R.B. 9/DEZ/15 "Vendido para o governo Dilma"


R.B.

"Vendido para o governo Dilma"

 

São Paulo, 9 de dezembro de 2015 (QUARTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ainda influenciada negativamente pela piora do "humor" nas principais bolsas mundiais, pela intensificação das tensões políticas no Brasil e pelo recuo das commodities e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, rumo aos R$ 3,85, impulsionado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa brasileira e afugentar ainda mais os investidores externos do Brasil.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,7%, acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais, prejudicada pelo recuo das commodities, pressionada pela divulgação de dados econômicos ruins na China e também influenciada negativamente pelas incertezas no campo político tupiniquim e (2) o DÓLAR subiu 1,1% à R$ 3,80, revertendo uma abertura negativa, na qual chegou a atingir R$ 3,77, para fechar o dia em alta e seguindo os mesmos motivos que causaram a piora do "humor" na bolsa brasileira.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –1,0%, com destaques de queda para as ações de grandes empresas exportadoras, como a montadora Toyota (-1,3%) e a fabricante de eletrônicos Sony (-1,6%) e China –1,9%, pressionada principalmente pela baixa das ações de empresas do setor de energia, (2) da EUROPA, Inglaterra –2,2%, França –1,6% e Alemanha –1,9%, com destaques de queda para as ações das mineradoras, como Anglo American (-9,5%), BHP (-5,6%),  Antofagasta (-3,8%) e Rio Tinto (-8,4%), já que o minério de ferro caiu para abaixo dos US$ 40 e não há evidência de melhora à frente e (3) dos EUA, S&P –0,6%, DJ –0,9% e NASDAQ –0,1%, também prejudicadas pelo recuo das commodities ao redor do mundo e pelos dados piores do que o esperado da balança comercial chinesa.

 

Mostrando um grande pessimismo com o futuro brasileiro, David Beker, chefe de economia e estratégia no Brasil do Bank of America, afirmou que o pais enfrenta a mais longa recessão da história e sem sinais de reversão desse quadro, ressaltando que o desemprego, que dobrou em pouco tempo, deverá continuar subindo, e que a perda do grau de investimento, já retirado pela S&P, não deverá tardar nas outras 2 agências de classificação de risco.

 

Afetando bastante o Brasil e espalhando pessimismo pelos mercados, dados divulgados ontem na China indicaram desaceleração da economia local, que é a segunda maior do mundo, já que em NOV/15 as exportações do país tiveram queda anual de -6,8% na comparação com OUT/15 e as importações recuaram -8,7% na mesma base de comparação.

 

Dando 3 novos sinais negativos da economia brasileira, (1) a construção civil tupiniquim teve seu pior resultado desde 2003, com queda de 8,3% no PIB do setor no acumulado dos últimos 3 trimestres, (2) em OUT/15, a indústria de SP, que tem o maior parque fabril do país, produziu -0,4% menos do que em SET/15 e –4,6% menos do que em OUT/14, atingindo o menor patamar desde MAI/04 e (3) entre MAI/15 e OUT/15 o número de acessos de telefonia móvel no país caiu de 284 milhões para 274 milhões, um decréscimo de quase -4%.

 

Confirmando que o Brasil vai demorar para ter competitividade, ontem, após assinar a prorrogação de contratos de concessão de distribuidoras de energia, Eduardo Braga, ministro de Minas e Energia, afirmou que as tarifas do setor, que nos últimos 12 meses já subiram em média 52,3%, só devem cair e voltar a níveis competitivos em 2018.

 

Fazendo negócios com economias insignificantes, enquanto ignora e é ignorado pelas grandes economias do mundo, ontem o Brasil fechou um acordo de livre-comércio no setor automotivo com o Uruguai, que consome por ano cerca de 60 mil veículos, contra cerca de 3 milhões no Brasil.

 

Após o minério de ferro cair abaixo de US$ 40, as principais mineradoras do mundo anunciaram planos de reestruturação, como a Anglo American, que divulgou um corte de 85 mil empregos, venda de ativos, grandes reduções de custos e a suspensão no pagamento de dividendos.


Política:
 
Após a Câmara, em uma sessão tumultuada, escolher, por 272 votos a 199, uma chapa contrária às pretensões do governo para analisar o processo de impeachment da presidenta Dilma, Luiz Edson Fachin, ministro Supremo Tribunal Federal que já fez campanha política para o PT, decidiu suspender o andamento do processo contra a referida petista.

 

Deixando todos os petistas muito preocupados, o senador-presidiário-Delcidio do Amaral, que é do PT, anunciou ontem que decidiu partir para um acordo de delação premiada e que para isto contratou o advogado Antonio Augusto Figueiredo Basto, que cuidou da delação de mais de uma dezena de acordos de delação na operação Lava Jato, entre eles o de Alberto Youssef.

 

Se baseando na Lei 1.079/50, que regula o impeachment, e cujo capítulo 5º, artigo 9º, inciso 7 diz que perde o cargo o governante que proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo, será protocolado hoje na Câmara dos Deputados mais um pedido de cassação de mandado de Dilma, desta vez alegando "pedaladas mentais" da referida presidenta.

 

"Vendido para o governo Dilma", o deputado peemedebista Leonardo Picciane, atualmente líder do PMDB na Câmara, deve ser destituído do cargo ainda hoje, inclusive com a ajuda do vice-presidente Michel Temer, que conseguiu a assinatura de 40 deputados do partido (de um total de 66) favoráveis a sua substituição por Leonardo Quintão, que por sua vez apoia o impeachment da presidenta.

 

Hoje, se tudo correr como planejado, Dilma  e Michel Temer vão se encontrar pessoalmente e certamente o principal assunto da reunião será a estratégica carta enviada pelo peemedebista para a petista, porem, para apimentar ainda mais este encontro, ontem foi divulgado que o referido ex-presidente já desenha, articula e formata a equipe de seu eventual futuro governo, que teria como homem forte da economia Henrique Meirelles, José Serra no Ministério do Planejamento e Nelson Jobim no Ministério da Justiça.


Crítica:

 

Tirando do bolso e principalmente do futuro de quem trabalha para dar casa própria principalmente para vagabundos, o governo Dilma decidiu tirar R$ 8,1bi do FGTS para repassar o dinheiro, a fundo perdido, para as construtoras que participam do programa Minha Casa Minha Vida.

 

Se abrindo cada vez mais rapidamente para o mundo capitalista, ontem a China, com o objetivo claro de trazer mais dinheiro para o país, relaxou algumas regulações sobre o investimento estrangeiro em mercados locais de capital, tornando mais fácil a transferência de recursos entre produtos.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário