R.B. 29/OUT/15 "Sabe-se lá a que preço"


R.B.

"Sabe-se lá a que preço"

 

São Paulo, 29 de outubro de 2015 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, para fechar em território negativo pelo quinto pregão consecutivo, acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais, prejudicada recuo das commodities e pressionada pelo retorno dos "rumores" de que Joaquim Levy pode sair do governo Dilma e (2) o DÓLAR pode subir, rumo aos R$ 3,95, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa brasileira.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,6%, revertendo os ganhos da abertura, com bom volume de negócios (R$ 7,3bi), destoando do avanço visto nos mercados de NY e da Europa e com destaque de queda para as ações da Vale (-3,1%), refletindo a desvalorização nos preços do minério de ferro negociado no mercado à vista da China, que aliás é o principal destino das exportações da mineradora brasileira e (2) o DÓLAR subiu 0,7% à R$ 3,92, influenciado pela sinalização por parte do Fed ("BC" dos EUA) de que o juros norte-americanos poderão começar a subir ainda neste ano.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 0,7%, diante da expectativa de que o BC local anunciará medidas de estímulos e China –1,7%, com destaques de queda para as ações das empresas de energia, (2) da EUROPA, Inglaterra 1,4%, França 0,9% e Alemanha 1,3%, impulsionadas pela recuperação das empresas das petrolíferas, como BP (1,5%) e Shell (1,6%), após a divulgação de queda dos estoques de petróleo dos EUA e (3) dos EUA, S&P 1,2%, DJ 1,1% e NASDAQ 1,3%, beneficiadas pela divulgação de bons resultados corporativos, como da gigante Apple (4,1%), mesmo após o FED ("BC" local) indicar que ainda pode subir a taxa de juros do país este ano.

 

Ontem, conforme já era esperado, o Fed ("BC" dos EUA), adiou mais uma vez a elevação da taxa básica de juros dos EUA, que está em seu menor patamar histórico, entre zero e 0,25% ao ano, desde a crise econômica de 2008, sinalizou porem a possibilidade de elevação em sua próxima reunião, que ocorrerá nos dias 15 e 16/DEZ/15.

 

Indicando que sua paciência esta próxima do limite, Joaquim Levy, ministro brasileiro da Fazenda que é atacado diariamente por petistas e membros do governo Dilma, recusou-se a responder a investidores estrangeiros, em Londres, sobre sua permanência no cargo durante um almoço reservado com cerca de 20 investidores de bancos e empresas, no qual se concentrou em falar somente de economia, como as medidas adotadas pelo governo neste ano para aumentar a arrecadação.

 

Apesar de ainda manter o país como grau de investimento, "sabe-se lá a que preço", ontem a agência de classificação de risco Fitch demonstrou preocupação com a piora das contas públicas do Brasil, após o governo anunciar que terá déficit primário recorde (R$ –51,8bi) neste ano, ressaltando que a decisão do governo de desistir da meta fiscal para 2015 enfatiza os "crescentes desafios que o Brasil enfrenta para consolidar suas contas fiscais".

 

Segundo Luiz Carlos Mendonça de Barros, ex-presidente do BNDES durante o governo FHC, o déficit primário de 0,9% do PIB previsto pelo governo para este ano já era esperado dentro do cenário econômico atual e não prejudicará a classificação de risco do Brasil no curto prazo, porem o atual governo não terá força política para promover reformas estruturais mais profundas.

 

Para garantir que o governo arrecade os R$ 11bi que espera ainda este ano, reduzindo assim o rombo das contas publicas, o Congresso Nacional e a Agência Nacional de Energia Elétrica começam ontem a desamarrar o leilão de usinas hidrelétricas, previsto agora para o dia 25/NOV/15.

 

Apesar da radicalização para a esquerda da diplomacia tupiniquim, que atualmente prefere fazer acordos e negócios com países como Cuba, Venezuela e Argentina, o Japão, que ainda é o sexto maior destino dos produtos brasileiros exportados, segue como um dos alvos prioritários do setor privado do Brasil, que tenta convencer o governo a buscar um acordo comercial com o país.

 

Beneficiada pela desvalorização do real, que aumentou as receitas no mercado doméstico e no exterior, a complicada indústria de etanol no Brasil está conseguindo, após quase uma década parada, uma nova onda de investimentos para aumentar sua capacidade de produção.

 

-    A Petrobrás subiu 1,3%, beneficiada pela alta do petróleo e pelo anúncio de que a empresa conseguiu reduzir em -13%, em média, o valor dos contratos com fornecedores da área de exploração e produção já renegociados.


Política:
 
Com um enorme esforço da oposição, que logrou êxito a derrotar o governo com 193 votos a 175, a votação do projeto de lei que permite a criminosa e vergonhosa regularização de recursos não declarados à Receita mantidos no exterior foi adiada para a próxima semana.

 

Se afastando cada dia mais rápido do governo Dilma, o programa de governo que o PMDB apresentará no encontro da fundação do partido faz o mais duro ataque recente ao PT, culpa a "equivocada" política econômica da presidenta por "todos problemas e dificuldades atuais" e sustenta que, ao contrário do que prega o Planalto, a crise "tem, sim, raízes ou causas internas".

 

Rasgando dinheiro publico enquanto pode, já que está prestes a ter um processo de cassação de seu mandato iniciado, o peemedebista Eduardo Cunha, presidente da Câmara, autorizou o início das obras de ampliação da Casa que incluem o complexo de prédios do chamado "parlashopping", que tem um custo inicial de R$ 400mi.

 

Cercando Dilma, a juíza federal Célia Regina Ody Bernardes, responsável pelos processos da Operação Zelotes em Brasília, solicitou ontem em caráter urgente à Presidência da República que sejam enviados à Justiça Federal, num prazo máximo de 10 dias, todos os documentos, incluindo registro de reuniões, relativos à produção de duas medidas provisórias de 2009 e 2013, que ao que tudo indica foram "vendidas" em benefício da "queridinha" indústria automotiva.

 

Confirmando mais uma vez seu enorme cinismo, depois de se envolver na disputa pelo comando de mais ministérios e cargos no segundo escalão do governo do Dilma, o PMDB defende na versão preliminar do documento que apresentará no seu congresso que o partido promova "a ideia de excelência no serviço público", fortalecendo "um sistema fundado no mérito, na capacitação, no concurso público e na igualdade de oportunidades".

 

Aliados relatam irritação de Michel Temer, do PMDB, com as declarações do prefeito Fernando Haddad de que o referido vice-presidente não está cumprindo um acordo que fez com o PT para a eleição em SP.

 

Foi mal vista até no Planalto a criminosa fala de Sibá Machado, líder do PT na Câmara, que disse que ia "juntar gente" para "botar pra correr" os manifestantes "vagabundos" que estão acampados na frente do Congresso pedindo o impeachment da presidenta Dilma.


Crítica:

 

Mesmo com uma enorme falta de educação e de cultura, segundo uma pesquisa recente a tecnologia é a prioridade de gasto para os jovens do Brasil, já que para 55% dos brasileiros entre 18 a 29 anos pagar contas de celular, internet e TV a cabo é o principal destino do dinheiro deles.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário