R.B. 26/OUT/15 "Mais uma ancora ao desenvolvimento tupiniquim"


R.B.

"Mais uma ancora ao desenvolvimento tupiniquim"

 

São Paulo, 26 de outubro de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, acompanhando as perdas das bolsas europeias e influenciada pela intensificação dos problemas políticos e da divulgação de dados econômicos negativos no Brasil e (2) o DÓLAR pode subir, devolvendo uma parte da queda registrada no pregão anterior, seguindo o movimento internacional da moeda norte-americana e os mesmos motivos que devem derrubar a bolsa brasileira.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,4%, revertendo uma abertura positiva, quando na máxima avançou 2,2%, diante do crescente mal-estar com a deterioração do cenário fiscal no Brasil e (2) o DÓLAR caiu –1,1% à R$ 2,88, aliviado com o anúncio de novos estímulos à economia chinesa, que podem beneficiar as exportações brasileiras, e acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, nos maiores patamares dos últimos 2 meses, Japão 2,1% e China 1,3%, "animadas" pelas "apostas" de que as condições monetárias acomodatícias terão continuidade, diante da perspectiva de crescimento mundial mais fraco e de inflação, (2) da EUROPA, Inglaterra 1,1%, França 2,5% e Alemanha 2,9%, com destaques de alta para papéis de empresas de commodities e artigos de luxo, influenciadas positivamente por um corte surpresa nas taxas de juros da China, que adicionou ânimo ao mercado depois da perspectiva de um possível aumento de estímulos pelo BC Europeu, sugerido no dia anterior pelo presidente da instituição, Mario Draghi e (3) dos EUA, em alta pelo segundo dia seguido e beneficiadas pelos mesmos motivos que impulsionaram as bolsas europeias, S&P 1,1%, DJ 0,9% e NASDAQ 2,3%, também beneficiadas pela divulgação de bons informes de resultados de empresas importantes, como Microsoft (10,1%), Amazon (6,2%), Alphabet (5,6%), ETrade Financial (4,6%) e Procter & Gamble (2,9%).

 

Representando "mais uma ancora ao desenvolvimento tupiniquim", segundo um estudo sobre o transporte no país realizado pela Confederação Nacional da Indústria, anualmente o Brasil desperdiça R$ –30bi por usar caminhos antigos e tortuosos para transportar suas mercadorias nas atuais e precárias rodovias, ferrovias, portos e hidrovias.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) em SET/15 a arrecadação federal de impostos ficou em R$ 95,2bi, o que representa uma queda real de -4,1% em comparação com o mesmo período do ano passado e o pior patamar desde SET/10, (2) em AGO/15 os gastos dos brasileiros com viagens internacionais foi -47% menor que em AGO/14, (3) nos 9 primeiros meses deste ano os investimentos estrangeiros no setor produtivo brasileiro foram –34% menores do que no mesmo período de 2014.

 

Ganhando bastante dinheiro para dizer o que todo mundo já sabe e sente, segundo a consultoria internacional de investimentos Wavteq, que foi contratada pelo governo brasileiro para treinar secretarias e federações estaduais sobre estratégias de atração de capital estrangeiro, a recuperação do fluxo de investimento estrangeiro no setor produtivo no Brasil, que acumula queda de –34% no ano, depende da redução das incertezas políticas.

 

As paralisações de auditores fiscais e dos julgamentos do conselho de recursos contra decisões da Receita, causadas pelo descontentamento dos servidores concursados com a politização do referido órgão público,  devem custar ao governo uma perda de R$ –30bi em 2015, o que equivale a mais de um ano de arrecadação da CPMF, o tributo que a presidenta Dilma quer ressuscitar.

 

Rendendo bem menos do que a inflação, nos 6 primeiros meses deste ano a diferença entre as aplicações e os resgates na caderneta de poupança apresentou um saldo negativo de R$ -15,5bi, porem, como o brasileiro ainda é um completo analfabeto financeiro, o número de pessoas que possuem este tipo de investimento cresceu 2,3 milhões no mesmo período.

 

Por privilegiar o consumo ao investimento e por carecer de educação financeira, menos de 0,1% dos brasileiros investem em ações, já nos EUA, onde ser arrojado é uma qualidade, cerca de 10% das pessoas tem ações de alguma empresa e, podendo ampliar o número de investidores do mercado acionário norte-americano, uma empresa baseada na Califórnia criou um sistema que simplifica a compra de ações, permitindo que elas sejam adquiridas em cartões de presente em diversas lojas do país.


Política:
 
Cotado para assumir a presidência da Câmara após a inevitável queda de Eduardo Cunha, o deputado federal e ex-governador de Pernambuco Jarbas Vasconcelos, que é da ala rebelde do PMDB, o maior partido da base aliada, o afirmou ontem que o governo federal está envolto em um "mar de corrupção" e que a presidenta Dilma vive "no mundo da lua".

 

Confirmando que o governo Dilma serve aos "donos do PIB tupiniquim", segundo dados oficiais do BNDES, cerca de 35% dos valores envolvidos nas manobras cometidas pelo governo federal que ficaram conhecidas como pedaladas fiscais estão relacionados a financiamentos subsidiados para grandes empresas e produtores rurais, o que aliás contraria a versão do ex-presidente Lula de que os recursos foram destinados a pagar programas sociais como o Bolsa Família.

 

Apesar dos apelos do cacique, que afirmou que índio respeita autoridade e não tem costume de vaiar, a presidenta Dilma vaiada na abertura da primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, na noite desta sexta-feira passada, em Palmas, que fica no estado de Tocantins.

 

Cada vez mais radical, o ex-presidente Lula afirmou, em um discurso de uma hora destinado a militantes do PT no Piauí, que (1) quem "roubou a vida inteira" não pode chamar os petistas de ladrões, (2) o PT vive momento difícil e (3) a ideia da oposição é estimular o ódio da mesma forma que os nazistas estimularam contra os judeus.

 

Indicando que a corrupção está espalhada em todas as esferas da administração publica, segundo um levantamento feito pelo Tribunal de Contas da União, advogados do escritório de Tiago Cedraz atuam ou atuaram em 182 ações no mesmo tribunal presidido pelo pai do advogado, o ministro do TCU Aroldo Cedraz.

Crítica:

 

Podendo finalmente começar a destravar projetos de pequenas empresas, mas também de grandes, como Audi e Volvo, de oferecer mais híbridos e elétricos no Brasil, no final da semana passada o Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior, órgão subordinado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, aprovou uma proposta de resolução que inclui carros elétricos e movidos a células de combustível na lista de exceções à tarifação externa, o que se traduz em redução da alíquota de importação, de 35%, para patamares ainda não definidos pela Camex.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário