R.B. 28/JUL/15 "Como um papagaio adestrado sem noção do que diz"


R.B.

"Como um papagaio adestrado sem noção do que diz"

 

São Paulo, 28 de julho de 2015 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsa mundiais e tentando uma recuperação após cair –8,2% nos 7 últimos pregões, porem deve-se ressaltar que uma melhora consistente somente ocorrerá caso a presidenta Dilma renuncie ou seja afastada do cargo e (2) o DÓLAR pode cair, também em um "ajuste técnico" após acumular uma alta de 6,1% nos 4 últimos pregões, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e beneficiada pela esperada melhora do "humor" na bolsa brasileira.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,0%, para fechar o dia no menor patamar desde 13/MAR/15 (aos 48.735pts), influenciada pela forte queda da bolsa chinesa (-8,5%) e seguindo o recuo das commodities e (2) o DÓLAR subiu 0,4% à R$ 3,36, para fechar em alta pelo quarto pregão consecutivo, acompanhando a piora do "humor" na Bovespa e ainda influenciado pelo aumento das "apostas" de que o Brasil perderá o grau de investimento.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão –0,9% acompanhando as fortes perdas registradas na bolsa chinesa e com destaques de queda para as exportadoras, diante da fraqueza do dólar frente a moeda local (o iene) e da cautela dos investidores que aguardam a divulgação de balanços corporativos e China -8,5%, a maior queda desde 2007, influenciada por temores de que o governo do país esteja retirando recentes medidas de apoio aos mercados locais, pela tendência de queda nos preços das commodities e por novos dados fracos da indústria do país, (2) da EUROPA, Inglaterra –1,1%, França –2,6% e Alemanha –2,6%, acompanhando as perdas na bolsa chinesa e e também prejudicadas por uma série de notícias corporativas ruins, como da montadora Fiat (-6,9%), que concordou em pagar uma multa de US$ 105mi aos reguladores dos EUA por causa de recalls, e da empresa de tecnologia Indra Sistemas (-3,8%), que apresentou resultados abaixo do esperado e (3) dos EUA, em território negativo pelo quinto pregão consecutivo, S&P –0,6%, DJ –0,7% e NASDAQ –1,0%, também acompanhando as perdas das bolsas chinesas e particularmente influenciadas pela divulgação de dados econômicos melhores do que o esperado, que por sua vez podem influenciar a autoridade monetária local a aumentar a taxa básica de juros do país.

 

Mesmo após os esforços de Pequim para sustentar um mercado de ações, dizendo que estavam dispostos a comprar ações e insinuando uma maior flexibilização monetária, a bolsa chinesa recuou –1,7% neste terça-feira, aumentado os temores sobre a estabilidade financeira da segunda maior economia do mundo.

 

Como o governo Dilma já admite oficialmente que a volta do crescimento econômico ficou para o final do ano, a equipe econômica teme agora que a agência de avaliação de risco Standard & Poor's coloque a "nota" brasileira em perspectiva negativa, o que forçaria uma alta ainda maior do dólar, da inflação e dos juros brasileiros.

 

Cada dia mais pessimista e já esperado um rebaixamento da "nota" do Brasil, "o mercado" reduziu, desta vez de –1,70% ara –1,76%, suas "apostas" para a retração da economia brasileira, e elevou pela 15ª semana seguida, desta vez de 9,15% para 9,23%, suas expectativas para a inflação do país neste ano.

 

Repetindo, "como um papagaio adestrado sem noção do que diz", algo que algum "técnico de confiança" lhe passou, ontem, durante uma reunião com seus ministros, a presidenta Dilma afirmou que a Operação Lava Jato será responsável pela retração de –1,0% na economia brasileira em 2015.

 

Mostrando que é cada dia mais delicada a situação da economia brasileira, como o governo arrecada pouco e segue gastando muito, em JUN/15 a dívida pública federal, que inclui os endividamentos interno e externo do governo, registrou um avanço de 3,50% na comparação com MAI/15, chegando a R$ 2,583tri.

 

Lucrando cada dia mais com a baixa concorrência do setor, com a falta de educação financeira da população brasileira e também beneficiados pela política irresponsável do governo Dilma de incentivar o consumo supérfluo e descontrolado, em MAI/15 os bancos do país cobraram um "spread" bancário médio, que é a diferença entre os juros que os bancos pagam para captar dinheiro e o que cobram para emprestá-lo, de 29,9%, o que representa o maior patamar desde os 30,5% de JAN/09.

 

Como só faz acordos comerciais com países com a economia inexpressiva, como Venezuela, Argentina e Cuba, o Brasil, que já era um dos países onde as vendas ao exterior menos contribuem para o PIB, tem piorado a cada ano seu desempenho em relação a outras economias, com isto no ano passado as exportações representaram apenas 11,5% da soma de bens e serviços produzidos pelo país, o que representa o sexto menor percentual entre 150 países analisados pelo Banco Mundial, ficando à frente de Afeganistão, Burundi, Sudão, República Centro-Africana e Kiribati e bem abaixo da média global, de 29,8% do PIB.

 

-     A Braskem despencou -10,1%, motivada pela denúncia do Ministério Público Federal de que a Petrobras teria amargado perda de R$ 6 bilhões no contrato de nafta para a empresa.


Política:
 
Após levar um fora publico de FHC, que afirmou publicamente que não é hora de conversar com o governo e que uma agenda que não fosse pública pareceria "conchavo", a presidenta Dilma classificou a defesa pública do diálogo com o ex-presidente tucano de "absurda".
 
Mais uma vez, de forma oportunista, tentando pegar carona nos movimentos populares contra Dilma, o senador tucano Aécio Neves afirmou ontem que o PSDB fará inserções de rádio e televisão para convocar as pessoas a participarem das manifestações marcadas para 16/AGO/15.

 

Acreditando que a melhor defesa é o ataque, em reação ao que considera ofensiva orquestrada para atingir Lula, o PT promete "guerra" à oposição no Congresso e já combinou que seus senadores e deputados vão responder a ataques nas tribunas e "partir para cima" de caciques tucanos como Aécio Neves e Cássio Cunha Lima, ambos ex-governadores.

 

Rasgando dinheiro publico em um momento inoportuno, já que o país está em uma enorme crise econômica e política, a Assembleia Legislativa de SP gastará neste ano R$ 4mi para comprar 56 carros novos da marca Nissan para a utilização dos "nobres" deputados estaduais.

 

-    Podendo reunir Lula, Dilma, Marina Silva e Aécio Neves, já que todos na lista de convidados, o PSB reforça nesta semana convite para ato público no Recife no dia 10/AGO/15, quando Eduardo Campos completaria 50 anos.


Crítica:

 

Sem nenhuma noção de economia ou ao menos da lei da oferta e procura, a Força Sindical fará hoje um protesto contra os juros altos em frente ao BC, justamente na semana da reunião do Copom, e já avisou que vai montar um pódio para distribuir premiações a banqueiros e especuladores fantasiados.

 

Atuando como um advogado dos empresários e banqueiros corruptos, de Lula e do governo Dilma, Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal, determinou que a Polícia Federal e o Ministério Público só podem utilizar como prova do esquema de corrupção da Petrobras material apreendido em escritórios de advocacia que tenham relação direta com as investigações.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário