R.B. 9/MAR/15 "Um crescente desencanto com o futuro do Brasil"


R.B.

"Um crescente desencanto com o futuro do Brasil"

 

São Paulo, 9 de março de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ampliando a baixa acumulada no ano (-0,1%), ainda prejudicada pela piora do cenário político no Brasil e desta vez também acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode votar a subir, para fechar em alta pelo sexto pregão consecutivo e assim ampliar a alta já acumulada no ano (15,2%), também acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,8%, para fechar em território negativo pelo terceiro pregão consecutivo, prejudicada pela piora do cenário político e pela deterioração das perspectivas econômicas para o Brasil e (2) o DÓLAR subiu 1,5% à R$ 3,05, para fechar a semana com alta de 6,9% e no maior patamar desde AGO/04, pressionado por tensões políticas no país e por dados de emprego nos EUA melhores que o esperado.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,2% e China 0,2%, otimistas antes da divulgação do índice de desemprego dos EUA e após o anúncio de que o índice japonês que mede as condições de negócios do país encerrou JAN/15 em alta, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra –0,7%, França 0,1% e Alemanha 0,4%, diante da divulgação de dados econômicos conflitantes, como o crescimento abaixo do esperado da produção industrial alemã e o déficit da balança comercial francesa e (3) dos EUA, com o S&P fechando se segunda semana seguida acumulando baixa, S&P –1,4%, DJ –1,5% e NASDAQ –1,1%, já que a divulgação de dados positivos de emprego no país elevaram as especulações sobre o aumento nas taxas de juros pelo Fed ("BC" local).

 

Revelando "um crescente desencanto com o futuro do Brasil", segundo uma pesquisa feita pela multinacional de recrutamento Hays em parceria com o Insper, no ano passado mais de 80% dos executivos brasileiros se diziam dispostos a deixar o país para trabalhar no exterior, contra 62,6% em 2013.

 

Apesar da falta de credibilidade e das constantes mudanças nas "regras do jogo", Nelson Barbosa, ministro do Planejamento, afirmou que o governo Dilma pretende ampliar o programa de concessões em infra-estrutura e dar continuidade às obras do PAC, como parte de uma agenda de retomada de crescimento.

 

Representando a maior mudança da sua história, o Tesouro Direto, que é o sistema de venda de títulos públicos pela internet, passará a ter novos nomes a partir de amanhã, justamente no momento em que os juros destes investimentos atingem o maior patamar desde 2009, já que atualmente boa parte dos papéis prevê taxas acima de 13% ao ano.

 

Pressionado principalmente pelos preços controlados pelo governo, sobretudo energia e gasolina, o IPCA, que é o índice oficial de inflação e que serve de base para a decisão do BC de subir ou não a taxa de juros do país, ficou em 1,22% em FEV/15 e assim acumula alta de 7,7% nos últimos 12 meses, o que representa o maior patamar em 1 ano desde MAI/05.

 

Diante da queda das vendas dos imóveis, que alias deve se intensificar nos próximos meses, o Índice Nacional da Construção Civil, desacelerou de 0,21% em JAN/15 e de 0,44% em FEV/14 para 0,18% em FEV/15, acumulando agora 5,67% nos últimos 12 meses, patamar abaixo dos 5,94% registrados nos 12 meses encerrados em JAN/15.

 

Indicando que a paridade entre as duas moedas pode realmente ocorrer, na sexta-feira passada, diante do recuo do desemprego nos EUA,  o euro continuou se desvalorizando frente ao dólar e, negociado a US$ 1,0856, atingiu a menor cotação desde 3/SET/03.


Política:
 
Ontem, em mais um ataque frontal às iniciativas do governo Dilma, a senadora petista Marta Suplicy disse que a presidenta, tentando se apoiar na ultrapassada justificativa da crise internacional, negou, mais uma vez, a gravidade e a dimensão da atual crise econômica, as responsabilidades de seu governo e as consequências de seus desdobramentos para os brasileiros.
 
Mostrando como é complicada a situação do governo Dilma, dos 34 parlamentares que serão investigados no Supremo Tribunal Federal por suspeita de participação no esquema de corrupção na Petrobrás, 11 ocupam postos de comando no Congresso, com destaques para as presidências do Senado e da Câmara e até para integrantes da CPI da Petrobras e do Conselho de Ética.

 

A rebelião do PMDB, que mandou de volta para a presidenta Dilma a revisão das medidas de desoneração da folha de pagamento, mostra que o ajuste fiscal do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, está órfão de apoio político no Congresso, pois ficou sem pai nem mãe e passou a apanhar de todos os lados, inclusive de petistas.

 

Isolando politicamente cada vez mais a CUT, que segue fazendo o que Lula manda, os metalúrgicos representados por sindicatos filiados à CSP-Conlutas fizeram protestos na sexta-feira passada em fábricas do interior paulista contra as medidas do governo federal que tornam mais rígidas as regras para o pagamento do abono salarial, do seguro-desemprego, da pensão por morte e do auxílio-doença.

 

Estrategicamente utilizando os mesmos atores que apareceram em toda a campanha presidencial de Aécio Neves, o PSDB está exibindo propagandas na TV nas quais reforça a mensagem de que a presidenta Dilma se valeu do estelionato eleitoral para ser reconduzida ao Palácio do Planalto.


Crítica:
 
Com a desculpa do dia internacional da mulher, ontem a presidenta Dilma, "vestida de verde e sem ficar vermelha de vergonha", foi na TV, enquanto milhares de brasileiros batiam em panelas contra ela, para falar que, (1) o Brasil não está em crise, pois sua economia tem fundamentos sólidos, (2) as turbulências atuais são provocadas pela crise internacional, que segundo ela é a pior desde 1929 e (3) a sociedade vai "pagar a conta" do ajuste fiscal.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário