R.B. 25/FEV/16 "Complicando ainda mais"


"Complicando ainda mais"

 

São Paulo, 25 de fevereiro de 2016 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando a trajetória ascendente das principais bolsas mundiais, beneficiada pela decisão da Petrobrás não ser mais a operadora única do pré-sal e influenciada positivamente pelo crescente aumento das chances de queda da presidenta Dilma e (2) o DÓLAR pode cair, testando o "suporte" dos R$ 3,95, seguindo a esperada melhora do "humor" na bolsa brasileira e a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,0%, reduzindo um pouco as perdas registradas na abertura, quando na mínima recuou -3,1%, diante da recuperação das commodities e das bolsas de NY, entretanto mantendo-se em território negativo ao longo de todo pregão, influenciada pela perda do grau de investimento pela Moody's e (2) o DÓLAR subiu 0,1% à R$ 3,97, revertendo quase todos os ganhos da abertura, quando na máxima avançou 1,2%, diante da avaliação de que o rebaixamento do País já era esperado e que isto pode inclusive ajudar a derrubar a presidenta Dilma.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,8%, com destaques de queda para as montadoras, como Honda (-2,0%) e SMC (-2,8%), prejudicadas pela valorização da moeda local (o iene) frente ao dólar e China 0,9%, diante da expectativa de que Pequim anuncie um programa para reformar estatais, (2) da EUROPA, Inglaterra -1,6%, França -2,0% e Alemanha -2,6%, pressionadas principalmente pelas ações das mineradoras, como BHP (8,4%), Anglo American (-9,6%) e Glencore (-10,1%), após o Citi cortar sua ''nota'' para o setor na Europa, e também prejudicas pelo anuncio de uma queda inesperada da confiança do consumidor e (3) dos EUA, revertendo as perdas da abertura, S&P 0,4%, DJ 0,3% e NASDAQ 0,9%, impulsionadas principalmente pelas petrolíferas, como Chevron (1,4%) e ExxonMobil (0,8%), diante da recuperação dos preços do petróleo, que fechou em alta de 3,4%.

 

Ontem, tardando mas não falhando, o Brasil perdeu o grau de investimento pela única das 3 principais agências que ainda conferia o selo de bom pagador ao país, a Moody's, que rebaixou sua "nota" para o país em dois graus de uma só vez alegando que fez isto por conta da forte piora dos indicadores econômicos e fiscais e da falta de progresso do governo em avançar nas reformas e ressaltando que se as coisas seguirem como estão novos rebaixamentos devem ocorrer.

 

Provando pela enésima vez que, por burrice ou maldade, a presidenta Dilma mente quando fala que os problemas são externos, após o rebaixamento do país pela Moody's, o Brasil, que agora está atrás até da Namíbia, passou a ter a pior "nota" entre os países dos Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) nas 3 maiores agências de classificação de risco e é o único que também perdeu o selo de bom pagador por todas elas.

 

Vivendo no pais da mentira, após o rebaixamento da "nota" do Brasil pela Moody's, (1) o Tesouro Nacional afirmou que não espera uma debandada de investidores nem grande impacto no custo da dívida e (2) a presidenta Dilma mandou sua equipe econômica dizer que o rebaixamento será temporário.

 

Dando mais um preocupante sinal negativo da economia brasileira, mesmo com a alta do dólar, que torna os produtos importados mais caros, o setor de máquinas e equipamentos, que já apresentou uma retração histórica de 14,4% em 2015, espera uma queda de até -6% nas vendas este ano.

 

Diante da alta dos juros, que na modalidade consumo subiu de 63,7% em JAN/15 para 66,1% ao ano em JAN/16, da disparada do desemprego, que já se aproxima dos 10%, e da redução do crédito, que encolheu -4,0% nos últimos 12 meses, a inadimplência para pessoas físicas subiu de 4,4% em JAN/15 para 5,4% em JAN/16.

 

Complicando a vida dos corruptos e tornando o Brasil um país um pouco mais sério, ontem, por 9 votos a 2, o Supremo Tribunal Federal decidiu que é constitucional a legislação que permite à Receita Federal acessar dados bancários sigilosos de pessoas físicas e jurídicas sem autorização judicial, alegando que isto representa uma transferência de sigilo bancário e não uma quebra.

 

-    A Petrobrás caiu -1,4%, porem ontem, após o fechamento do pregão, o governo, vendo que iria ser derrotado no Senado, abriu mão de manter a empresa como operadora única do pré-sal.


Política:
 
"Complicando ainda mais" as coisas para o governo Dilma e incluindo novos picaretas nas investigações, foi revelado ontem um bilhete escrito por Monica Moura, que está enjaulada juntamente com o marido João Santana (marqueteiro do PT), no qual ela solicita o deposito de US$ 4,5mi no exterior ao lobista Zwi Skornicki, que segundo "rumores" representa um estaleiro que está arrendado para a Petrobrás no RJ.

 

Ansioso para assumir o lugar da presidenta Dilma, ontem Michel Temer, o peemedebista que é vice-presidente da República, afirmou, com toda a razão, que o país precisa de uma injeção de otimismo e que a crise econômica pode ser resolvida pela integração entre o setor privado e o governo.

 

Preparando mais uma pizza, ontem, por unanimidade, o Conselho de Ética do Senado decidiu destituir o senador tucano Ataídes Oliveira, obviamente de oposição, da relatoria do processo de cassação contra o senador petista Delcídio do Amaral e agora um novo relator será sorteado apenas na próxima quarta-feira.

 

Em mais uma manobra protelatória para se manter politicamente vivo, o peemedebista Eduardo Cunha,  presidente da Câmara, antecipou ontem o horário das votações em plenário e, com isso, inviabilizou o funcionamento da sessão do Conselho de Ética que discutiria a "novela" da sua cassação de mandato por quebra de decoro parlamentar.

 

Comprovando mais uma vez que a presidenta Dilma está morta politicamente, segundo uma pesquisa divulgada ontem o governo da petista é considerado ruim por 62,4% dos entrevistados, seu desempenho pessoal é desaprovado por 73,9% e 67,8% acreditam que ela é culpada pela corrupção que está sendo investigada.

 

Mostrando pela primeira vez que Lula está morto politicamente, o referido petista perde nas pesquisas de um eventual segundo turno das eleições de 2018 em todos os cenários possíveis, sendo derrotado por Aécio com 40% a 27% do petista, por Marina com 36% a 26% do 9 dedos e até por Ciro Gomes por 29% a 28% do referido maior bandido da história do Brasil.

 

Como percebeu que se Dilma perder o mandado no TSE seu vice cairá junto, porem, se a presidenta perder o mandado no Congresso quem assume é o peemedebista Michel Temer, o PMDB, que em tese é um partido da base aliada, está muito próximo de apresentar um novo pedido de impeachment na Câmara.

 

Cada vez mais distante do partido, já que por medo do panelaço e por falta do que falar inclusive não apareceu no programa do partido, a presidenta Dilma, que não tolera mais os torpedos de petistas à sua agenda de recuperação econômica, já é dúvida na festa de aniversário do PT, que ocorrerá no sábado.


Crítica:
 
Ontem, no mesmo dia em que seu estádio, construído com dinheiro de corrupção pela Odebrecht, teve o desmoronamento do teto da sua entrada principal, o Corinthians, clube do coração do ex-presidente Lula, perdeu o contrato de patrocínio com a Caixa Econômica Federal, que tirava por ano R$ 30 milhões dos cofres públicos e colocava nos bolsos dos dirigentes do clube.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário