R.B. 24/SET/15 "Logrando êxito em apequenar cada vez mais o mercado financeiro tupiniquim"


R.B.

"Logrando êxito em apequenar cada vez mais o mercado financeiro tupiniquim"

 

São Paulo, 24 de setembro de 2015 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, para provavelmente romper o "suporte" dos 45.000pts, acompanhando a desvalorização das principais bolsas mundiais e ainda afetada pela piora crescente nas expectativas para o futuro da economia brasileira e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, com o "mercado" cada vez mais certo de que a manutenção de Dilma no poder trará novos rebaixamentos para a "nota" do país.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –2,1%, devolvendo os ganhos da abertura, quando na máxima avançou 0,4%, e na contramão das bolsas de NY, diante da crescente piora das expectativas econômicas e políticas para o Brasil, que se tudo seguir como está certamente perderá o grau de investimentos por outra agencia de classificação de risco e (2) o DÓLAR subiu 2,2% à R$ 4,15, para fechar o dia novamente no maior patamar da história, mesmo diante dos leilões de venda do BC, pressionado pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa brasileira.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão ainda permaneceu fechada por conta de feriado nacional e China -2,2%, após novos dados fracos sobre a manufatura chinesa, que em alguns casos atingiram o menor patamar em 6 anos, reforçarem preocupações com a desaceleração da segunda maior economia do mundo, (2) da EUROPA, recuperando uma pequena parte das perdas do pregão anterior, Inglaterra 1,6%, França 0,1% e Alemanha 0,4%, impulsionadas por dados positivos da zona do euro, como o anúncio de que as novas encomendas atingiram o patamar mais alto em 5 meses, e pela expectativa com estímulos à economia da China e (3) dos EUA, após um pregão marcado pela volatilidade, S&P –0,2%, DJ –0,3% e NASDAQ –0,1%, registrando a quarta queda em 5 pregões, como a baixa dos preços do petróleo pressionando as petrolíferas, diante do anúncio de que os estoques do produto no país estão elevados e a demanda está menor do que o esperado.

 

Com o governo Dilma "logrando êxito em apequenar cada vez mais o mercado financeiro tupiniquim", ontem, por conta da disparada do dólar e da derrocada das ações, o valor de mercado das empresas listadas Bovespa caiu para US$ 471,6bi (contra US$ 1,5tri em ABR/11), sendo superado pela primeira vez na história pela bolsa mexicana, que vale US$ US$ 478,8bi.

 

Cada vez mais parecido com seu antecessor, o petista Guido Mantega, ontem Joaquim Levy, ministro da Fazenda, afirmou que "aposta" em uma maior estabilidade do dólar tão logo o país "vença incertezas", como a proposta do orçamento para 2016 e a manutenção dos vetos presidenciais de propostas que aumentam os gastos do governo, garantindo inclusive que o processo de recuperação da economia tupiniquim já está em curso.

 

Criticando a decisão do BC tupiniquim de queimar reservas internacionais para tentar, inutilmente, segurar a disparada do dólar frente ao real, Sidnei Nehme, especialista em câmbio e diretor da corretora NGO, afirmou ontem que a moeda norte-americana está subindo por questões políticas e que não existe nada que a autoridade monetária brasileira possa fazer.

 

Mostrando que toda coisa ruim também tem seu lado positivo, a Argentina, que tem como principal destino de suas exportações o Brasil, está em alerta por conta da desvalorização do real, já que além de perder compradores, passou a temer uma enxurrada de produtos brasileiros no seu mercado.

 

Dando um exemplo de como é difícil investir no Brasil, a Norte Energia, empresa responsável pela Usina de Belo Monte, que aliás já deveria estar funcionando faz mais de 1 ano, teve que entrar com novo pedido no Ibama para ter a licença de operação da usina liberada pelo órgão ambiental.

 

Como os consumidores tupiniquins, sem nenhuma educação financeira, seguem comprando o que não precisam e não podem pagar, em AGO/15 a taxa média de juros cobrada no rotativo do cartão de crédito alcançou incríveis 403,5% ao ano, o que representa o maior patamar da história e um forte aumento na comparação com AGO/14 (311,3% ao ano).

 

-    A Petrobras caiu –2,1%, para fechar o dia aos R$ 6,82, o que representa o menor valor desde 6/AGO/03, após Eduardo Braga, ministro de Minas e Energia, afirmar que a disparada do dólar é "sem dúvida" um desafio para a petrolífera.

-    A Usiminas despencou –15,3% e a CSN afundou –20,5%, diante da divulgação de um relatório do banco Itaú BBA afirmando que as dividas das duas siderúrgicas não tem proteção financeira (hedge) conta a alta do dólar.


Política:
 
Mais uma vez atuando em beneficio de poucos, ontem à noite, em conluio com os atuais donos de lotéricas, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei com o objetivo de cancelar o processo aberto pela Caixa Econômica Federal, que atendeu uma exigência do Tribunal de Contas da União, para licitar 46% das lotéricas do Brasil.
 
-    Tirando poder do PT para se manter no poder, a presidenta Dilma já avisou que dará 5 ministérios ao PMDB, com destaque para o ministério da saúde, que tem a maior verba orçamentária do Planalto, estimada em R$ 91,5bi este ano.
 
Totalmente e claramente comprado pelo governo, ontem Eduardo Cunha, presidente da Câmara, afirmou que o Congresso Nacional deve manter o veto da presidenta Dilma ao reajuste dos servidores da Justiça Federal, se não estaria praticando uma "falta de coerência" por criticarem a criação de novos impostos.

 

Segundo Eduardo Vaz Costa Musa, ex-gerente-geral da área Internacional da Petrobrás e novo delator da Lava Jato, quem dava a palavra final em relação às indicações para a Diretoria Internacional da Petrobrás era Eduardo Cunha, o atual presidente da Câmara dos Deputados.

 

Fugindo o censo comum, de achar que o REDE e o NOVO, aprovados este mês pelo Tribunal Superior Eleitoral como a 33ª e a 34ª legenda do Brasil, são apenas mais dois partidos de oportunistas, ontem ex-presidente FHC afirmou que as novas siglas trazem mensagens próprias e não se consolidaram usando a máquina governamental, ressaltando, em um recado diretor ao PMDB, que os velhos partidos se embrulham em manobras para obter ministérios e tratam de se desviar de acusações que os alcancem na Lava Jato.

 

Mostrando que o "fogo amigo" vem também dos partidos aliados "à esquerda", ontem Aldo Rebelo, ministro de Ciência e Tecnologia e representante do PC do B no governo, afirmou que uma das razões da atual crise enfrentada pela presidenta Dilma foi ter "subestimado a política", ressaltando também que o país é muito grande e complexo para ser governado por um único partido.

 

Atuando em defesa da quadrilha que dilapidou, e segue dilapidando, o patrimônio e a moral brasileira, o Supremo Tribunal Federal, que é dominado por petistas de toga, decidiu ontem desmembrar a investigação contra a senadora petista Gleisi Hoffmann, o que abre um precedente para que a Lava Jato seja toda fatiada e suas ações penais, tirando poder do juiz Sérgio Moro.

 

Conforme já se esperava, a decisão do Supremo Tribunal Federal de fatiar as investigações da Operação Lava Jato foi bem recebida no Palácio do Planalto, já que a avaliação do governo é que o desmembramento dilui a tese de um grande esquema de corrupção interconectado.


Crítica:

 

Ensinando à presidenta Dilma, que usou dinheiro sujo na campanha, fez as pedaladas fiscais, mentiu para se reeleger e está levando o país à falência, como as coisas acontecem em um mundo civilizado e racional, onde as pessoas tem o mínimo de caráter, Martin Winterkorn, presidente mundial da Volkswagen, renunciou ontem ao cargo, ressaltando que não estava ciente das irregularidades cometidas pela empresa, mas que assume a responsabilidade pelo problema.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário