R.B. 3/AGO/15 "Medo de perder o emprego"


R.B.

"Medo de perder o emprego"

 

São Paulo, 3 de agosto de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais e influenciada negativamente pela desvalorização das commodities e pela crescente piora das perspectivas para a economia brasileira e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, mesmo após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 20/MAR/03, acompanhando a esperada piora do "humor" na bolsa brasileira e também seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,9%, reduzindo as perdas acumuladas no mês de JUL/15 (-4,2%), beneficiada principalmente pelo desempenho positivo das ações de bancos, como Itaú (2,8%) e Bradesco (0,8%) e Banco do Brasil (2,3%) e (2) o DÓLAR subiu 1,5% à R$ 3,42, para fechar o mês acumulando uma valorização de 10,1%, cada dia mais pressionado por preocupações com a situação fiscal do país e pelas expectativas de que a taxa de juros dos EUA vai subir em breve.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,3% e China 1,1%, com os investidores animados com a divulgação de resultados positivos de empresas japonesas, como a Orix Corp (9,4%), e de dados que podem fornecer uma pista sobre o crescimento econômico chinês, (2) da EUROPA, fechando JUL/15 com os melhores desempenhos mensais desde FEV/15, Inglaterra 0,4%, França 0,7% e Alemanha 0,5%, beneficiadas pela redução da taxa de desemprego na região e pela divulgação de bons resultados corporativos e (3) dos EUA, devolvendo os ganhos da abertura, S&P –0,2%, DJ –0,3% e NASDAQ –0,1%, pressionadas principalmente pelas ações das petrolíferas, como Exxon Mobil (-4,5%) e Chevron (-5,0%), após o novo recuo do petróleo (-2,9%), que aliás fechou o mês de JUL/15 registrando uma baixa de –21,0%.

 

-    No primeiro de negociações dia após estar fechado nas ultimas 5 semanas, o mercado de ações da Grécia abriu em queda de –23% nesta segunda-feira.

 

Coberto de razão, o economista Paulo Rabello de Castro, diretor-presidente da SR Rating, que é uma agência local especializada em medir o risco de emissões feitas por instituições financeiras e empresas, o Brasil nunca mereceu receber a nota de grau de investimento, já que os progressos obtidos pelo país desde 2007 decorreram essencialmente do aumento dos preços das commodities, e não de avanços estruturais na economia, e o país não tem ainda uma gestão de dívida nem uma política fiscal compatíveis com o selo de bom pagador.

 

Com uma mão de obra desqualificada e ineficiente e um setor industrial atrasado e focado apenas no mercado agrícola, segundo um estudo feito pela Mobilização Empresarial pela Inovação, o Brasil, caso siga o atual ritmo de expansão, levará 34 anos para chegar ao patamar de investimento em inovação mantido atualmente por economias como China e União Europeia.

 

Segundo as projeções dos principais analistas do mercado financeiro brasileiro, se não ocorrer uma melhora na economia e uma trégua na crise política, o dólar pode fechar o ano próximo dos R$ 4,00, e os principais riscos que podem levar a isto são (1) rebaixamento da nota de crédito do país, (2) desaprovação das contas públicas, (3) manifestações contra o governo e (4) enfraquecimento do ministro da Fazenda Joaquim Levy.

 

Apesar de estar ciente de que uma atitude como esta poderia comprometer ainda mais a confiança dos investidores nas contas públicas brasileiras, Nelson Barbosa, ministro do Planejamento, afirmou que é necessário ocorrer uma mudança na contabilização do pagamento de juros sobre a dívida pública.

 

Criado para quem quer aproveitar o suposto preço baixo das ações tupiniquins, mas teme quebrar a cara na Bolsa, os fundos de capital protegido já captaram R$ 575mi este ano, pois são uma opção de investimento razoavelmente segura em tempos de instabilidade nos mercados, já que eles rendem quando a Bolsa sobe, mas asseguram que o investidor não perca o valor aplicado em caso de baixa.

 

Cobrando o preço da incompetência administrativa do governo Dilma, (1) a Agência Nacional de Energia Elétrica divulgou na sexta-feira que as contas de energia elétrica permanecerão mais em AGO/15, (2) a Eletrobrás anunciou um corte de -17,3% em seu programa de investimentos para os próximos 5 anos e (3) o déficit primário das contas públicas atingiu R$ -45,7bi nos últimos 12 meses terminados em JUN/15, batendo o recorde negativo de -0,8% do PIB na série histórica iniciada em 2001.

 

-    O Bradesco subiu 0,8%, porem durante o final de semana foi anunciado que o referido banco comprou a operação brasileira do HSBC por R$ 17,6bi, valor acima do previsto pelo mercado (entre R$ 10bi e R$ 12bi).

-    A Lojas Renner caiu –1,5%, mesmo após anunciar que seu lucro líquido subir mais de 30% no segundo trimestre em relação ao mesmo período de 2014, apoiada em uma boa aceitação por clientes da coleção de inverno e pela expansão de dois dígitos na receita.

-    A BRF subiu 4,02%, após a empresa, que é a maior exportadora de carne de frango do mundo, anunciar que teve lucro líquido de R$ 364mi no segundo trimestre, o que representa um salto de quase 47% em relação ao resultado obtido 1 ano antes.


Política:
 
Com cada dia mais "medo de perder o emprego", que aliás lhe paga um salário muito acima de sua qualificação, a presidenta Dilma decidiu recorrer a seu antecessor, o ex-presidente Lula, e ao presidente do Senado, o peemedebista Renan Calheiros, para tentar reverter a tendência desfavorável ao governo no julgamento das contas de 2014 pelo Tribunal de Contas da União.
 
Como não se cansa de dizer besteiras, FHC, que mais ajuda do que atrapalha o governo Dilma, ignorou as inúmeras denuncias de corrupção e afirmou durante o final de semana que só seria possível um diálogo com Lula e com a presidenta Dilma se houvesse um simples reconhecimento público do PT de que o partido errou ao investir nos últimos anos no discurso do "nós e eles".

 

-    Diante da esperada ofensiva do presidente da Câmara, o peemedebista Eduardo Cunha, na volta do recesso parlamentar, setores do PT interpretaram o artigo de FHC na imprensa nacional e sua entrevista a uma revista alemã como uma abertura para o diálogo.

-    Militantes da Força Sindical, comandados pelo deputado Paulinho, farão hoje um protesto no caminho do Palácio da Alvorada, quando a presidenta Dilma receberá líderes e presidentes de partidos aliados, servindo sardinhas na brasa e uma "mandiocada".

 

A maioria dos deputados que lideram as bancadas de seus partidos na Câmara declara ser contra o afastamento do presidente da Casa, o peemedebista Eduardo Cunha, mesmo se o Supremo Tribunal Federal, para ajudar a presidenta Dilma, decida abrir um processo contra ele por causa da suspeita de que recebeu propina do esquema de corrupção descoberto na Petrobras.

 

Ontem, durante a abertura de um congresso de medicina em Curitiba, Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, arrancou risos e aplausos de cerca de 750 pessoas presentes ao afirmar que a corrupção é um câncer que torna a sociedade doente e que a Operação Lava Jato é a cirurgia que vai extirpar essa doença.


Crítica:

 

O lítio tem uma demanda crescente, pois é a partir dele que são feitas as baterias da maioria dos gadgets e dos novos carros elétricos, porem a maior reserva de lítio do mundo está abaixo da crosta branca de Uyuni, na Bolívia, que por sua vez quer disputar um mercado hoje dominado por gigantes como Panasonic, Samsung, LG e Tesla.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário