constitucional caso a presidenta seja cassada.

 

Confirmando mais uma vez que petistas e tucanos são tudo farinha do mesmo saco, o peemedebista Eduardo Paes, prefeito do RJ que foi flagrado em conversa pouco republicana e muito preconceituosa com o ex-presidente Lula e que atualmente é aliado da presidente Dilma, era em 2005 secretário-geral do PSDB.

 

Mesmo impedido pela justiça de assumir oficialmente um posto no governo, o ex-presidente Lula foi escalado pela presidenta Dilma para exercer informalmente a partir de hoje a articulação política do Palácio do Planalto, função típica do chefe da Casa Civil, e sua primeira missão é  impedia o rompimento do PMDB com o governo federal.

 

Mostrando que a confusão e a falta de liderança imperam no partido que deveria fazer oposição ao governo Federal, ontem, assim que o empresário João Doria, apadrinhado por Alckmin, foi confirmado como candidato do PSDB à prefeitura de SP, tucanos históricos passaram a questionar o resultado das prévias internas.

 

Com o objetivo claro de barrar as investigações da operação Lava Jato, a primeira missão de Eugênio Aragão, o novo ministro da Justiça do governo Dilma, é buscar um nome para assumir a diretoria-geral da Polícia Federal em até 30 dias, substituindo Leandro Daiello, que está no cargo desde 2011.

 

Diante da velocidade e da intensidade dos mais recentes fatos políticos, as apostas das principais consultorias políticas brasileiras e internacionais de que Dilma não completará seu mandato subiram de cerca de 60% no começo da semana passada para cerca de 75% nesta segunda-feira.

 

Apresentando mais uma promessa que, por conta da falta de capacidade de gestão, foi descumprida pela governo Dilma, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço registra neste início de ano uma sobra de quase R$ 14bi em recursos orçamentários de 2015 que ainda não foram aplicados, principalmente nas áreas de infraestrutura e saneamento básico.

 

Mostrando que é uma "missão impossível" Dilma concluir seu mandato, segundo uma pesquisa feita pelo Datafolha, que aliás é o mais petistas dos institutos de pesquisa, 68% da população quer o impeachment da presidenta, 65% acham que a petista deve renunciar 69% reprovam o governo Federal e avaliam sua administração como ruim ou péssima.


Crítica:
 
Dando provavelmente seu ultimo passo em direção à paz mundial como presidente dos EUA, Obama, cumprindo mais uma promessa, desembarcou em Cuba na tarde de ontem para, acompanhando da mulher e das 2 filhas, fazer uma visita história de 3 dias a ilha, na qual vai se encontrar com o ditador Raul Castro e com políticos cubanos dissidentes.

 

Acabando precocemente com a vida de um dos mais respeitados empresários brasileiros, Roger Agnelli, ex-presidente da Vale e desafeto declarado da presidenta Dilma, morreu na tarde de sábado passado por conta da queda do avião que ele estava com sua família.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário