R.B. 29/DEZ/15 "A solução é tirar do rico"


R.B.

"A solução é tirar do rico"

 

São Paulo, 29 de dezembro de 2015 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA pode subir, aproveitando-se do baixo volume de negócios e da leve recuperação dos preços das commodities para tentar uma recuperação, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de baixa, diante da divulgação de dados cada dia mais ruins da economia brasileira e (2) o DÓLAR pode cair, acompanhando a leve e esperada melhora do "humor" na bolsa brasileira e com o BC ainda pressionando na ponta vendedora, atingindo assim um ótimo patamar para compras.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA recuou -0,6%, com irrisório volume de negócios (R$ 3,1bi), acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais, pressionada principalmente pela queda das ações da Vale (-4,1%) e da Petrobrás (-3,3%), diante da baixa internacional das commodities e (2) o DÓLAR caiu -2,1% à R$ 3,86, na contramão da trajetória internacional da moeda norte-americana, para reduzir uma pequena parte da forte alta acumulada no ano (45,2%), pressionado pelos intensivos leilões de venda do BC, que foram relevantes em um dia de baixo volume de negócios.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 0,6%, já que a divulgação de novos indicadores decepcionantes da economia local alimentou expectativas sobre a adoção de novas medidas de estímulos e China -2,6%, pressionada por ações de empresas do setor petrolífero e por sinais de que as autoridades locais estão preocupadas com as recentes saídas de capital registradas no país, (2) da EUROPA, em um dia de poucos negócios, Inglaterra não operou por conta de feriado local, França -1,0% e Alemanha -0,7%, acompanhando a abertura negativa das bolsas de NY e com destaques de queda para as petrolíferas, como Total (-1,7%) e Repsol (-4,2%), diante da nova baixa do petróleo (-3,3%) e (3) dos EUA, recuperando quase todas as perdas da abertura, S&P –0,2%, DJ –0,1% e NASDAQ –0,1%, prejudicadas principalmente pelo recuo das ações da Apple (-1,2%), já que os investidores estão preocupados com a expectativa das vendas anuais do iPhone caírem pela primeira vez em 2016.

 

Cada dia mais pessimista, o ''mercado'' novamente reduziu, desta vez de -2,80% para -2,81%, suas ''apostas'' para o desempenho da economia brasileira em 2016 e reduziu ligeiramente, agora de 6,87% para 6,86%, suas expectativas para a inflação do próximo ano, patamar entretanto ainda acima do topo da meta do BC (6,50%).

 

Perdendo uma boa oportunidade para continuar ficar calado, Mantega, cuja ultima "brilhante" análise foi dizer no final de 2014 que quebraria a cara quem comprasse dólar, então cotado a cerca de R$ 2,40, afirmou ontem que "aposta" na capacidade de Nelson Barbosa, novo ministro da Fazenda, ressaltando que ele é "a pessoa certa" para enfrentar a crise econômica brasileira.

 

Repetindo o que já dizia Marina Silva nas últimas eleições presidenciais, Otaviano Canuto, representante do Brasil e de outros 10 países no FMI e ex-vice-presidente do Banco Mundial, alertou que o "flá-flu político" pode prejudicar o Brasil ao impedir a aprovação no Congresso de reformas e de medidas como a recriação da CPMF.

 

Mostrando mais uma vez que, "com a Dilma no poder tudo sempre pode ficar pior", o governo federal fechou o mês de NOV/15 com um déficit de R$ -21,3bi em suas contas, o que representa o maior rombo mensal já registrado pelo Tesouro Nacional na comparação em valores correntes e eleva o saldo negativo no ano para R$ -54,3bi, o que equivale a 1% do PIB e o triplo do déficit registrado no mesmo período do ano anterior (R$ -18,3bi).

 

Acreditando que "a solução é tirar do rico", que trabalha, gera empregos e pode sair do país, para dar ao pobre, o PT já definiu que no cardápio de medidas que pressionará o governo a promover uma guinada à esquerda da política econômica estará a criação de uma faixa nova de imposto de renda, com alíquota de 40%, para os que ganham mais de R$ 100 mil por mês.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) nos 11 primeiros meses deste ano as receitas do governo federal brasileiro recuaram -6,8% na comparação com o mesmo período de 2014, (2) as d o Natal deste ano foram -6,4% menores do que no mesmo período de 2014, o que representa o pior resultado dos últimos 10 anos, (3) em NOV/15 a demanda por voos domésticos no país foi -7,5% menor que em NOV/14 e (4) o setor de engenharia industrial fechou 45,7% de seus postos de trabalho neste ano.

 

Beneficiada por uma ''falcatrua contábil'', que foi a exportação de uma plataforma de petróleo de US$ 818mil da Petrobrás para a Petrobrás usar no pré-sal, a balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 2,0bi na semana passada, elevando o saldo positivo do ano para US$ 18,7bi.

 

-    A Petrobrás caiu –3,3%, porem após o fechamento do pregão a empresa anunciou que, aliviando um pouco a sua dívida, concluiu a venda de 49% da subsidiária Gaspetro à japonesa Mitsui por R$ 1,9bi.


Política:
 
Apesar de dizer que "o risco do impeachment arrefeceu", ontem, como se fosse um líder da oposição, Rui Falcão, presidente nacional do PT, perdeu mais uma ótima oportunidade de ficar calado e divulgou uma nota cobrando ousadia na política econômica e ressaltando que é hora de apresentar propostas capazes de retomar o crescimento, de garantir o emprego, preservar a renda e os salários, controlar a inflação, investir e também assegurar os direitos duramente conquistados pelo povo.

 

Em mais um ato de troca de barganhas, que tem em uma ponta o apoio à presidenta Dilma e na outra o aumento de gastos públicos, ontem os governadores de 9 Estados e do Distrito Federal se reuniram em Brasília e entregaram uma pauta de reivindicações econômicas ao novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, que por sua vez prometeu nas próximas semanas regulamentar mudanças nos indexadores das dívidas dos executivos estaduais.

 

Mostrando que o Congresso Nacional brasileiro está cada dia mais conservador, matérias como a redução da maioridade penal, a lei antiterror, o estatuto da família e a terceirização trabalhista são projetos polêmicos e questionados por entidades civis ligadas a direitos humanos e trabalhistas que avançaram no Congresso em 2015 e devem chegar a votações finais já no próximo ano.

 

Apesar de levar 7 dias para falar sobre a tragédia de Mariana, que causou o maior desastre ambiental da história do Brasil, a presidenta Dilma levou menos de 24 horas para defender Chico Buarque, quem em troca de milhões que ele e seus parentes recebem da Lei Rouanet, segue defendendo o governo mais corrupto da história do Brasil.

 

-    O Planalto recebe recados cada vez mais enfáticos de que sua base de apoio irá minguar se Dilma insistir em pautas amargas como a reforma da Previdência.

-    Ontem, mesmo em pleno recesso, deputados desembarcaram em Brasília para rodar ministérios, tentando redirecionar para seus redutos eleitorais verbas que haviam sido planejadas a outras cidades, mas não foram liberadas.

-    Escolados, governadores de oposição, entre eles o tucano Alckmin, só aceitaram ir à reunião com o ministro Nelson Barbosa, da Fazenda, após a garantia de que o evento não seria usado como demonstração de apoio ao governo.


Crítica:

 

Representando uma esperança para milhares de pessoas que todo ano sofrem e morrem no Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou a primeira vacina contra a dengue no país, que é fabricada pela multinacional francesa Sanofi Pasteur e tem uma taxa de proteção de 60% para pessoas da faixa etária entre 9 e 45 anos.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário