R.B. 5/FEV/16 "Deixe de mamar nas tetas caídas e cansadas do governo"


"Deixe de mamar nas tetas caídas e cansadas do governo"

 

São Paulo, 5 de fevereiro de 2016 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:
 
Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, reduzindo mais uma parte da desvalorização acumulada no ano (-5,8%), influenciada pelo movimento ascendente das principais bolsas mundiais e ainda acompanhando recuperação das commodities, porem, como a bolsa tupiniquim ficará fechada por 2 dias úteis por conta do Carnaval, é preciso coragem para ficar comprado no final do pregão e (2) o DÓLAR pode subir, em um "ajuste técnico" após as baixas recentes, seguindo a recuperação da moeda norte-americana e em um movimento de cautela antes do feriado de Carnaval, quando o Brasil vai sambar à beira do abismo enquanto as demais economias do mundo trabalham.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 3,1%, para fechar em território positivo pela segunda sessão consecutiva e retornar ao patamar de 40 mil pontos, acompanhando a recuperação das commodities no exterior e impulsionada pelo fluxo comprador de estrangeiros, o que causou um bom volume de negócios (R$ 8,9bi) e (2) o DÓLAR caiu –0,4% à R$ 3,90, para fechar o dia no menor patamar do ano, acompanhando a melhora do "humor" na bolsa brasileira e também pressionado pelos leilões do BC.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, novamente sem uma tendência única, Japão –0,8%, em baixa pela terceira sessão consecutiva, desta vez prejudicada pelos desempenhos ruins das fabricantes de eletrônicos Panasonic (-8,7%) e Hitachi (-7,8%), que reduziram suas previsões de lucros e China 1,5%, beneficiada pela valorização do petróleo e pela decisão do BC local de fazer nova injeção de capital no sistema financeiro, no valor de US$ 22,8 bi, (2) da EUROPA, sem uma tendência única e após um pregão marcado pela volatilidade, Inglaterra 1,1%, França 0,1% e Alemanha –0,4%, com alguns mercados se beneficiando pela alta das commodities, que impulsionou as ações das mineradoras Anglo American (20,0%) e Glencore (16,0%), e outros penalizados por temores sobre o crescimento global e também pela valorização do euro frente ao dólar e (3) dos EUA, em compasso de espera, S&P 0,2%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,2%, com os participantes do mercado na expectativa da divulgação dos dados oficiais do nível de emprego do país, para ter certeza se os juros norte-americanos param de subir neste ano.

 

Segundo Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI, não se pode generalizar sobre a situação dos emergentes, já que atualmente Brasil e Rússia estão em recessão, enquanto outros países como México e Índia estão indo muito bem.

 

Mandando às favas a responsabilidade fiscal, a presidenta Dilma já está quase decidida que o corte no Orçamento da União de 2016 para tentar cumprir a meta fiscal deste ano será de R$ –50bi, valor menor do que o realizado no início de 2015, que foi de R$ -69,9bi.

 

Responsável por convencer a presidenta Dilma a adotar a política econômica intervencionista e populista, que está destruindo as contas publicas e fazendo a economia tupiniquim entrar em depressão, Nelson Barbosa, ministro da Fazenda, que agora conversar com economistas de diferentes vertentes para tentar construir um consenso em torno das medidas necessárias para tirar o Brasil da crise.

 

Como a população brasileira está precisando de dinheiro, diante da disparada do desemprego, e como a aplicação rende menos que a inflação, em JAN/16 a caderneta de poupança teve saída líquida de R$ -12,03bi, o que representa o pior dado mensal da série histórica do BC, iniciada em 1995.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) entre 2015 e 2016 o país subiu duas posições no "índice de infelicidade econômica", que leva em conta as taxas de desemprego e inflação, atingindo assim o 9º lugar de uma lista com 63 países na qual o primeiro e mais infeliz do mundo é a Venezuela e (2) em JAN/16 a produção nacional de veículos leves e pesados recuou –29,3% na comparação com JAN/15.

 

Durante as eleições presidenciais de 2014 a presidenta Dilma, então candidata à reeleição, garantiu que iria dar "uma goleada nos pessimistas", porem mostrando que "os pessimistas ganharam de 7 a 0", (1) o PIB caiu –4,0% e o país segue em recessão, (2) a inflação ultrapassou o teto da meta de 6,5% e ficou acima de 10%, (3) a gastança do governo para subsidiar alguns setores criou um rombo nas contas públicas, (4) o país perdeu o selo de bom pagador, (5) o dólar disparou, (6) o congelamento do preço da gasolina comprometeu a Petrobras e (7) os fundos de pensão estatais foram utilizados politicamente para financiar projetos inviáveis, como a Sete Brasil, deixando o prejuízo para seus sócios.

 

Acreditando que a retração no mercado interno deve ser compensada pela alta do dólar, que facilita as exportações e torna as importações mais caras, o setor têxtil tupiniquim, cujo faturamento recuou –4% em 2015, espera crescer 5% neste ano de 2016.


Política:
 
Vendo a cadeia se tornar uma realidade cada vez mais próxima, o ex-presidente Lula, atualmente atingido pela maior crise desde que deixou a Presidência, está sendo aconselhado por aliados e integrantes do governo Dilma a adotar oficialmente a tese de que "recebeu de presente" a reforma feita no sítio que frequenta em Atibaia.

 

Com as contas publicas indo para o vinagre, o ministério da Fazenda que convencer a presidenta Dilma a antecipar para este ano a reforma que pretende fixar, a partir de 2017, um teto para o gasto público com um regime flexível de meta fiscal.

 

Apesar de dizer o contrário, o governo Federal está disposto a liberar emendas a deputados peemedebista que precisem de um "empurrão final" para apoiar Leonardo Picciani (RJ) à reeleição para a liderança do PMDB na Câmara.

 

De forma discreta, já que estava preocupado com os danos à sua imagem, ontem, depois de um longo período de expectativas, Haddad, o prefeito petista de SP, finalmente se reuniu com o ex-presidente Lula e com a cúpula do PT para tratar de sua campanha à reeleição.

 

Em 1 dos 6 inquéritos no Supremo Tribunal Federal que apuram seu envolvimento com a Lava Jato, Renan Calheiros, o peemedebista que é presidente do Senado, é investigado por ter solicitado ao dono da UTC, Ricardo Pessoa, R$ 1,5mi para financiar a campanha política de seu filho, Renan, ao governo de Alagoas, em troca da contratação da UTC para execução da obra da usina nuclear Angra 3.

 

Indicando que os paulistas estão tão fartos dos tucanos como estão dos petistas, segundo uma pesquisa interna encomendada pelo PSDB sobre a eleição municipal em SP, os candidatos tucanos aparecem apenas em quarto lugar em todos os cenários, com Ricardo Trípoli como o mais bem colocado entre os correligionários, com 7,2% das intenções de voto, seguido de João Doria com 5,9% e Andrea Matarazzo com 3,7%.


Crítica:
 
Tentando acabar com a farra do dinheiro fácil que foi criado com o desvirtuamento da Lei Rouanet, o Tribunal de Contas da União decidiu vetar o uso destes recursos para projetos culturais com "potencial lucrativo", como desfiles de moda em Paris e/ou shows do petista Chico Buarque, o que obviamente causará a maior transformação no segmento cultural brasileiro desde os anos 1990, fazendo com que quem consegue se bancar "deixe de mamar nas tetas caídas e cansadas do governo".

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário