R.B. 7/JAN/16 "Transformando o BIRC em ARIC"


R.B.

"Transformando o BIRC em ARIC"

 

São Paulo, 7 de janeiro de 2016 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ampliando a baixa já acumulada no ano (-3,6%), novamente prejudicada pela piora o cenário externo, já que as bolsas chinesas recuaram –7,0% nesta madrugada, e também influenciada pelos novos sinais de que o governo Dilma está dando uma "guinada à esquerda" e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, ainda acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela redução constante da confiança dos investidores com o Brasil.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,5%, para fechar o dia no menor patamar desde 31/MAR/09 (aos 41.773pts), influenciada negativamente pelas perdas das principais bolsas mundiais, diante do aumento das tensões geopolíticas, pela forte baixa das commodities e pela crescente falta de confiança no futuro do Brasil e (2) o DÓLAR subiu 0,7% à R$ 4,02, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e pressionada pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa brasileira.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão –1,0%, em meio a preocupações causadas pelo anúncio de que a Coreia do Norte realizou seu primeiro teste com uma bomba de hidrogênio e China 2,2–%, após o BC do país anunciar a injeção de U$ 20bi no mercado acionário, (2) da EUROPA, Inglaterra –1,0%, França –1,3% e Alemanha –0,9%, já que o aumento da tensão global, causado pelo teste nuclear feito pela Coréia do Norte, instaurou nos mercados um movimento generalizado de aversão ao risco e (3) dos EUA, acompanhando o mesmo motivo que derrubou quase todas as bolsas do mundo, para fecharem nos menores patamares desde OUT/15, S&P –1,3%, DJ –1,5% e NASDAQ –1,1%, com destaques de queda para as empresas do setor de energia, como Exxon (-3,6%) e Chevron (-3,8%), prejudicadas pela derrocada dos preços do petróleo, que fechou no seu menor nível em 11 anos.

 

Mostrando que a presidenta Dilma está 100% errada ao dizer que a crise brasileira é fruto do cenário externo, segundo um relatório divulgado ontem pelo Banco Mundial, enquanto na média o mundo crescerá 2,9% este ano, a economia brasileira terá contração de -2,5% em 2016, apresentando o pior desempenho entre os 23 maiores países do mundo.

 

Ajudando a piorar a situação do Brasil, Stanley Fischer, vice-chairman do Fed ("BC" dos EUA), afirmou ontem que espera que a referida autoridade monetária norte-americana eleve a taxa básica de juros do país pelo menos 4 vezes neste ano.

 

Confirmando mais uma vez que o governo Dilma já começou a dar uma "guinada à esquerda", que certamente afundará ainda mais a economia do país, com a primeira reunião do Copom se aproximando, um grupo cada vez maior de petistas aconselha a presidenta Dilma a pressionar o BC para que este sinalize queda, e não alta, da taxa de juros.

 

"Transformando o BIRC em ARIC", enquanto a presidenta Dilma prefere se reunir com cocaleiros da Bolívia e ditadores da Venezuela, Mauricio Macri, recém-chegado ao cargo de presidente da Argentina, prepara um forte aceno aos mercados internacionais, já que, após 12 anos de ausência de seu país, avisou que participará pessoalmente do Fórum Econômico de Davos, que ocorrerá na Suíça no fim deste mês.

 

Finalmente apresentando uma notícia positiva, que pode ajudar a segurar a inflação, a conta de luz no Brasil pode ser reduzida em aproximadamente 10% a partir de FEV/16, pois de acordo com as previsões feitas pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica todas as usinas termelétricas, que produzem eletricidade mais cara, poderão ser desligadas no próximo mês.

 

Ressaltando que não existe um "coelho na cartola", Jaques Wagner,  ministro-chefe da Casa Civil, afirmou que o governo federal não elabora o lançamento de um pacote de medidas no início deste ano para retomar o crescimento econômico.

 

Queimando reservas internacionais para tentar, sem sucesso, segurar a cotação do dólar, no ano passado as intervenções do BC tupiniquim no mercado cambial geraram gastos de R$ 89,7bi, contribuindo para aumentar substancialmente a dívida pública brasileira.

 

Como o BC queimou reservas internacionais, a Petrobrás simulou exportações de plataformas de petróleo e a balança comercial apresentou superávit por conta da forte baixa das importações (-24% em 2015), no ano passado a entrada de dólares no Brasil superou a saída em US$ 9,4bi.

 

Frustrando as expectativas do setor, que projetava um crescimento de 26%, no ano passada as vendas do comercio eletrônico tupiniquim registraram um aumento de 22% na comparação com 2014, atingindo um faturamento foi de R$ 48,2bi, com valor médio de compra de R$ 31,00.

 

-    A Petrobrás caiu –4,2%, acompanhando a derrocada internacional do preço do petróleo, que recuou -6% e fechou abaixo de US$ por barril pela primeira vez desde 2004, diante do anúncio de um aumento acentuado nos estoques de gasolina dos EUA.


Política:
 
Enquanto a Polícia Federal cerca o maior bandido da história do Brasil, ontem a Receita Federal, comandada por petistas e fechando os olhos para os bilionários da família do ex-presidente Lula, divulgou um relatório apontando indícios de aumento patrimonial incompatível com os rendimentos do presidente da Câmara, o peemedebista Eduardo Cunha, de sua mulher, Cláudia Cruz, e de sua filha Danielle Dytz da Cunha.

 

Atuando como primeiro ministro, diante do crescente desgaste da relação entre PT e governo, o ex-presidente Lula determinou, durante uma reunião com a presidenta Dilma, que Planalto e partido diminuam as rusgas e evitem o enfrentamento público para que o mal-estar não contamine ainda mais a crise no país.

 

Escondido e discretamente, como se fosse um "cidadão diferenciado", ontem, por cerca de 6 horas, Lula prestou depoimento à Polícia Federal, em Brasília, em um inquérito referente à Operação Zelotes, que investiga o pagamento de propina, paga para a empresa de fachada do filho do referido ex-presidente, em troca da aprovação de 3 medidas provisórias que concediam benefícios fiscais ao setor automotivo.

 

Buscando uma neutralidade do Planalto na disputa pela presidência do PMDB, que ocorrerá em MAR/16, o vice-presidente Michel Temer, que é presidente do PMDB e quer continuar no cargo, decidiu tirar o pé do acelerador do impeachment.


Crítica:
 
Aumentando a insegurança no mundo a Coreia do Norte, que é comandada por um ditador maluco, anunciou que testou com sucesso um artefato nuclear de hidrogênio em tamanho reduzido, o que se for verdade é um avanço significativo em suas capacidades de ataque, aciona um sinal de alerta no Japão e na Coreia do Sul e obriga dos EUA, que comanda o Conselho de Segurança da ONU, a finalmente se mexer e tomar uma atitude enérgica.

 

Revelando mais uma vez a incompetência de um governo, que é incapaz até de administrar um simples site, um novo erro no sistema eSolcial está impossibilitando a emissão da guia de recolhimento de impostos referente ao salário dos empregados domésticos de DEZ/15.

 

Repetindo o discurso bolivariano de Lula, Nicolas Maduro, presidente/ditador da Venezuela, sugeriu que o parlamento convoque um referendo pra que os venezuelanos decidam se querem que ele saia do poder, porem ressaltou que sua permanência no comando do país é fundamental para a garantia da paz e da ordem.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário