R.B. 10/DEZ/15 "Um pouco de vergonha na cara"


R.B.

"Um pouco de vergonha na cara"

 

São Paulo, 10 de dezembro de 2015 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, mantendo a volatilidade dos últimos dias, para ampliar a baixa acumulada no ano (-7,8%) diante dos "rumores" de que as agencias de classificação de risco Fitch e Moody's devem retirar em breve o grau de investimento do Brasil, porem é bom alertar que quando isto ocorrer a bolsa tupiniquim ficará muito atraente para investimentos de longo prazo e (2) o DÓLAR pode subir, recuperando uma parte da forte da forte queda do pregão anterior, influenciado pelo mesmo motivo que deve derrubar a bolsa brasileira.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 3,7%, na contramão do desempenho das bolsas de NY, com bom volume de negócios (R$ 7,8bi) e praticamente apagando a queda das últimas 3 sessões, com destaques de alta para as estatais, como Petrobrás (7,3%) e Banco do Brasil (10,2%), beneficiadas pelo o aumento das chances de impeachment da presidenta Dilma e (2) o DÓLAR caiu –1,4% à R$ 3,75, apesar da valorização internacional da moeda norte-americana, já que foi influenciado pelo mesmo motivo que impulsionou a bolsa brasileira, o que confirma que "o que é ruim para o governo é bom para o mercado".

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –1,0% (no menor patamar desde o começo de 6/NOV/15) e China –0,2%, com o sentimento negativo gerado pela tendência de queda das commodities, como o petróleo e o minério de ferro, prevalecendo sobre dados positivos das economias locais, (2) da EUROPA, Inglaterra –0,2%, França –0,9% e Alemanha –0,8%, com os investidores procurando uma direção em meio à volatilidade do mercado de commodities e a valorização do euro frente ao dólar, o que aliás prejudicou as exportadoras, como Adidas (-2,7%), Bayer (-2,0%) e Accor (-3,1%) e (3) dos EUA, em queda pela terceira sessão consecutiva, S&P –0,8%, DJ –0,4% e NASDAQ –1,5%, com as petrolíferas prejudicadas pelo novo recuo dos preços do barril de petróleo, após o Departamento de Energia do país anunciar um crescimento de 423 mil barris nos estoques, e com destaque negativo para as ações da Lululemon Athletica (-13,%), após a rede de varejo de materiais esportivos cortar sua previsão de receita para o ano.

 

Finalmente mostrando "um pouco de vergonha na cara", ontem, após o fechamento do pregão, a agência de classificação de risco Moody's alertou que, diante da rápida deterioração econômica, fiscal e política do país, o Brasil está à beira de perder o grau de investimento, já que colocou a nota do país em observação para breve rebaixamento.

 

Conforme já se esperava, acabando com a aplicação mais atraente da atualidade, Joaquim Levy, ministro da Fazenda, confirmou ontem que o governo Dilma quer alterar a tributação de alguns investimentos, em uma referência ao projeto em estudo desde o começo do ano para acabar com a isenção para LCA e LCI, ressaltando que essa medida faz parte das iniciativas para trazer equilíbrio da tributação em todos os níveis de renda.

 

Apesar de provavelmente ter "pago muito bem", o governo Dilma teme que a agência de classificação de risco Fitch retire do Brasil o selo de bom pagador do Brasil até o próximo mês, o que deve gerar uma nova debandada de moeda estrangeira do país, fazendo o dólar superar facilmente os R$ 4,00 e obrigar o BC tupiniquim a elevar a taxa básica de juros do país.

 

Dando mais um claro e preocupante sinal negativo da economia tupiniquim, apresentando o primeiro recuo desde 2006, nos 9 primeiros meses deste ano o número de trabalhadores empregados no setor de telemarketing caiu -3,4% na comparação com o mesmo período de 2014.

 

Confirmando que a economia brasileira está cada vez pior, mesmo com o PIB de 2015 projetando retração de quase –4,0% este ano, o que em tese reduziria as pressões inflacionárias, o IPCA de NOV/15, puxado pela alta dos preços dos alimentos e dos combustíveis, indicou que a inflação oficial brasileira dos últimos 12 meses está em 10,48%, o que representa o maior patamar desde NOV/03.

 

Beneficiando os caloteiros e ajudando a elevar ainda mais a taxa de juros cobrada dos consumidores honestos, ontem o Tribunal de Justiça de SP decidiu, por 13 votos a favor e 11 contra, que é improcedente o recurso do comércio paulista que pedia a suspensão da lei paulista que só permite incluir na lista "suja" o nome de devedores inadimplentes após estes serem notificados por carta com aviso de recebimento (AR).

 

Como fruto da enorme e crescente falta de credibilidade do atual governo brasileiro, o primeiro leilão de terminais portuários ocorrido após a nova regulação do setor teve pouca competição e arrecadou para o caixa do Tesouro apenas R$ 430mi, patamar bem abaixo do esperado (R$ 640mi).

 

Empurrando o problema com a barriga, com o objetivo de segurar artificialmente a inflação, o Ministério de Minas e Energia decidiu manter inalterado, até o fim de 2016, o volume de energia que as usinas são autorizadas a vender a distribuidoras e grandes consumidores, o que afetará ainda mais a saúde financeira destas empresas.

 

A Volkswagen está em um ótimo patamar para compras na bolsa da Alemanha, após anunciar que seus problemas quanto a emissões de dióxido de carbono são muito menos graves do que se temia, em uma rara boa notícia para a montadora de automóveis alemã atingida por uma sucessão de escândalos.

 

-    A Petrobrás subiu 7,3%, porem ontem, após o fechamento do pregão, a agência de classificação de risco Moody's anunciou que rebaixou pela terceira vez neste ano sua "nota" para a empresa, alegando riscos financeiros associados ao cenário de preços do petróleo.


Política:
 
Ontem, coincidentemente após Lula afirmar que se preciso for sai às ruas para defender o mandato de Dilma, o que aliás é mais uma grande mentira já que o referido ex-presidente está com medo de ser hostilizado e atualmente só fala para plateias fechadas e compradas, a justiça Federal acolheu o pedido do Ministério Público Federal e determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal da empresa LFT Marketing Esportivo, pertencente a seu filho Luis Claudio Lula da Silva e a seu ex-ministro e ex-chefe do gabinete pessoal Gilberto Carvalho, que atualmente tem uma boquinha como presidente do conselho nacional do Sesi.

 

Na noite de ontem, para tratar da fatídica carta, Dilma recebeu seu vice Michel Temer para uma reunião de 45 minutos no Palácio do Planalto e, após o encontro, o vice-presidente afirmou que ficou acertado que a relação entre eles será a mais fértil possível e a presidenta, para mostrar que também sabe falar difícil, mandou avisar que terá com o peemedebista uma relação profícua.

 

Acabando de forma vergonhosa a sombria era Kirchner, Cristina Kirchner, que não conseguiu colocar em orbita um foguete para marcar seu ultimo dia na presidência, deixou ontem o governo da Argentina e anunciou que não vai passar faixa para seu sucessor, Mauricio Macri, que assume um pais cujo BC está quase sem reservas.

 

Com o apoio do vice-presidente Michel Temer, que inclusive afirmou ontem que o impeachment tem fundamento, o peemedebista Leonardo Picciani , totalmente alinhado com o governo, foi retirado, com o voto da grande maioria de seus correligionários, do posto de líder do PMDB na Câmara, o que obviamente aumente de forma considerável as chances de queda da presidenta Dilma.

 

Com a ausência do presidente do diretório, Gabriel Chalita, que também quer ser candidato, o PMDB de SP reuniu seu diretório municipal com Marta Suplicy para começar a discutir, segundo um dos dirigentes, propostas para a possível candidatura da senadora a prefeita da maior cidade do país.

 

-    Apenas 1 dia após Michel Temer jantar com Marcos Pereira, o presidente nacional do PRB, partido que controla o Ministério do Esporte, a sigla, que tem 20 deputados, já ameaça deixar o governo reclamando que "tem a caneta, mas não a tinta".

-    Tratando como idiotas os eleitores e seus colegas parlamentares, ontem mais uma vez Eduardo Cunha, presidente da Câmara, manobrou o regimento do Congresso para adiar o andamento do seu processo de impeachment.


Crítica:

 

A justiça brasileira investiga anualmente cerca 26.000 casos de corrupção e, segundo a ultima pesquisa divulgada, pela 1ª vez corrupção é vista como maior problema do país para a maioria dos brasileiros (34%), que por sua vez continuam cometendo seu delitos, como roubas sinal de TV à cabo, falsifica carteirinha de estudante, colar na prova, bater ponto pelo colega, apresentar atestado médico falso, comprar produtos piratas e até furar fila.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário