R.B. 29/SET/15 "A queda da presidenta será educativa"


R.B.

"A queda da presidenta será educativa"

 

São Paulo, 29 de setembro de 2015 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando uma recuperação após 7 pregões consecutivos de queda, nos quais recuou -9,5%, e após acumular uma baixa de -12,1% no ano, acompanhando a leve melhora do  "humor" nas principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, também em um "ajuste técnico" após registrar no pregão anterior a maior alta diária desde NOV/08, influenciado pelo anúncio do BC de que fará um nova intervenção na ponta vendedora que poderá chegar a US$ 3bi.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -2,0%, para fechar o dia no menor patamar desde 7/ABR/09 (aos 43.956pts), acompanhando as perdas das bolsas dos EUA e da Europa, prejudicada pelo recuo das commodities e com destaque de queda para as ações da Petrobrás (-5,9%) e (2) o DÓLAR subiu 3,3% à R$ 4,10, para fechar na máxima do dia, refletindo a desconfiança dos investidores com o futuro do ajuste fiscal proposto pela presidenta Dilma, pressionado pelos "rumores"  de mais uma redução da "nota" do Brasil e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -1,3%, apagando os ganhos do pregão anterior, diante de declarações de Haruhiko Kuroda, presidente do BC local, ressaltando a inflação do país não vai convergir para a meta de inflação de 2% se não houver um fortalecimento adicional da ligação entre o emprego, salários e preços e China 0,3%, após mais uma sessão volátil, em meio à aposta dos investidores de que ações de pequena capitalização vão se recuperar no curto prazo e ante do anuncio de que o lucro industrial das principais empresas do país teve queda anual de -8,8% em AGO/15 na comparação com AGO/14, (2) da EUROPA, Inglaterra -2,5%, França -2,8% e Alemanha -2,1%, pressionadas por novos temores com a economia da China, que derrubou as ações dos setores de mineração e automobilismo, como Glencore (29,4%), BHP (-6,0%), ArcelorMittal (-8,3%), Volkswagen (-7,5%), Fiat (-4,9%) e Peugeot (-5,2%) e (3) dos EUA, com o DJ abaixo dos 16.000pts pela primeira vez desde 1/SET/15, S&P -2,6%, DJ -1,9% e NASDAQ -3,0%, diante do aumento das preocupações com a economia global, que além dos dados negativos da China cresceu também com a entrevista da diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, ao jornal francês Les Echos ressaltando que deverá rebaixar sua expectativa para o crescimento da economia mundial em 2015 e 2016, por causa da desaceleração dos países emergentes.

 

Ressaltando que o rebaixamento da "nota" do Brasil por outras agências de risco é inevitável, o banqueiro Ricardo Lacerda, sócio-fundador do banco de investimento BR Partners, alertou que o ambiente de negócios vive o caos e os investidores estrangeiros estão perplexos com o governo Dilma.

 

Ontem, enquanto Dilma falava besteira na ONU e passeava em NY, se hospedando em hotel 6 estrelas com a filha à tiracolo, Nelson Barbosa, Ministro do Planejamento, convocou entrevista para exibir dados sobre a redução de gastos administrativos do governo, "garantindo" que despesas com itens como passagens, serviços de comunicação e limpeza caíram -7,5% até AGO/15 na comparação com o mesmo período do ano passado, somando "apenas" R$ 14,2bi nos 8 primeiros meses de 2015.

 

Mostrando um pessimismo crescente, o "mercado", diante da divulgação de novos aumentos dos preços administrados e da disparada do dólar, elevou, de 9,34% para 9,45%, suas "apostas" para o IPCA deste ano e piorou ainda mais, desta vez de –2,70 para –2,80%, suas expectativas para o desempenho do PIB brasileiro em 2015.

 

Como o governo Dilma gasta cada vez mais e, diante da crise de confiança, arrecada cada vez menos, em AGO/15 a dívida pública federal, que inclui os endividamentos interno e externo do governo, cresceu 3,16% na comparação com JUL/15, atingindo estratosféricos R$ 2,7tri.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) a montadora GM, diante da forte queda nas vendas de veículos, anunciou ontem que negocia uma nova suspensão do contrato de trabalho por 3 meses para 650 funcionários da sua unidade de São Caetano do Sul, ressaltando que faz isto para evitar a demissão desses trabalhadores e (2) indicando que os investimentos em modernização e melhoria da produtividade acabam em segundo plano e que atualmente a meta das empresas tupiniquins é a sobrevivência, em AGO/15, enquanto a importação de máquinas e ferramentas diminuiu -24,2% na comparação com AGO/14, a compra de partes e peças do exterior caiu -10,9% na mesma base de comparação.

 

Com uma boa dose de razão, a Organização Mundial do Comércio abriu ontem uma investigação sobre encargos e tributos que, segundo denuncia do Japão, favorecem ilegalmente os produtos brasileiros, como o programa Inovar-auto, que obriga as montadoras tupiniquins a executar parte das etapas de produção no Brasil, estabelecendo um mínimo de 65% de conteúdo nacional em troca de isenção no IPI.

 

-    A Petrobrás caiu –5,9%, acompanhando o recuo do petróleo nos mercados internacionais, porem ontem, após o fechamento do pregão, a empresa anunciou uma nova descoberta de petróleo no pré-sal da Bacia de Santos.

-    A Tesla caiu –3,3%, mesmo após anunciar que abriu sua primeira fábrica na Europa e que sua meta é produzir meio milhão de carros por ano mundialmente até 2020, contra 35 mil no ano passado.


Política:
 
Finalmente batendo de frente na presidenta Dilma e falando uma linguagem simples e popular, ontem o PSDB, com seus principais quadros mostrando sua cara, inclusive FHC, usou seu horário eleitoral gratuito na TV para chamar o governo do PT de corrupto, incompetente e mentiroso, ressaltando que o Brasil perdeu o selo de bom pagador, que o desemprego vai aumentar e que a inflação vai disparar.
 
Acreditando que é normal o ministro da justiça se encontrar com advogados de empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato, como a Camargo Corrêa e a UTC Engenharia, a Comissão de Ética Pública da Presidência da República rejeitou ontem a denúncia contra o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, por infração ética, feita pelo deputado Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara.

 

-    Enfrentando enormes dificuldades para definir o novo desenho da Esplanada dos Ministérios, a presidenta Dilma voltará a se reunir a partir de hoje com PMDB e PT em busca de um formato de reforma administrativa que lhe garanta apoio no Congresso.

-    Sem se esquecer de atacar à gestão econômica da presidenta Dilma, o PSDB concentrará as críticas nas políticas sociais do governo, ressaltando a perda de quase 1 milhão de postos formais de trabalho e o distanciamento do Planalto com as bases petistas.


Crítica:

 

Hélio Bicudo, fundador do PT e um dos mais respeitados juristas brasileiros, foi ontem ao programa Roda Viva na TV Cultura para defender seu pedido de  impeachment de Dilma ressaltando que (1) "a queda da presidenta será educativa" e reforçará a democracia brasileira, (2) Lula é corrupto e enriqueceu de forma ilícita, (3) o PT é autoritário, financia a ditadura e não tem mais futuro e (4) os petistas se apropriaram dos bens públicos, como a Petrobrás, para se perpetuarem no poder.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário