R.B. 11/SET/15 "As agências de classificação de risco são picaretas"


R.B.

"As agências de classificação de risco são picaretas"

 

São Paulo, 11 de setembro de 2015 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, pressionada pelo recuo das commodities e ainda afetada negativamente pelo rebaixamento da "nota" do Brasil, porem deve-se ressaltar que o patamar é muito interessante para compras de longo prazo, já que atualmente o índice da bolsa brasileira está valendo, em dólar, cerca de 1/4 do que valia em MAI/08, quando o país recebeu o grau de investimento pela S&P e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, acompanhando a esperada piora do "humor" na bolsa brasileira e pressionado pelas "apostas" de que os juros norte-americanos podem subir na próxima semana, quando ocorre a reunião de política monetária do FED ("BC" local).

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,3%, recuperando boa parte das perdas da abertura, quando na mínima recuou –2,3%, com bom volume de negócios (R$ 7,8bi) e com os investidores digerindo o rebaixamento da "nota" do Brasil pela S&P, que pelo comportamento dos ativos já era esperada e já estava "precificada" pela maior parte do "mercado" e (2) o DÓLAR subiu 1,2% à R$ 3,85, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, influenciado pelo gradativo aumento da desconfiança com o futuro da economia e relativamente contido pelos leilões de venda do BC.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, acompanhando as perdas das bolsas dos EUA no dia anterior, Japão –2,5% e China –1,4%, realizando lucros recentes, diante do retorno dos "temores" de alta dos juros norte-americanos e da divulgação de dados negativos das economias da região, (2) da EUROPA, também realizando lucros recentes, Inglaterra –1,2%, França –1,5% e Alemanha –0,9%, com destaques de queda para as exportadoras, diante do aumento das preocupações com a China e outras economias emergentes, como o Brasil e (3) dos EUA, recuperando as perdas da abertura, S&P 0,5%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,8%, diante da divulgação de dados divergentes da economia do país, que elevaram as "apostas" de que a taxa de juros norte-americana não subirá neste mês de SET/15.

 

Cobertas de razão, a Fiesp e Firjan, que são respectivamente as federações das indústrias de SP e do RJ, classificaram, em um manifesto conjunto divulgado ontem, o governo Dilma como "hesitante, inativo e incapaz", ressaltando que são necessárias "propostas concretas" para superar a crise, em vez de "um ajuste de mentirinha", e que "o governo abriu mão de governar".

 

Ressaltando que, por conta do rebaixamento da "nota" do Brasil, será cada dia mais difícil para os agentes econômicos planejar investimentos no país, ontem, em um tom bastante pessimista, o banco JP Morgan divulgou um relatório no qual prevê que o real chegará a R$ 4,10 até o final de 2015 e a R$ 4,35 até o final de 2016 e cita que a recessão econômica deverá perdurar em 2016 e que a falta de capacidade para atingir equilíbrio fiscal pode deteriorar o controle da inflação.

 

Provavelmente bem paga pelo governo brasileiro, ontem a agência de classificação de riscos Fitch afirmou que ainda vê elementos apoiando o grau de investimento do Brasil, porem ressaltou que está monitorando o impacto da queda da popularidade da presidenta Dilma sobre sua capacidade de aprovar medidas de austeridade.

 

Apesar de não deixar claro nem como, nem quando e nem onde, o governo Dilma, para dar uma resposta aos críticos de que não corta na própria carne, avisou que prepara o anúncio da eliminação de cargos comissionados e a revisão de contratos com prestadores de serviços com o objetivo é reduzir os gastos públicos e mostrar compromisso com o equilíbrio fiscal.

 

Dando um importante sinal negativo da economia brasileira, em AGO/15 as vendas de papelão ondulado, que é o principal indicador antecedente da atividade de um país, caíram -6,34% na comparação com AGO/14, atingindo o menor volume para o mês na série histórica iniciada em 2011.

 

Aliviado pela forte retração da demanda e pela queda de preços da energia elétrica e das passagens aéreas, em AGO/15 o IPCA, índice oficial de inflação do país, ficou em 0,22%, desacelerando na comparação com os 0,62% apresentados em JUL/15 e atingindo o menor patamar para o referido mês desde AGO/10 (0,04%).

 

-    A Petrobrás caiu 5,0%, mesmo com a valorização internacional do petróleo, após a S&P anunciar que também retirou o grau de investimento da empresa, citando sua dificuldade para tomar novos financiamentos.

-    A Vale subiu 4,2%, beneficiada pela alta do dólar e pela valorização internacional do minério de ferro.


Política:
 
Mostrando uma enorme falta de consideração com quem sempre esteve ao seu lado e defendeu seu governo das criticas, inclusive do ex-presidente Lula, a presidenta Dilma já estuda substituir Aloizio Mercadante, atual Ministro da Casa Civil, por um nome que atue como uma espécie de "primeiro-ministro" e que não seja filiado a seu partido, o PT.
 
Confirmando que a vaca está indo para o brejo, ministros, deputados e senadores do PT, obviamente no reservado, já consideram não apenas possível como também muito provável que a presidenta Dilma seja afastada do governo num processo de impeachment ainda neste ano.

 

Após afirmar que a perda do grau de investimentos não significa nada, ontem, como um autentico líder da oposição, o ex-presidente Lula, demonstrando estar em desacordo com as medidas de ajuste fiscal do governo Dilma, afirmou que ajuste significa corte de salários, corte de emprego e voltar ao patamar de miséria que o país estava antes do seu governo.

 

Se apressando em colocar a culpa na presidenta Dilma, ontem os peemedebistas Renan Calheiros, presidente do Senado, e Eduardo Cunha, presidente da Câmara, afirmaram em uma declaração conjunta que o Congresso Nacional não é culpado pela perda do grau de investimento do Brasil, ressaltando que o governo federal não tem a confiança do mercado, dos consumidores e dos investidores para manter a atividade econômica.

 

Atuando em defesa dos sonegadores, dos corruptos, dos traficantes e dos bandidos em geral, ontem a presidenta Dilma encaminhou ao Congresso projeto de lei criando um programa de regularização de recursos não declarados no exterior no qual os contribuintes que aderirem terão os recursos declarados taxados em 35% e em troca ficarão livres do risco de serem processados por crimes contra a ordem financeira e o sistema tributário.

 

Deixando petistas e peemedebistas bastante preocupados, o lobista Fernando Soares, apontado como o operador do PMDB no esquema de corrupção descoberto na Petrobras pela Operação Lava Jato, voltou atrás e fechou acordo de delação premiada para colaborar com as investigações em troca de redução de pena.

 

Ontem, no dia seguinte ao rebaixamento da nota do Brasil pela S&P, o PMDB, caminhando à passos largos para a oposição, gravou seu programa nacional, que irá ao ar em rede nacional de rádio e TV no dia 24 com o slogan "O Brasil está pronto para acertar as contas com a verdade".

Crítica:

 

Cobrando dos seus dedicados e competentes trabalhadores a conta da corrupção feita pelos apadrinhados políticos que comandaram e rapinaram a estatal, ontem a Petrobrás apresentou aos sindicatos uma proposta que prevê o corte de 25% nos salários para os empregados da área administrativa, em troca de uma redução da jornada de trabalho para 30 horas semanais, e também a redução no valor pago por horas extras nos fins de semana, de 100% para 80% do salário.

 

A crise de 2008 deixou claro que "as agências de classificação de risco são picaretas", mas é no mínimo inocente achar que elas manipulam os mercados para ajudar os "especuladores cruéis", e se manipulam foram ineficazes, pois ontem a inexpressiva bolsa tupiniquim, que representa 1,9% dos mercados globais, quase nem caiu, a picaretagem está em receber dinheiro, das empresas e dos países, para dar grau de investimento, não para tirar, porem as vezes a coisa fica complicada demais para manter a mentira, como está ocorrendo com o Brasil.

 

Em ABR/08, quando a S&P classificou o Brasil como grau de investimento, a bolsa brasileira atingiu o maior patamar da história, superando os 72.500pts (o que dolarizado dava cerca de 44.000pts), portanto quem vendeu lá se deu bem, ontem, após a referida agencia de classificação de risco retirar o selo de bom pagador da economia brasileira, o Ibovespa se aproximou dos 45.000pts (o que atualmente dá cerca de 11.000pts em dólar), indicando que quem comprar atualmente vai ganhar bastante dinheiro.

 

É desnecessário ser um especialista em economia para saber por que o Brasil está quebrando, já que (1) o governo do PT capta recursos via títulos públicos pagando juros de cerca de 14% ao ano, (2) empresta para empresas "amigas" via BNDES cobrando juros de 6% ao ano, (3) aplica suas reservas internacionais em títulos do públicos dos EUA ganhando 0,25% ao ano e, apesar de isto já ser o suficiente, o país ainda tem índices elevadíssimos de corrupção e uma enorme ineficiência do Estado e dos trabalhadores, que produzem 1/4 dos norte-americanos.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário