R.B. 12/JAN/16 "Das ultimas 9 previsões de crise global o mercado acertou 5"


"Das ultimas 9 previsões de crise global o mercado acertou 5"

 

São Paulo, 12 de janeiro de 2016 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando recuperar perdas recentes, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de queda, principalmente por conta das perspectivas negativas para a economia brasileira e (2) o DÓLAR pode cair, em um "ajuste técnico", seguindo a esperada leve melhora do "humor" na bolsa brasileira e assim brindo uma oportunidade de compra próxima dos R$ 4,00.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,6%, para fechar o dia abaixo do "suporte" dos 40.000pts (aos 39.950pts) e no menor patamar desde 17/MAR/09, influenciada pelo recuo internacional das commodities, acompanhando as perdas da bolsa chinesa e prejudicada principalmente por novas ideias estapafúrdias da equipe econômica da presidenta Dilma e (2) o DÓLAR subiu 0,6% à R$ 4,06, para fechar na máxima do dia, revertendo uma abertura negativa, quando na mínima atingiu R$ 4,00, para seguir a trajetória internacional da moeda norte-americana, também impulsionado pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa brasileira.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão não teve pregão por conta de feriado local e China -5,3%, em meio a preocupações com a economia local, após a divulgação de dados fracos de inflação, que recuou pelo 46º mês consecutivo, (2) da EUROPA, devolvendo os ganhos da abertura, Inglaterra -0,7%, França -0,5% e Alemanha -0,2%, sucumbindo às preocupações com a China e com a persistente retração nos preços das commodities, que por sua vez derrubou as ações das petrolíferas, como Shell (-1,5%) e Statoil (-2,8%), e das mineradoras, como Glencore (-5,2%) e Rio Tinto (-2,4%) e (3) dos EUA, recuperando quase todas perdas da abertura, S&P 0,1%, DJ 0,3% e NASDAQ –0,1%, em dia marcado por nova queda forte dos preços do petróleo e pelo início da temporada de divulgação de balanços, com os analistas prevendo que os lucros das empresas listadas no S&P-500 fiquem em média -5,5% abaixo dos de um ano atrás, pressionados pelo desempenho das companhias dos setores de energia e materiais.

 

-    "Das ultimas 9 previsões de crise global o mercado acertou 5", porem, mesmo assim o forte recuo das commodities e a instabilidade da China tem preocupado cada dia mais os investidores globais.

 

Cada dia mais pessimista, o "mercado", já percebendo e temendo a "guinada à esquerda" do governo Dilma, reduziu, desta vez de –2,95% para –2,99%, suas "apostas" para o desempenho do PIB brasileiro em 2016 e elevou, de 6,87% para 6,93%, suas projeções para o IPCA deste ano, patamar cada vez mais distante do topo da meta do BC (6,5%).

 

Ressaltando que a recessão tupiniquim atual começa a assumir aspectos de depressão econômica, em que as ações de estímulo passam a não ter o resultado esperado, Zeina Latif, economista-chefe da XP Investimentos, afirmou ontem que o desempenho da economia brasileira neste ano poderá ser pior do que o de 2015, quando houve retração estimada em 3,7%.

 

Enquanto o governo Dilma se preocupa em ajudar quem não trabalha e vive às custas do dinheiro publico, o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal divulgou ontem um estudo mostrando que os contribuintes brasileiro estão pagando mais Imposto de Renda do que deveriam, já que segundo o órgão, como a inflação do ano passado chegou a 10,67%, a defasagem na tabela do IR, cuja correção dos últimos 20 anos não acompanhou o mesmo ritmo, chegou a 72,2% em 2015.

 

Confirmando mais uma vez que a bolha imobiliária tupiniquim está desinflando rápido, nos 9 primeiros meses do ano passado , por conta da alta dos juros, do aumento do desemprego e da desaceleração da economia, de cada 100 imóveis vendidos 41 foram devolvidos.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira (1) as vendas de materiais de construção encerraram 2015 com queda de -12,6% em relação ao ano anterior, isto sem considerar a inflação de 10,68% no período, recuando ao nível registrado em 2007 e (2) ontem a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) anunciou que se prepara para desligar o alto forno 2 da usina Presidente Vargas, em Volta Redonda (RJ), e que já iniciou as primeiras demissões dos 3 mil funcionários que possui no sul fluminense, o que aliás indica que a taxa de desemprego do país (atualmente em 8,4%) ainda vai subir bastante este ano.

 

Com o governo Dilma matando rapidamente o mercado de capitais tupiniquim, no ano passado a captação de recursos nos mercados de capitais por empresas brasileiras (por meio de instrumentos como debêntures, notas promissórias e ações nos mercados doméstico e internacional) recuou para o montante mais baixo dos últimos 7 anos, atingindo R$ 124,8bi, o que representa uma queda de -49,7% em relação a 2014.

 

-    A Petrobrás caiu –2,9%, para fechar o dia no menor patamar desde 28/ABR/03, acompanhando a trajetória internacional do petróleo e "pagando a conta" dos roubos causados pelos petistas na empresa.


Política:
 
Mostrando mais uma vez que ''se gritar pega ladrão não sobra um'', Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobras, revelou para a Procuradoria-Geral da República, fora do acordo de delação premiada, que a venda da petrolífera Pérez Companc, que ocorreu em 2002, envolveu pagamento de propina no valor de US$ 100mi ao governo do ex-presidente tucano FHC.

 

Segundo o brasilianista britânico Kenneth Maxwell, fundador do programa de estudos brasileiros da universidade de Harvard, o país falhou ao tentar buscar um papel internacional efetivo nos últimos anos, e agora sofre as consequências de uma crise internacional sobre a qual não tem controle, principalmente por conta de suas "políticas populistas".

 

Cada dia mais dominada pelo PT, a eleição para a presidência do Conselho Federal da OAB, que ocorrerá no dia 31/JAN/16, terá como candidato único o advogado gaúcho Claudio Lamachia, 55, atual vice-presidente da entidade, que alcançou o apoio das 27 seccionais da Ordem.

 

Mostrando-se fiel ao PT, ou quem sabe simplesmente com medo de morrer, o senador Delcídio do Amaral, líder do governo no Senado e atualmente preso na Operação Lava Jato, "mandou sua equipe de defesa avisar" que não firmará acordo de delação premiada.

 

Como está nas mãos do legislativo, já que o governo federal atua para arquivar pedido de impeachment na Câmara, ontem a presidenta Dilma fez um elogio público a corrupto e ineficiente o Congresso Nacional brasileiro, ressaltando seu "compromisso com a retomada do crescimento econômico do país".


Crítica:
 
Enquanto a presidenta Dilma viaja o mundo com comitivas gigantescas, muitas vezes usando até mais de um avião presidencial com custo caríssimo para os pagadores de impostos, Macri, o novo presidente da Argentina, já "avisou" que vai aposentar o velho avião presidencial argentino e fará sua primeira viagem internacional de linha aérea, como qualquer cidadão faria.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso site: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário