R.B. 28/OUT/15 "Só sai de lá se a derrubarem"


R.B.

"Só sai de lá se a derrubarem"

 

São Paulo, 28 de outubro de 2015 (QUARTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando iniciar um movimento de recuperação após recuar –1,4% nos 3 últimos pregões, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e beneficiada pela valorização das commodities e (2) o DÓLAR pode cair, para fechar o dia abaixo do "suporte" dos R$ 3,90, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana diante dos sinais de que a taxa de juros dos EUA não subirá ao menos até o final deste ano.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,3%, para fechar em território negativo pelo terceiro pregão, acompanhado as perdas das bolsas de NY e com destaques negativos para as ações da Petrobrás (-3,2%) e da Vale (-2,6%), diante do recuo das commodities e (2) o DÓLAR caiu –0,4% à R$ 3,90, devolvendo um parte dos ganhos do pregão anterior, influenciado pelos leilões de venda do BC e pelas "apostas" de que a taxa de juros norte-americana não subirá este ano.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão –0,9%, realizando lucros após 2 pregões seguidos de alta, com destaque de queda para a fabricante de componentes eletrônicos Murata (-3,6%) e China 0,1%, após uma sessão marcada pela forte volatilidade, em meio à expectativa para o resultado da reunião do Partido Comunista do país, que nesta semana discute um plano econômico para os próximos 5 anos, (2) da EUROPA, em queda pelo segundo dia consecutivo, Inglaterra –0,8%, França –1,0% e Alemanha –1,0%, desta vez prejudicada pelo declínio dos preços do petróleo (-2,1%) e pela divulgação de resultados corporativos piores do que o esperado, como o da farmacêutica Novartis (-1,6%) e (3) dos EUA, revertendo os ganhos da abertura, S&P –0,3%, DJ –0,2% e NASDAQ –0,1%, prejudicadas pela divulgação de dados econômicos ruins, como a queda de –1,0% das encomendas de bens duráveis em SET/15 e a redução do índice de confiança do consumidor, de 103pts em SET/15 para 97,6pts em OUT/15, e com os investidores na expectativa de uma sinalização do Fed ("BC" local), sobre quando ele vai passar a elevar as taxas de juro de curto prazo.

 

Colhendo os frutos por ter um governo corrupto e incompetente e uma população ignorante e vagabunda, mais uma vez o Brasil caiu, agora do 111º lugar para o 116º lugar, no ranking anual do Banco Mundial sobre ambiente de negócios que tem um total de 189 países e que desde 2006 é liderado por Cingapura, seguido de Nova Zelândia e Dinamarca.

 

Como quem tem um cobertor curto para uma noite de frio, Joaquim Levy, ministro brasileiro da Fazenda, afirmou ontem que o governo pode utilizar recursos emprestados pelo Tesouro para programas de crédito do BNDES, como o Programa de Sustentação do Investimento, o que obviamente terá impactos negativos no PIB, já que o referido PIS foi criado em 2009 para estimular a produção, aquisição e exportação de bens de capital e a inovação tecnológica.

 

Dando o "enésimo sinal" de que a presidenta Dilma não sabe administrar as contas publicas, ontem o governo divulgou uma revisão da meta fiscal de 2015, que passou de superávit de 0,15% do PIB para um vergonhoso para um déficit de aproximadamente 0,8% PIB, o que significa um rombo de R$ -51,8bi.

 

Como o consumidor brasileiro, na média, é um completo analfabeto financeiro, em SET/15, seguindo a velha lei da oferta e procura, os juros cobrados no rotativo do cartão de crédito, que é a modalidade de empréstimo mais cara do mercado financeiro tupiniquim, chegaram a estratosféricos 414,3% ao ano, o que representa o maior percentual desde o início da série histórica, em MAR/11.

 

Com a mesma falta de caráter de alguém que diz que a culpada pelo estupro é a mulher por usar saia curta e salto alto, André Calixtre, diretor de Estudos e Políticas Sociais do Ipea, afirmou ontem que a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, é a culpada pela crise de emprego no país, lamentando o fato de as empresas investigadas não poderem mais operar negócios, terem acesso ao crédito e às licitações.

 

Apresentando mais um sinal negativo da economia brasileira, em OUT/15 o Índice de Expansão do Comércio, que é um indicador antecedente de investimentos e contratações, atingiu 66,8pts, o que representa o menor patamar da série histórica iniciada em meados de 2011 e uma queda de –35,9% na comparação com OUT/14.

 

Em defesa da maior empresa do Brasil, (1) Theodore Helms, gerente de relações com investidores da Petrobrás que fica baseado em NY, ressaltou ontem a desilusão com a performance da petrolífera, cujo valor de mercado despencou de US$ 310bi em 2008 para os atuais US$ 33bi, (2) Segen Estefen, que é representante da União no conselho de administração da Petrobras, afirmou ontem que a estatal não "tem mais como fazer política de governo" porque precisa focar seus esforços na busca de saídas para a sua crise financeira, com independência para fazer ajustes nos preços dos combustíveis e cortes de investimentos e (3) com o objetivo de obter maior rentabilidade, a referida estatal anunciou ontem que vai sair gradualmente dos poços situados em terra e em águas rasas e passar a se concentrar na extração de óleo e gás em águas ultraprofundas, o que inclui o pré-sal.

 

-    A Apple caiu –0,6% na bolsa de NY e, após o fechamento do pregão a empresa anunciou que, superando as expectativas do "mercado", vendeu 48 milhões de iPhones no terceiro trimestre deste ano, uma alta de 22% em relação ao mesmo período do ano passado.


Política:
 
Ao ir para SP apenas para cantar parabéns ao ex-presidente Lula, a presidenta Dilma, que segundo a última pesquisa divulgada tem um governo aprovado por apenas 8,8% da população, confessa que se assustou com o risco de ver sua relação com o padrinho "desandar" devido ao cerco da Operação Zelotes, do Polícia Federal, sobre seus filhos.
 
-    Mostrando no mínimo inocência, FHC, que ainda não compreendeu que Dilma "só sai de lá se a derrubarem", afirmou em entrevista que espera que a presidenta tenha a grandeza de renunciar ao seu mandado.

-    Ontem o senador tucano Aécio Neves telefonou para Maurício Macri, candidato à presidência da Argentina contra Daniel Scioli, que é de oposição, para dizer que quer vê-lo presidente para ajudar a América Latina a se livrar do bolivarianismo.

-    No encontro com lideranças do grupo anarquista e terrorista MST, no sábado, em SP, o ex-presidente Lula disse que cobrará de sua sucessora que cumpra o compromisso assumido de assentar 120 mil famílias até o final de seu mandato.

 

Legislando em causa própria, o já absurdo projeto enviado ao governo para o Congresso visando a regularização de recursos não declarados remetidos ao exterior está sendo "aperfeiçoado" pelos "nobres" parlamentares, que querem também isentar aos que aderissem ao novo programa de serem punidos pelos crimes de caixa dois, uso de documento falso, associação criminosa e descaminho.

 

Auxiliados por deputados do oposicionista DEM, integrantes do Movimento Brasil Livre, que defendem o impeachment da presidenta Dilma, conseguiram abrir uma grande faixa com os dizeres "Fora Dilma" na galeria do plenário da Câmara dos Depurados, durante a sessão de votação de ontem.

 

Ajudando mais uma vez sua chefa, Dias Toffoli, presidente do TSE, já avisou que não pretende decidir esta semana sobre quem irá relatar o processo que pode pedir a cassação do registro eleitoral da presidenta Dilma, ressaltando que só se pronunciará depois do Dia de Finados.


Crítica:

 

Ajudando a desenvolver um mercado sustentável e promissor, ontem finalmente o governo federal decidiu reduzir de 35% para 0% a alíquota do imposto de importação para carros elétricos ou movidos a células de combustível, que utilizam hidrogênio para recarregar o veículo.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário