R.B. 1/JUN/15 "Refém do poder"


R.B.

"Refém do poder"

 

São Paulo, 1 de junho de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando iniciar um movimento de recuperação das perdas acumuladas no mês passado (-6,2%), acompanhando a forte alta registrada na bolsa chinesa (4,7%) e (2) o DÓLAR pode cair, realizando lucros após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 31/MAR/15, influenciado pela esperada melhora do "humor" na Bovespa.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –2,2%, com bom volume de negócios (R$ 9,9bi), acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais, influenciada negativamente pelo crescente pessimismo dos investidores com o futuro da economia brasileira e com destaques negativos para as ações dos bancos, como Itaú (-2,5%), Bradesco (-2,7%) e Banco do Brasil (-2,8%) e (2) o DÓLAR subiu 0,8% à R$ 3,19, para fechar o mês acumulando uma alta de 7,8%, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e a piora do "humor" na bolsa brasileira.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1%, em alta pela 11ª sessão seguida, o que representa a maior série ininterrupta desde FEV/88, com destaque positivo para as exportadoras, diante da valorização do dólar frente a moeda local (o iene) e China –0,2%, diante de um sentimento de cautela antes do lançamento de ofertas públicas iniciais de algumas empresas chinesas, (2) da EUROPA, Inglaterra –0,8%, França –2,5% e Alemanha –2,3%, com os investidores fechando a semana e o mês ainda sem saber se a Grécia conseguirá chegar a um acordo com seus credores antes do vencimento de dívidas do país em JUN/15 e (3) dos EUA, S&P –0,6%, DJ –0,6% e NASDAQ –0,6%, acompanhando as perdas das bolsas europeias e prejudicadas pela divulgação de indicadores fracos da economia norte-americana, como o PIB do primeiro trimestre que foi revisado para uma contração de -0,7%.

 

Mostrando como é difícil as empresas brasileiras competirem globalmente, segundo um estudo divulgado neste final de semana, são necessários 4 trabalhadores para atingir a mesma produtividade de 1 trabalhador norte-americano e os principais motivos, pela ordem, são (1) o baixo nível educacional no Brasil, (2) a falta de qualificação da mão de obra, (3) os gargalos na infraestrutura e (4) os poucos investimentos em inovação e tecnologia no país.

 

Apresentando um resultado ruim, porem ligeiramente melhor que o esperado (-0,6%), nos 3 primeiros meses deste ano o PIB brasileiro recuou –0,2% frente aos últimos três meses de 2014, o que representa o pior resultado desde o segundo trimestre do ano passado e foi causado principalmente pela retração no setor de serviços (-0,7%).

 

Confirmando que os empresários estão pouco confiantes sobre o futuro da economia tupiniquim, os investimentos recuaram -1,3% no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o quarto trimestre de 2014, o que representa o sétimo trimestre consecutivo de queda.

 

Com o governo Dilma aumentando gastos e cortando investimentos e com a economia em retração, o superávit do setor público para o pagamento de juros da dívida caiu 24% nos primeiros quatro meses do ano na comparação com o mesmo período do ano passado, atingindo apenas 0,76% do PIB nos últimos 12 meses, patamar bastante distante da meta para este ano (1,1% do PIB) e o menor da série histórica iniciada em NOV/02.

 

Conforme já era de se esperar, diante da queda da renda e do aumento do desemprego, os atrasos acima de 90 dias, período a partir do qual o cliente é considerado inadimplente pelo sistema bancário, subiram de 17,5% em ABR/14 para 21,8% em MAR/15 nos financiamentos concedidos na faixa 1 do programa Minha Casa Minha Vida, que é destinado às famílias com renda mensal de até R$ 1.600.

 

Com o consumidor brasileiro "pagando mais para levar menos", segundo um levantamento da consultoria Kantar Worldpanel, na comparação entre o primeiro semestre deste ano e o mesmo período de 2014 as famílias reduziram em -8% o volume de compras de bens não duráveis, como alimentos, bebidas, produtos de higiene, beleza e limpeza, porem mesmo assim a compra mais modesta do início deste ano custou 1% a mais do que a de 1 ano atrás.

 

-    Aprendendo a comprar na baixa, a participação dos investidores pessoa física na bolsa de valores brasileira subiu de 11,2% em DEZ/14, quando atingiu o menor patamar desde 1998, para 15,6% em MAI/15.

 

-    A Petrobrás caiu –2,7%, porem durante o final de semana surgiram "rumores" de que, para reforçar seu caixa em cerca de US$ 8bi, a empresa pretende colocar à venda os campos de petróleo que possui no golfo do México e nos EUA.


Política:
 
Prejudicando, e muito, a popularidade da presidenta Dilma, as Prefeituras e Estados em todo o país não receberam até agora nenhum repasse do governo federal relativo a 2015 para a gestão do Bolsa Família, o que compromete a checagem da frequência de crianças nas escolas e postos de saúde e a atualização cadastral dos beneficiários.
 
-    O ex-presidente Lula é muito apegado e atualmente também é "refém do poder", o que indica que, caso ele não esteja preso em 2018, sua candidatura à presidente é 99,9% certa.

-    Com os tucanos cada vez mais desunidos, aliados de Alckmin dizem que a turbulência na eleição para a presidência do diretório paulistano do PSDB deve reforçar a necessidade de que o diretório estadual continue com um nome próximo do governador.

-    O acordo que levou PDT e PR para a gestão do prefeito petista Haddad, de SP, foi selado com reunião no Instituto Lula e patrocinado pelo ex-presidente.

-    Por divergências de quem comandaria os diretórios estaduais, principalmente o de SP, após meses de conversa, dirigentes de PTB e DEM decidiram suspender as negociações para uma fusão das siglas.

 

Como a matéria tem a oposição do PT e o apoio de mais de 80% da opinião publica, Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, afirmou ontem que vai colocar em votação até o fim de JUN/15 a Proposta de Emenda à Constituição que diminui de 18 para 16 anos a maioridade penal no país.

 

Além de processo contra Renan Calheiros, o peemedebista que é presidente do Senado e que trabalhou contra sua nomeação, o ministro Edson Fachin também vai "herdar" a relatoria do inquérito 2.474, que apura as origens do dinheiro do mensalão, que segundo investigação de 2011 da Polícia Federal foi o Banco do Brasil.

 

Ineficiente, caro e totalmente nas mãos do governo, o Supremo Tribunal Federal vai esticar o feriadão para esta semana toda, já que não haverá nenhuma sessão plenária e o presidente, ministro Ricardo Lewandowski, viajou para a Rússia, onde assina acordos de cooperação.

 

Intimamente ligado ao PT, o empresário do ramo de serviços gráficos e organização eventos Benedito Rodrigues, que manteve R$ 525 milhões em contratos com órgãos do governo federal de 2005 a 2014, foi preso na sexta-feira passada pela Polícia Federal de Brasília sob suspeita de crime de associação criminosa.


Crítica:
 
Mostrando mais uma vez que no Brasil o crime e a corrupção compensam, análises feitas pela área jurídica do governo Dilma concluíram que as empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato poderão participar do pacote de concessões, que deve ser lançado no começo deste mês pela presidenta.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário