R.B. 27/AGO/15 "Dando moral"


R.B.

"Dando moral"

 

São Paulo, 27 de agosto de 2015 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, ainda em um movimento de "caça de barganhas" para recuperar as perdas acumuladas no mês (-9,5%) e no ano (-7,9%), acompanhando a melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e a valorização das commodities e (2) o DÓLAR pode cair, reduzindo uma parte da valorização acumula no mês (5,4%) e no ano (35,7%), aliviado com a redução das tensões externas e acompanhando o esperado desempenho positivo da bolsa brasileira.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 3,3%, com bom volume de negócios (R$ 7,0bi), acompanhando o desempenho positivo das bolsas de NY, beneficiada pela por uma injeção de capital na China e com destaques de alta para as ações dos bancos, como Itaú (6,2%), Bradesco (4,7%) e Banco do Brasil (5,2%), diante da aprovação da MP 675, que elevou menos do que o esperado a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido do setor e (2) o DÓLAR subiu 0,3% à R$ 3,60, para fechar em território positivo pela sessão consecutiva, nas quais acumulou valorização de 4,4%, ainda pressionado por conta do clima político adverso no Brasil.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 3,2%, registrando o maior ganho diário desde OUT/14, beneficiada pelo anúncio do BC chinês de medidas de relaxamento monetário, como novos cortes de taxas de juros e dos compulsórios e China -1,3%, após um pregão com bastante volatilidade, para manter-se abaixo da marca psicologicamente importante de 3 mil pontos, (2) da EUROPA, Inglaterra -1,7%, França -1,4% e Alemanha -1,3%, em meio a dúvidas de que os estímulos anunciados pela China possam dar suporte à segunda maior economia do planeta e com destaque de queda para os papéis da gigante suíça de agroquímicos Syngenta (-18,2%), depois da Monsanto retirar sua oferta de compra pela companhia e (3) dos EUA, iniciando um movimento de recuperação após 6 pregões consecutivos de queda, S&P 3,9%, DJ 3,9% e NASDAQ 4,2%, diante dos sinais de que, por conta das turbulências na China, a taxa de juros norte-americana não subirá em SET/15 mesmo com a divulgação de sinais positivos da referida maior economia do mundo, como o anúncio de que as encomendas de bens duráveis subiram 2,0% em JUL/15 ante JUN/15, patamar bem acima do esperado (0,1%).

 

''Dando moral'' para o ministro brasileiro da Fazenda, ontem a agencia de classificação de risco Moody's afirmou que a credibilidade da política econômica do governo Dilma avançou com uma nova postura na área fiscal, defendida por Joaquim Levy, elogiando também o firme combate do BC contra a inflação via aumento da taxa básica de juros.

 

Cobrando da população a conta da sua incompetência administrativa, o governo Dilma, sem dinheiro suficiente para cobrir suas despesas em 2016 e sem capacidade política de cortar gastos públicos, estuda maneira de elevar impostos e uma das sugestões em pauta, e com cada vez mais adeptos, é recriar a CPMF, o chamado "imposto do cheque".

 

Com o objetivo de arrecadar R$ 1,9bi, o Ministério do Planejamento anunciou ontem que o governo pretende vender centenas de imóveis da União em todo o país a partir deste ano, ressaltando que parte desses recursos será aplicada na construção de novos prédios administrativos em Brasília, em um modelo de parceria com o setor privado.

 

Privatizando bens públicos, como parte de um esforço para salvar a estatal, cujo prejuízo em 2015 chegará a R$ 450mi, o governo federal planeja vender fatias da participação que a Infraero tem nos aeroportos concedidos à iniciativa privada.

 

Responsáveis pela maioria dos empregos gerados no país, as pequenas e médias empresas brasileiras estão entre os clientes bancários com maior dificuldade para pagar suas dívidas neste ano, marcado pelo aumento dos juros e pela restrição ao acesso a financiamentos, com isto em JUL/15 o percentual de inadimplência deste segmento estava em 4,1%, o que representa o maior patamar desta pesquisa de crédito do BC, que começou em MAR/15, e um forte aumento na comparação com JUL/14 (3,5%).

 

Por culpa da elevação da taxa básica de juros, do aumento da inadimplência e principalmente da falta de educação financeira do brasileiro, que não sabe negociar taxas e consome o que não pode pagar, em JUL/15 a taxa média de juros no rotativo do cartão de crédito alcançou o patamar recorde de 395% ao ano, contra 308% em JUL/14, já a taxa média do cheque especial fechou o mês passado em 247% ao ano, o que representa o maior patamar desde NOV/95 (252% ao ano).

 

-    A Petrobrás subiu 2,9% e antes do pregão anunciou que fará uma nova captação de recursos no mercado, desta vez com a emissão de debêntures, no valor total de R$ 3bi, ressaltando que os que recursos serão usados, entre outras coisas, para novos investimentos e amortização de dívidas existentes.


Política:
 
Fazendo mais uma rodada de boca livre no Palácio do Planalto, cujo objetivo principal é mostrar que tem apoio, no dia 25/AGO/15 a presidenta Dilma recebeu 7 empresários para um jantar e o tema oficial foi ouvi-los sobre a atual crise econômica e discutir com eles medidas para supera-la.
 
Em um jogo de cartas marcadas, que só foi possível após um acordo para não denunciar Renan Calheiros, presidente do Senado, na Operação Lava Jato, ontem, após mais de 10 horas de sabatina, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou a recondução do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para mais um mandato à frente do Ministério Público.

 

Remando para um lado enquanto o governo Dilma tenta remar para outro lado, ontem, 16 dias depois de o Senado e o governo anunciarem um pacote de projetos anticrise, a chamada Agenda Brasil, 15 partidos governistas da Câmara, encabeçados pelo PT, lançaram a chamada "Pauta da Virada", que é um conjunto de propostas que, em boa parte, representa aumento de gastos aos cofres públicos.

 

Afastando, ao menos por enquanto, a possibilidade de impeachment, ontem o Tribunal de Contas da União deu mais 15 dias para que a presidenta Dilma responda a 2 novos questionamentos sobre irregularidades nas contas de governo de 2014, mais conhecidas como '''pedaladas fiscais''.

 

Os Ministros do Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Planalto reagiram com perplexidade diante da abertura da ação de cassação de mandato contra Dilma pelo Tribunal Superior Eleitoral, avaliando como "sem precedentes" a fragilidade política da presidenta do Brasil.

 

Agindo m beneficio de interesses particulares, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem, em primeiro turno, uma proposta de emenda à Constituição que efetiva, sem concurso público, responsáveis por cartórios que hoje exercem a atividade de forma interina.


Crítica:

 

Mantendo a política do pão e circo, agora de uma forma mais moderna, o que incentiva as pessoas a viverem às custas do Estado, segundo uma pesquisa feita pelo IBGE, atualmente no Brasil cerca de 25% das prefeituras brasileira disponibilizam acesso gratuito à internet para a população, por meio de cobertura wi-fi.

 

Até agora focada na energia eólica, a geração de energia a partir de fontes renováveis já responde por 17% da matriz elétrica brasileira e, com expectativas cada dia mais positivas, o próximo passo para conquistar uma expansão ainda maior está no aumento da competitividade das usinas solares.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário