R.B. 25/SET/15 "Fez um pacto com o demônio para tentar salvar seu governo"


R.B.

"Fez um pacto com o demônio para tentar salvar seu governo"

 

São Paulo, 25 de setembro de 2015 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, em um movimento de "caça de barganhas" após 5 pregões consecutivos de queda, acompanhando a forte melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e também a valorização das commodities e (2) o DÓLAR pode cair, reduzindo mais uma parte das fortes altas registradas recentemente, seguindo a esperada valorização da bolsa brasileira e ainda aliviado com os sinais de que o BC brasileiro pode aumentar os volumes de venda, inclusive usando as reservas internacionais do país.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,1%, para fechar em queda pelo 5º pregão seguido, acompanhando o movimento descendente das bolsas de NY, com destaque negativo para as ações da Vale (-2,4%) e após mais um dia marcado pela forte volatilidade, já que na mínima recuou –2,6% e na máxima avançou 0,5% e (2) o DÓLAR caiu –2,1% à R$ 4,04, para fechar na mínima do dia, também após um pregão marcado pela forte volatilidade, já que na máxima atingiu R$ 4,25, aliviado por declarações de Tombini, presidente do BC brasileiro, que afirmou que o país têm instrumentos adequados para conter as turbulências, inclusive usando suas reservas internacionais e a taxa básica de juros.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem um tendência única, Japão –2,8%, retornando aos negócios após permanecer fechada nos 3 últimos dias devido a feriados nacionais no país, com destaques de queda para as ações do setor automotivo, como Mazda (-6,8%) e Mitsubishi (-2,8%), reagindo ao recente escândalo ambiental da montadora alemã Volkswagen e China 0,9%, tentando iniciar um movimento de recuperação das perdas recentes, (2) da EUROPA, Inglaterra –1,2%, França –1,9% e Alemanha –1,9%, ainda pressionadas pelo mau desempenho das ações do setor automotivo, como BMW (-5,1%), Daimler (-4,4%), Peugeot (-3,7%) e Fiat (-7,5%), e agora também pelas mineradoras, como Glencore (-9,6%), Anglo American (-5,1%) e Rio Tinto (-1,6%), diante das renovadas tensões com a economia global e (3) dos EUA, em baixa pelo 3º dia consecutivo, S&P –0,3%, DJ –0,5% e NASDAQ –0,4%, na expectativa de um discurso da presidente do Fed ("BC" local), Janet Yellen, no fim da tarde, e desanimadas pelo alerta divulgado pela Caterpillar, cujas ações recuaram –6,7% após a empresa afirmar que sua renda será menor do que se previa neste ano, que reduzirá seus investimentos e que fará 10 mil demissões nos próximos 3 anos.

 

Tentando acalmar os mercados, ontem Joaquim Levy, ministro brasileiro da Fazenda, e Tombini, presidente do BC tupiniquim, afirmaram que o volume de reservas em moeda estrangeira do país é "muito significativo" (US$ 370bi) e que as operações de swap cambial feitas pelo BC vêm garantindo que as empresas brasileiras passem pelo momento de alta do dólar.

 

Ressaltando que seu objetivo é fornecer suporte e liquidez ao mercado de títulos públicos, para garantir o bom funcionamento desse e de outros mercados correlatos, ontem, após o fechamento do pregão, o Tesouro Nacional anunciou o lançamento de um programa de leilões diários de títulos públicos, que começa hoje e vai até 2/OUT/15.

 

Com as empresas "amigas do governo" no olho do furacão da CPI criada para investigar o banco de fomento tupiniquim, o Conselho Monetário Nacional decidiu que o BNDES, exatamente no momento em que o pais mais precisa de investimentos no setor produtivo da economia, deve elevar a taxa de juros que utiliza como referência para seus empréstimos, conhecida como TJLP, dos atuais 6% ao ano para 7% ao ano, o que representa o maior patamar desde SET/06.

 

Dando novos sinais negativos da economia brasileira, (1) em AGO/15, apresentando a sétima retração consecutiva, o rendimento real dos trabalhadores teve uma queda de -3,5% na comparação com AGO/14, (2) registrando a oitava elevação consecutiva e atingindo o maior patamar desde AGO/09, a taxa de desemprego no país subiu de 5,0% em AGO/14 para 7,6% em AGO/15 e (3) o BC reduziu de –1,1% para –2,7% suas "apostas" para o desempenho do PIB brasileiro em 2015.

 

Pressionando ainda mais a inflação, ontem, (1) menos de 1 mês após aumentar em 15% o preço do gás liquefeito de petróleo em botijões de 13 quilos, a Petrobras comunicou ao mercado reajuste de 12% no preço do produto vendido em botijões maiores ou a granel e (2) a Agência Nacional de Energia Elétrica autorizou um aumento extra de até 8% sobre as contas de luz de 12 grandes distribuidoras de energia, como a Light (RJ), Bandeirante (SP), CPFL Piratininga (SP) e CEEE-D (RS).

 

Finalmente apresentando um dado positivo do Brasil, como a geração hídrica está reduzida ao mínimo, por conta da forte redução da água disponível nas hidrelétricas, neste ano mais de 30% da energia gerada no Nordeste brasileiro é oriunda de geradores eólicos, o que representa o maior patamar da história.

Política:

 

"Cutucando o PMDB com vara curta", ontem o ex-presidente FHC afirmou que a presidenta Dilma, que pode dar até 7 ministérios para o PMDB na sua prometida reforma ministerial, "fez um pacto com o demônio para tentar salvar seu governo", ressaltando que a crise só será superada se as forças políticas encontrarem meios de conter a expansão dos gastos públicos e reformar o sistema político.

 

Com um discurso cheio de ataques indiretos à presidenta Dilma e ao PT, o PMDB, mostrando que é o maior partido do pais, que tem uma enorme bancada no congresso e que comanda vários estados do Brasil, usou ontem seu horário na TV para ressaltar que (1) o país está sem rumo e desorganizado e (2) que Michel Temer se coloca à disposição para governar unindo as forças políticas.

 

Mostrando que a eventual queda da presidenta Dilma reunirá PSDB e PMDB, ontem, durante um evento de comemoração do aniversário da revista IstoÉ Dinheiro, Alckmin, governador tucano de SP, elogiou a atuação de Joaquim Levy, ministro da Fazenda, no combate à crise econômica, e declarou apoio ao vice-presidente, Michel Temer, a quem chamou de presidente.

 

Mais uma vez se preparando para gastar rios de dinheiro, já que sua comitiva leva um interprete para cada ministro e para cada um de "seus assessores especiais", e para envergonhar o país com seus discursos confusos e constrangedores, a presidenta Dilma viajou ontem para NY, onde participará da abertura da Assembleia Geral da ONU.

 

Novamente criando atrito ao contrariar novamente uma decisão do legislativo, ontem, um pouco antes de embarcar para NY, a presidenta Dilma decidiu vetar o ponto da reforma política aprovada na Câmara dos Deputados que permite o financiamento empresarial a campanhas eleitorais.


Crítica:

 

Lançado em 2011, o Pronatec foi uma das principais bandeiras de Dilma na campanha à reeleição, porem, segundo um estudo do Ministério da Fazenda com 160 mil pessoas envolvidas no referido programa, o Pronatec não ajuda o profissional a voltar ao mercado de trabalho formal, não melhora seu desempenho e não contribui para o aumento de ganho salarial do trabalhador.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário