R.B. 28/DEZ/15 "Guinada à esquerda"


R.B.

"Guinada à esquerda"

 

São Paulo, 28 de dezembro de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, pressionada pelo recuo internacional das commodities e influenciada negativamente pela divulgação de dados cada dia mais ruins da economia brasileira e (2) o DÓLAR pode subir, acompanhando a esperada priora do "humor" na bolsa brasileira e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Quarta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,2%, recuperando perdas recentes pelo segundo pregão consecutivo, acompanhando o avanço das principais bolsas mundiais e a valorização das commodities, porem com baixo volume de negócios (R$ 4,0bi) e (2) o DÓLAR caiu –0,9% à R$ 3,96, ainda devolvendo mais uma pequena parte da forte alta acumulada no ano (50,1%), influenciado pela melhora do "humor" na bolsa brasileira e pelos leilões de venda do BC.

 

Sexta-feira, nas principais bolsas da ÁSIA, com poucos negócios diante do feriado de Natal na maior parte do mundo, Japão 1,2% e China 0,4%, sustentadas por ganhos de exportadoras.

 

Quinta-feira, nas principais bolsas (1) da EUROPA, sem uma direção comum e com volume de negócios abaixo da média, Inglaterra 0,2%, sustentada por ações de petrolíferas, como BP (1,5%) e Shell (0,5%), em meio à recuperação do petróleo, França –0,2%, devolvendo os ganhos do pregão anterior e Alemanha permaneceu fechada, (2) dos EUA, após um curto pregão de véspera do Natal, S&P –0,2%, DJ –0,3% e NASDAQ 0,1%, sem uma tendência clara, diante da ausência de vários investidores e fechando uma boa semana, já que os 3 pregões precedentes fecharam no azul.

 

Dando péssimos sinais da economia brasileira, (1) no terceiro trimestre deste ano a produção industrial tupiniquim recuou –11,0% na comparação com o mesmo período de 2014, registrando o pior desempenho entre mais de 130 nações, que por sua vez representam 95% da indústria no mundo, (2) as vendas de Natal nos shoppings brasileiros tiveram queda de -1% em 2015 em relação ao mesmo período do ano passado, o que representa o pior resultado dos últimos 10 anos e (3) em NOV/15 a arrecadação tributária federal, registrando a oitava queda mensal consecutiva, foi –17,3% menor que em NOV/14.

 

Indicando que, para piorar ainda mais a situação do país, existe uma grande possibilidade do governo Dilma dar uma "guinada à esquerda", agora que Joaquim Levy caiu o próximo objetivo da ala mais radical do PT é evitar que o BC eleve a taxa básica de juros no próximo ano, o que obviamente vai abalar ainda mais credibilidade do país.

 

Diante da necessidade do ajuste fiscal e da crise na Petrobras, o governo e as estatais federais tiveram um papel decisivo no colapso dos investimentos do país neste ano, já que responderam por cerca de -30% da queda do investimento nacional até o terceiro trimestre deste ano.

 

Aumentando a pressão inflacionária, (1) segundo a Confederação Nacional da Saúde, a inflação médica deverá atingir cerca de 20% em 2016, o que representará seu recorde histórico e (2) segundo projeções da Thymos Energia, consultoria especializada no setor, as tarifas de energia elétrica em todo o país devem subir, em média, 15% no próximo ano.

 

Aprofundando a crise tupiniquim, o Walmart, terceiro maior grupo supermercadista do país, já avisou que, diante do anúncio de que, descontada a inflação, as vendas nos supermercados recuaram -1,6% na comparação entre os 11 primeiros meses deste ano e o mesmo período de 2014, estuda reduzir o número de lojas e diminuir o quadro de funcionários em 2016.

 

Dilapidando o patrimônio nacional para reforçar o caixa do Tesouro, o governo federal realizou na terça-feira passada o resgate de R$ 855mi do Fundo Soberano do Brasil, uma poupança realizada com a sobra de arrecadação de 2008 e que vem sendo gasta nos últimos anos.


Política:
 
Como os "nobres parlamentares" só se preocupam com questões que lhes tragam dinheiro ou votos, estão empacados no Congresso Nacional 2 projetos de lei que poderiam impulsionar as doações para universidades privadas e especialmente as públicas no Brasil, o primeiro que cria os fundos patrimoniais vinculados, semelhantes aos tradicionais "endowment funds" das universidades nos EUA, e o segundo que permite ao contribuinte pessoa física poderia destinar até 6% de seu imposto devido a essas instituições, como acontece hoje com projetos da Lei Rouanet.
 
As declarações da cúpula do PMDB do RJ de apoio à manutenção do vice-presidente, Michel Temer, no comando nacional da legenda, não devem ser vistas como um aceno definitivo, já que ala fluminense do partido segue intimamente e principalmente financeiramente próxima da presidenta Dilma.

 

Ressaltando que o impeachment tem previsão constitucional, não podendo, em hipótese alguma, ser classificado como ilegal ou ilegítimo, os magistrados de vários tribunais assinaram manifestação de repúdio às notas públicas divulgadas pela Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris) e Associação Juízes para a Democracia (AJD), que externaram a preocupação com a autorização do processo de impeachment da presidenta Dilma.

 

-    Com medo de ter o mesmo fim do petista Celso Daniel, que foi assassinado, o doleiro Alberto Youssef, delator da Operação Lava Jato que está preso desde MAR/14 e que teria direito ao indulto de Natal, acabou decidindo não sair temporariamente da prisão.

-    Envelhecendo e morrendo rapidamente, o PT, ligado desde sua fundação a movimentos estudantis e da juventude, passa por uma forte redução na sua a proporção de jovens (de 16 a 34 anos), que caiu de 25,7% do total da militância em 2011 para 19,2% atualmente.

-    O senador Aécio Neves,  presidente nacional do PSDB, criticou a edição de uma medida provisória que autoriza o governo Dilma a usar o superávit financeiro registrado em 2014 para quitar parte das despesas de 2015, alertando que isto é mais um "truque contábil".

-    Duramente alvejado na Lava Jato, o PMDB do Senado, comandando por Renan Calheiros, engrossa o coro de petistas e quer José Eduardo Cardozo fora do Ministério da Justiça.


Crítica:

 

Arrumando ainda mais sarna para se coçar, a presidenta Dilma segue relutando em em aceitar a indicação do embaixador israelense Dani Dayan, ligado aos assentamentos em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia, o que está gerando uma crescente e desnecessária crise diplomática entre os dois países.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário