R.B. 28/SET/15 "A economia entrando em parafuso"


R.B.

"A economia entrando em parafuso"

 

São Paulo, 28 de setembro de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais, prejudicada pelo recuo das commodities e influenciada negativamente pela crescente piora das perspectivas para a economia brasileira e (2) o DÓLAR pode subir, retornando à sua trajetória de alta após o "ajuste técnico" de sexta-feira, influenciado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa brasileira.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,0% (aos 44.831pts), revertendo uma abertura positiva, com a deterioração do cenário interno prevalecendo na decisão dos investidores e destaque de queda para as ações da Petrobras (-2,1%), diante do rebaixamento da sua "nota" pelo Bank of America e da abertura de um processo movido pela Fundação Bill & Melinda Gates contra a empresa e (2) o DÓLAR caiu –1,9% à R$ 3,97, influenciado pelo aumento do volume dos leilões de venda do BC tupiniquim, que inclusive ameaçou queimar as reservas internacionais do país para segurar a cotação da moeda norte-americana.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 1,8%, recuperando-se do fraco desempenho na sessão anterior, após Shinzo Abe, o primeiro-ministro do país, prometer fortalecer a economia local e China –1,6%, diante dos "temores" de alta dos juros nos EUA, (2) da EUROPA, recuperando parte das perdas registradas na semana, diante da melhora das perspectivas para a economia mundial, Inglaterra 2,5%, França 3,1% e Alemanha 2,8%, com destaques de alta para as ações das montadoras, como  BMW (4,2%) e Renault (2,2%) e (3) dos EUA, sem uma tendência única, S&P –0,1%, DJ 0,7% e NASDAQ –1,0%, com o DJ beneficiado pela forte alta das ações da Nike (8,9%), que divulgou resultados melhores do que o esperado e as ações do setor de biotecnologia, como Biogen (-2,8%) e Regeneron Pharmaceuticals (-5,9%), pressionando o Nasdaq e o S&P.

 

Mostrando que a maior economia do mundo segue em recuperação, na sexta-feira passada o Departamento do Comércio dos EUA revisou, de 3,7% para 3,9%, o crescimento do PIB do país no segundo trimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano anterior, ressaltando que isto ocorreu por conta de dados melhores dos gastos do consumidor e do setor de construção.

 

Segundo Antonio Quintella, ex-presidente do Credit Suisse e atualmente sócio da gestora de recursos Canvas Capital, como as pessoas e as empresas estão muito endividadas, atualmente o Brasil corre o risco de enfrentar uma crise de crédito, como a que os EUA e a Europa viveram em 2008, com a inadimplência fugindo do controle, a concessão de empréstimos parada e "a economia entrando em parafuso".

 

Como, assim como no governo Federal, as empresas brasileiras são na maioria das vezes administradas de forma amadora e sem planejamento, por falta de proteção cambial, a valorização do dólar superior a 50% em 2015 está causando impactos bastante negativos nas empresas com dívidas em moeda estrangeira, que agora também enfrentam dificuldades tanto para rolar as dívidas vencendo como para investir.

 

Mais prejudicando do que ajudando, já que não indica o grau de risco, a nova classificação da Anbima, que vale a partir do mês que vem, categoriza os fundos em três etapas (1) a classe de ativos (renda fixa, variável etc.), (2) o tipo de gestão (passiva ou ativa) e (3) a estratégia de investimento, que vai definir em quanto tempo a pessoa pode ter o retorno do dinheiro.

 

Com o objetivo de proteger o investidor tupiniquim de sua própria ignorância, ao invés do governo Federal promover a educação financeira, a CVM está impondo uma nova regulamentação que obriga os profissionais do mercado a fazerem a análise do perfil de quem tiver até R$ 1mi para aplicar e impede o cliente de comprar qualquer investimento que não esteja de acordo com o seu perfil.

 

Como quase 1 milhão de vagas de trabalho foram fechadas no Brasil nos últimos 12 meses e está cada dia mais difícil conseguir um novo emprego com carteira assinada, em AGO/15 o equivalente a 19,8% da população ocupada estava trabalhando por conta própria, o que representa o maior patamar desde DEZ/06.


Política:
 
Coincidentemente 1 dia após o ex-deputado federal Pedro Corrêa, do PP, anunciar que negocia acordo de delação premiada na operação Lava Jato, ressaltando que tem provas de que Dilma e Lula são os orquestradores das fraudes na Petrobrás, sua fazenda foi invadida por integrantes do grupo terrorista MST.
 
Provando mais uma vez que petistas e tucanos são "farinha do mesmo saco", com o objetivo de ocupar o lugar do PT, Alckmin, governador de SP, recebe hoje, com toda pompa e acompanhado de 5 secretários, uma comitiva do grupo terrorista MST no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para o que foi classificado como uma "reunião de trabalho".

 

Com o apoio do primeiro escalão do governo Dilma, Kassab, ministro das Cidades, patrocina nesta semana a última tentativa de recriar o Partido Liberal, legenda cujo objetivo é formar um bloco governista para rivalizar com o PMDB, além de esvaziar a oposição e o movimento pró-impeachment.

 

Em mais um ato de fogo amigo, a Fundação Perseu Abramo, centro de estudos criado e mantido pelo PT, divulga hoje um documento com duras críticas à política econômica do governo Dilma, ressaltando inclusive que as iniciativas do governo estão jogando o país em uma recessão e que elas interessam a banqueiros e a fundos de investimento.

 

Aumentando rapidamente as fileiras do REDE, que é o novo partido criado por Marina Silva, Randolfe Rodrigues, que era o único senador eleito pelo PSOL, anunciou ontem sua filiação ao referido partido, assim como a ex-senadora e vereadora em Maceió Heloísa Helena, que também  deixou o PSOL e assinou sua ficha de filiação ao Rede.

 

O programa do PSDB em rede nacional de rádio e TV, que vai ao ar nesta semana, usará a proposta de recriação da CPMF para mostrar que Dilma é mentirosa, já que exibirá duas falas da presidenta na campanha de 2010, a primeira garantindo que não recriaria a contribuição, derrubada no Senado em 2007, e a segunda em que chama o imposto de "engodo".

 

Na disputa pela indicação do PMDB para ser o candidato do partido à Prefeitura de SP, Gabriel Chalita não foi convidado para o almoço que Marta ofereceu aos peemedebistas, seus novos  "companheiros", depois do evento que marcou sua filiação ao partido do vice-presidente Michel Temer.

Crítica:

 

Enquanto o governo federal tenta convencer o Congresso a aprovar o pacote fiscal para cobrir o rombo de R$ 30,5bi no Orçamento de 2016, a Receita Federal deixa de arrecadar o equivalente a 9 vezes esse valor, com as chamadas renúncias tributárias, que são as isenções de tributos que o governo concede a determinados setores econômicos, coincidentemente de empresas que fazem doações para as campanhas eleitorais, com a desculpa de estimular a atividade.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário