R.B. 3/DEZ/15 "Repetindo Mario Amato"


R.B.

"Repetindo Mario Amato"

 

São Paulo, 3 de dezembro de 2015 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, comemorando o inicio do processo de impeachment da presidenta Dilma, que no curto prazo pode acelerar votações importantes no Congresso e que no médio prazo, se aprovado, vai fazer retornar a confiança no futuro do país e (2) o DÓLAR pode cair, acompanhando a esperada melhora do "humor" na bolsa brasileira, porem deve-se ressaltar que a tendência da moeda norte-americana permanece sendo de alta por conta da esperada elevação dos juros nos EUA.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,3%, para romper o suporte dos 45.000pts e assim fechar o dia no menor patamar desde 22/SET/15 (aos 44.914pts), acompanhando as perdas das bolsas de NY, influenciada negativamente pelo recuo das commodities e ainda prejudicada pela constante piora da economia e da política no Brasil e (2) o DÓLAR caiu –9,9% à R$ 3,83, após um pregão com bastante volatilidade, já que na mínima atingiu R$ 3,82 e na máxima bateu R$ 3,88, com os investidores animados com a apreciação da meta fiscal de 2015 por deputados e senadores.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão –0,4%, voltando a ficar abaixo da barreira psicológica dos 20.000pts, à medida que os investidores preferiram garantir lucros e evitar riscos antes de importantes eventos previstos na semana e China 2,3%, em meio a rumores sobre planos do governo local de conceder novos incentivos ao setor imobiliário, (2) da EUROPA, também sem uma tendência única, Inglaterra 0,4%, sustentada pelos ganhos das farmacêuticas, como GlaxoSmithKline (2,0%) e AstraZeneca (1,5%), porem revertendo uma abertura positiva, França –0,2% e Alemanha –0,6%, com as incertezas dos investidores sobre o próximo passo do BC Europeu, que informa hoje sua decisão de política monetária para o bloco e (3) dos EUA, S&P –1,1%, DJ -0,9% e NASDAQ –0,6%, já que a divulgação de dados econômicos positivos da economia do país e as declarações de membros da equipe econômica consolidaram as "apostas" de que a taxa básica de juros norte-americana subirá na reunião do Fed ("BC" local) deste mês de DEZ/15.

 

Comemorando o que classificou como uma "recuperação significativa" da economia dos EUA, ontem Janet Yellen, a presidente do Fed ("BC" norte-americano) reforçou a expectativa de aumento dos juros da maior economia do mundo em DEZ/15, já que também citou dados positivos do mercado de trabalho, demonstrou confiança na elevação da inflação e  alertou para os riscos de adiar mais uma vez a decisão.

 

Preocupados com a repercussão do aprofundamento da crise política sobre uma economia que já caminha para uma retração de –4% neste ano e de -3% em 2016, os principais empresários do país avaliam a economia brasileira pode ser a maior vítima da guerra declarada entre Dilma e Eduardo Cunha, que lutam com todas as armas para evitar seus respectivos impeachment.

 

Repetindo Mario Amato, o prestigiado empresário que afirmou em 1989 que se Lula ganhasse a eleição daquele ano 800 mil empresários deixariam o país, Paulo Skaf, presidente da Fiesp, afirmou ontem, ao apresentar impactos da recessão econômica na indústria e no emprego neste ano, que ou o governo muda e tenta retomar a confiança dos consumidores e dos investidores ou é melhor arrumar as malas e cair fora do Brasil.

 

-    Apostando à longo prazo no Brasil, André Araújo, presidente da Shell no país, afirmou ontem que a empresa mantém o cronograma nacional de investimentos em áreas de exploração e produção de petróleo, apesar da queda das cotações internacionais.

 

Deixando mais uma vez o Brasil de lado, o que em parte é causado pelo país ter uma presidenta que não consegue negociar ou até simplesmente conviver nem com seus correligionários, ontem, depois de longos 10 anos de negociação, A China e a Austrália assinaram um acordo que engloba a esfera comercial, de serviços e de investimento mútuos e cujo objetivo é elevar ainda mais o nível de integração entre essas duas economias complementares, prevendo uma série de benefícios de acesso a produtos australianos ao mercado chinês.

 

-    O BTG caiu –1,5%, após a agencia de classificação de risco S&P rebaixar a nota do banco e também após os principais sócios tirarem André Esteves do controle.

-    A BRF caiu –0,1%, mesmo após anunciar aquisições de empresas no Reino Unido, Argentina e Tailândia por uma soma total equivalente a cerca de US$ 496mi, dando prosseguimento a estratégia de globalizar suas operações.


Política:
 
Mostrando-se indignada e também descontrolada, ontem, após o anuncio de início do seu processo de impeachment, a presidenta Dilma foi à TV dizer que não tem conta no exterior, que não pesam contra ela denúncias de práticas de atos ilícitos nem de desvio de dinheiro público, que nunca coagiu pessoas nem instituições em busca de satisfazer seus interesses pessoais e que não barganhou votos no Conselho de Ética da Câmara para evitar a abertura de processo de perda de mandato contra Eduardo Cunha.

 

Ontem, no mesmo dia em que a presidenta Dilma enfrentou a até então pior derrota política da sua vida, com o acolhimento do pedido de impeachment, foi aprovada a nova meta fiscal de 2015, por 314 votos a favor e 99 contra, com isto o governo ganhou o aval do Congresso para acumular um saldo negativo de R$ –119bi nas contas públicas este ano.

 

Com os "nobres parlamentares" ainda "trabalhado duro" para trazerem impunemente o fruto da corrupção deles do exterior, o projeto de repatriação de recursos depositados por brasileiros no exterior e não declarados à Receita Federal, que é tida como uma das principais propostas para ajudar o governo a recuperar o caixa da União,  foi aprovado ontem em uma comissão especial do Senado e agora segue para votação em regime de urgência no plenário da Casa, onde deverá ser analisado na próxima semana.

 

Havia rumores de que o PSDB se conformara com o papel de coadjuvante até 2018, desde que o PMDB cedesse o lugar na próxima eleição, porem agora que Eduardo Cunha colocou em pauta o processo de impeachment de Dilma, não se sabe o que restará do boato diante do fato.

 

Mostrando como anda quente e pesado o clima na mais importante corte do país, ontem um simples julgamento sobre a falta de vagas no sistema prisional descambou para um bate-boca no plenário do Supremo Tribunal Federal entre o presidente da corte, ministro Ricardo Lewandowski, e o ministro Gilmar Mendes.

 

Sorrateiramente, na terça-feira passada, véspera do anúncio do acolhimento do pedido de impeachment da presidenta Dilma, o vice-presidente Michel Temer, do PMDB, recebeu em sua residência oficial, em Brasília, 7 senadores da oposição para discutir o rito de afastamento da petista, entre eles os tucanos Serra e Aloysio Nunes, o democrata Agripino Maia e o peemedebista Waldemir Moka.


Crítica:

 

Mostrando novamente que a presidenta Dilma mentiu ao dizer a semana passada na Conferencia Global sobre o clima que o Brasil está reduzindo o desmatamento, a vegetação nativa mais ameaçada pela expansão do agronegócio no país atualmente é o cerrado, onde apenas neste ano o desmatamento cresceu 61,6%.

 

Ao mesmo tempo em que abre suas fronteiras para refugiados despreparados e aprova projetos para repatriação de dinheiro não declarado, o Brasil mais que triplicou (de R$ 150mil para R$ 500mil) o valor para conceder visto permanente aos estrangeiros, pessoas físicas, que quiserem investir em atividades produtivas no país.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário