R.B. 8/JAN/16 "Secar a fonte"


"Secar a fonte"

 

São Paulo, 8 de janeiro de 2016 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, em um "voo de galinha" (que dura e sobe pouco), acompanhando o movimento de recuperação de perdas recentes das demais bolsas mundiais, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de queda e (2) o DÓLAR pode cair, também em um "ajuste técnico" após as fortes altas dos pregões anteriores, seguindo a esperada melhora do "humor" na bolsa brasileira, porem mantendo os R$ 4,00 como suporte.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –2,6%, para fechar no menor patamar do dia e no menor valor desde 30/MAR/09 (aos 40.694pts), acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais, diante do aumento dos temores com a China, e também prejudicada pelos novos sinais de que o governo Dilma está dando uma "guinada à esquerda" e (2) o DÓLAR subiu 1,0% à R$ 4,05, para fechar o pregão no maior patamar desde 29/SET/15, ainda acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela redução constante da confiança dos investidores com o Brasil.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –2,3%, no menor patamar desde OUT/15, com destaques de queda para as exportadoras, como Toyota (-2,6%) e Sony (-3,5%), prejudicadas pela valorização da moeda local (o iene) frente ao dólar e China –7,0%, em um pregão que durou pouco mais de 30 minutos, já que as preocupações com a saúde da economia do país fizeram o índice local cair tanto que o foi disparado um novo sistema de circuit breaker suspendendo os negócios, (2) da EUROPA, em mais uma sessão de fortes perdas, Inglaterra –2,0%, França –1,7% e Alemanha –2,3%, abaladas pela turbulência no mercado acionário chinês e pela persistente retração nos preços do petróleo e do minério de ferro, que derrubaram as ações das empresas dos referidos setores, como Shell (-2,9%), Total (-2,4%), Anglo American (-11,0%) e Glencore (-8,3%) e (3) dos EUA, com o DJ registrando o pior desempenho nas 4 primeiras sessões do ano (-5,2%) desde que este índice foi criado (em 1897), S&P –2,4%, DJ –2,3% e NASDAQ –3,0%, diante das expectativas de que a moeda chinesa (yuan) vá depreciar ainda mais e de que as autoridades da referida segunda maior economia do mundo estejam perdendo o controle sobre os mercados e sobre a confiança de uma maneira geral.

 

Segundo George Osborne, ministro britânico das Finanças, no "coquetel perigoso de novas ameaças" que a economia de seu país enfrenta em 2016, o Brasil, que segundo ele está em recessão e enfrenta uma grave crise política, é um dos principais ingredientes ao lado da China.

 

Como a China é a maior compradora de insumos e de alimentos do mundo, a rápida desvalorização da moeda do país (o yuan) e os solavancos nas suas bolsas, que interromperam negócios 2 vezes nesta semana, deram uma amostra do impacto potencial que uma desaceleração maior do que a esperada no crescimento da segunda maior economia do mundo terá nos países emergentes produtores de matérias-primas, como o Brasil.

 

No ano passado, registrando o primeiro resultado negativo desde 2005, os saques superaram os depósitos na caderneta de poupança em R$ 53,6bi e os motivos foram (1) aumento do desemprego, (2) queda da renda do trabalhador, (3) baixa remuneração desta aplicação (8,07%), que inclusive perdeu para a inflação (10,73%).

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) registrando a 21ª queda consecutiva, em NOV/15 a produção industrial recuou -2,4% na comparação com OUT/15 e –12,4% na comparação com NOV/14 e (2) ao longo de todo ano de 2015 a produção de carros novos e veículos pesados caiu -22,8% na comparação com 2014, voltando ao mesmo nível de 2006.

 

Apresentando a enésima prova da falta de capacidade gerencial do governo Dilma, que notoriamente é comandado por pessoas sem o mínimo conhecimento para o cargo que ocupam, nenhuma das linhas de transmissão de energia elétrica que serão licitadas neste ano, ligando novas usinas à rede nacional, deve entrar em operação no prazo considerado adequado para a segurança do abastecimento.

 

Afetando diretamente a pauta de exportação tupiniquim, segundo dados oficiais da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, em 2015 os preços globais de alimentos despencaram em média -19% na comparação com 2014, pressionados pela oferta abundante e pela desaceleração da economia global.

 

-    A Vale caiu 5,9%, já que a desvalorização da moeda chinesa, o yuan, prejudica as exportações da empresa.


Política:
 
Mostrando sua habitual falta de capacidade de comunicação, ontem, em sua primeira entrevista em 2016, a presidenta Dilma defendeu (1) a reforma da Previdência com a adoção de mecanismos para elevar a idade de aposentadoria, medida que foi imediatamente criticada pelo PT e por movimentos sociais e (2) que o ajuste fiscal é sua prioridade na economia e (3) a recriação da CPMF.

 

Mantendo a mesma linha que defende desde o inicio, ontem Marina Silva, terceira colocada nas últimas eleições presidenciais, afirmou que impeachment não é golpe, que a presidenta Dilma não tem mais liderança política no país e que o melhor caminho é o processo que está no Tribunal Superior Eleitoral, que pode resultar na cassação inclusive do vice, Michel Temer.

 

Indicando que a forma de corrupção independe da empresa, segundo mensagens apreendidas no celular do empreiteiro e ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, existem fortes indícios de reprodução do esquema de corrupção das fornecedoras da Petrobras em fundos de pensão e no FGTS, com pagamento de propina ao PT e PMDB.

 

Ainda sobre as mensagens do celular do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, a Polícia Federal descobriu que a referida empreiteira agendava viagens para o ex-presidente Lula ao exterior e pedia a ajuda dele para a realização de obras publicas.

 

Pressionando o presidente da Câmara, que tem a chave do impeachment, o Supremo Tribunal Federal, comandado por ministros que devem vestir a camisa do PT embaixo da toga, autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do peemedebista Eduardo Cunha, de sua mulher, Cláudia Cruz, de sua filha, Danielle Dytz da Cunha, além de pelo menos três empresas ligadas à família.

 

Atendendo a um pedido do governo, que vai economizar R$ 1,6bi com a medida, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, suspendeu um decreto legislativo aprovado em DEZ/15 pelo Congresso que garantia o pagamento do seguro-defeso, uma espécie de seguro desemprego para pescadores artesanais que ficam impedidos de exercer sua atividade durante a época da reprodução dos peixes.

 

Ministros do TCU afirmam que, se o governo não devolver à corte o direito de apitar nos acordos de leniência com as empreiteiras do petrolão, não só irão se negar a aprovar os acertos como abrirão processos independentes para apurar as irregularidades, o que atrasará muito o processo.


Crítica:
 
Mostrando mais uma vez que "o barato sai caro", a corretora TOV, conhecida por ter a corretagem mais barata do mercado financeiro brasileiro e por ser mais "flexível" no cumprimento das regras, entrou ontem, por determinação do BC, em liquidação extrajudicial, acusada de graves violações às normas legais.

 

Apesar de nunca ter trabalhado na vida, João Pedro Stédile, líder do grupo anarco-terrorista MST, alertou que "haverá mobilização contra o governo" se a reforma da Previdência encampada pela gestão da presidenta Dilma retirar benefícios dos trabalhadores do campo.

 

Atendendo à solicitação de um leitor, ao qual admito e respeito muito, vai abaixo uma importante e fundamental errada:

 

Alfredo, quem investiga tudo o que se refere a crimes que envolvam dinheiro, corrupção inclusive, não é a Polícia Federal, mas sim a Receita Federal, é ela quem está "cercando o Lula", quem está fazendo uma auditoria nos bens e recursos financeiros dele e de sua família, já que a PF não tem conhecimento técnico nem acesso a informações financeiras, fiscais e patrimoniais pra fazer isso.

 

Atualmente tudo que o governo Dilma quer é acabar com a reputação da Receita Federal para poder tirar sua autonomia, intervir e assim "secar a fonte" de informações e as investigações que são todas, sem exceção, realizadas pela Receita Federal e não pela Polícia Federal, que por sua vez só faz a parte que lhe compete como polícia (buscas e apreensões, interrogatórios, prisões, etc).


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário