R.B. 30/OUT/15 "Fazer o que negava que faria"


R.B.

"Fazer o que negava que faria"

 

São Paulo, 30 de outubro de 2015 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, seguindo o movimento descendente das principais e em um ponto cada vez mais atraente para compras de longo prazo, já que a economia e a política tupiniquim estão muito próximas do fundo do poço e (2) o DÓLAR pode subir, recuperando as perdas registradas no pregão anterior, porem ainda com bastante volatilidade diante da "briga" para a formação da taxa de fechamento do mês.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –2,4%, para fechar em território negativo pelo quinto pregão consecutivo, acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais e pressionada principalmente pelo recuo das ações dos bancos, como Bradesco (4,5%), Itaú (-2,7%) e Santander (-3,1%) e (2) o DÓLAR caiu –1,7% à R$ 3,86, destoando do movimento visto no exterior, onde a moeda norte-americana ganhou força sobre as divisas de países desenvolvidos e emergentes, em um pregão marcado pelo baixo volume de negócios na sessão e ajustes de posições promovidos pelos agentes de mercado antes da formação da ptax (taxa de fechamento do mês).

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –0,1% e China –0,3%, realizando lucros após os sinais de que a taxa básica de juros dos EUA pode subir em DEZ/15, (2) da EUROPA, Inglaterra –0,6%, França –0,1% e Alemanha –0,3%, pressionadas pelas ações do setor bancário, após a divulgação de dados decepcionantes sobre Deutsche Bank (-6,8%) e Barclays (-6,3%) e (3) dos EUA, devolvendo uma pequena parte dos ganhos do pregão anterior, S&P –0,1%, DJ –0,1% e NASDAQ –0,4%, com destaques de queda para as empresas de serviços públicos e com a divulgação do número de pedidos de auxílio-desemprego abaixo da projeção dos economistas reforçando as "apostas" de que a taxa básica de juros do país pode subir até o final do ano.

 

Mostrando que aprendeu rapidinho com os petistas a se esquivar de suas responsabilidades, ontem Joaquim Levy, ministro brasileiro da Fazenda, afirmou, diretamente de Londres, que o crescimento da taxa de desemprego é fruto da demora da aprovação pelo Congresso das medidas fiscais do governo, como a recriação da CMPF.

 

Elevando cada vez mais as preocupações com a economia brasileira, que inexplicavelmente ainda tem o grau de investimento por 2 das 3 principais agencias internacionais de classificação de risco, Marcelo Saintive, secretário do Tesouro Nacional, afirmou que o déficit das contas da União pode superar os R$ 110bi neste ano  se o governo for obrigado a quitar ainda em 2015 sua dívida com os bancos públicos e não conseguir arrecadar os R$ 11,1bi previstos com concessões de usinas hidrelétricas.

 

Dando novos sinais negativos da economia tupiniquim, (1) apresentando um forte avança na comparação com o valor registrado no mesmo período de 2014 (6,90%), no trimestre encerrado em AGO/15 a taxa de desemprego do Brasil ficou em 8,7%, o que representa o maior patamar da série histórica, que teve início em 2012 e (2) o IGP-M registrou alta de 1,89% em OUT/15, patamar bem superior ao registrado em SET/15 (0,95%), acumulando com isto uma alta de 10,09% nos últimos 12 meses.

 

Mais uma vez mostrando que o problema das contas publicas brasileira é causado pelo tamanho dos gastos e não pela baixa arrecadação, segundo dados oficiais da Receita Federal, no ano passado os brasileiros desembolsaram R$ 1,84 trilhão em tributos, o que corresponde a 33,47% do PIB.

 

-    O Pão de Açúcar caiu –2,7% e, após o fechamento do pregão a empresa anunciou que, prejudicada pela desaceleração da economia brasileira, teve prejuízo líquido de R$ –122mi no terceiro trimestre deste ano, o que provavelmente também foi causado pela forte queda da qualidade do seu atendimento que é sentida pelos consumidores após a saída de Abílio Diniz do comando da empresa.


Política:
 
Como se fosse um líder da oposição, ontem, em discurso diante da cúpula do PT, o ex-presidente Lula afirmou que Dilma venceu as eleições de 2014 com um discurso que precisou ser modificado diante da crise econômica, ressaltando que agora a presidenta "precisa governar de fato" o país e "fazer o que negava que faria", como aumentar impostos e reduzir gastos sociais.

 

Dispostos a ir até o Supremo Tribunal Federal se for necessário para manter o emprego de Dilma, um grupo de parlamentares governistas prepara uma batalha jurídica para impedir que Eduardo Cunha de sequência, presidente da Câmara, a qualquer pedido impeachment da referida presidenta.

 

"Justamente coincidentemente" no momento em que o peemedebista Eduardo Cunha, presidente da Câmara, sinaliza que pode levar adiante o impeachment, o ex-presidente Lula falou, em almoço com deputados do PC do B, da importância de ampliar o diálogo com o PMDB.

 

A Ministra do STF Cármen Lucia, que é relatora da ação no Supremo que pode levar o senador Ivo Cassol, do PP, à prisão na próxima quarta-feira, desmarcou viagem para participar do julgamento do referido parlamentar, que já foi condenado em 2013 por fraude à licitação, mas ainda aguarda decisão sobre seus recursos.

 

Paulo Skaf, do PMDB, vai instalar o pato da campanha da Fiesp contra a CPMF em frente à Assembleia paulista, já que quer constranger os deputados para que votem contra o projeto do governo tucano Alckmin que aumenta o ICMS para cerveja e cigarro e zera o do arroz e feijão.

 

Segundo uma pesquisa feita pelo Datafolha com 324 deputados, quase metade dos entrevistados (45%) entende que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, deveria renunciar ao cargo por ser investigado na Operação Lava Jato, acusado de manter contas secretas no exterior com dinheiro proveniente de corrupção.


Crítica:

 

Como o exemplo vem de cima e o Brasil atualmente é governado por uma presidenta sem a menor capacidade intelectual, a qualidade no atendimento oferecido aos cidadãos pelos órgãos públicos no Brasil são cada vez mais precárias, com profissionais despreparados e acomodados esperando uma "carteirada" para seguir com um processo sem se preocupar com o solicitante e ainda esquecendo que quem paga o salário dele é o próprio cidadão.

 

Agindo como na Venezuela e mostrando porque é uma ilusão achar que atualmente é possível que os militares derrubem qualquer governo no Brasil, ontem o Ministério da Defesa exonerou do Comando Militar do Sul o general Antônio Mourão, que é um dos mais respeitados comandantes militares do Exército, simplesmente por ele ter feito criticas ao governo Dilma durante uma palestra em Porto Alegre, na qual afirmou que "a maioria dos políticos de hoje parecem privados de atributos intelectuais próprios e de ideologias, enquanto dominam a técnica de apresentar grandes ilusões".


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário