R.B. 3/MAR/15 "Pacote de maldades para o andar de cima"


R.B.

"Pacote de maldades para o andar de cima"

 

São Paulo, 3 de março de 2015 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ainda na contramão das principais bolsas mundiais, desta vez prejudicada por "rumores" de que o governo Dilma estuda um "pacote de maldades para o andar de cima", que incluiria tributar os dividendos pagos pelas empresas e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, com "boas chances" de fechar o dia acima dos R$ 2,90 mesmo após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 15/SET/04, acompanhando a esperada piora do "humor" na Bovespa e a redução do fluxo de recursos externos.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,1%, realizando lucros após avançar 10% em FEV/15, o que representou a maior alta mensal em mais de 3 anos, na contramão da bolsa de NY e pressionada principalmente pelo recuo das ações da Petrobras (-1,6%) e da Vale (-3,1%) e (2) o DÓLAR subiu 1,4% à R$ 2,89, para fechar o dia no maior patamar do ano, diante do resultado muito ruim da balança comercial brasileira em FEV/15, da expectativa de redução dos leilões de venda do BC e das dúvidas quanto à aprovação no Congresso do pacote de corte de gastos do ministro Joaquim Levy.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,2% e China 0,8%, beneficiadas pelo anúncio de novas medidas de relaxamento monetário anunciadas no sábado pelo governo chinês, (2) da EUROPA, realizando parte dos lucros acumulados na semana passada, após uma sessão volátil, Inglaterra –0,1%, França –0,7% e Alemanha –0,1%, com os investidores mais preocupados com as perspectivas da região da moeda única, que são afetadas pela negociação do resgate grego, e destaque de queda para as ações Vivendi (-4,9%), que anunciou a venda da fatia de 20% da SFR-Numericable para o investidor Patrick Drahi e (3) dos EUA, com o S&P e o DJ nos maiores patamares da história e o NASDAQ no maior patamar desde MAR/00, S&P 0,6%, DJ 0,9% e NASDAQ 0,9%, beneficiadas pelo bom desempenho das ações de empresas de tecnologia e biotecnologia, que apresentam lucros e fluxo de caixa cada dia maiores, e pelo aumento da confiança na economia norte-americana.

 

Segundo "rumores" estimulados por petistas, o "pacote de maldades para o andar de cima" que está em estudo pelo governo Dilma deve incluir (1) a tributação de lucros e dividendos, incluindo remessas para o exterior, (2) a criação de impostos sobre heranças e grandes fortunas e (3) a instituição da cobrança de Imposto de Renda sobre LCIs (Letras de Crédito Imobiliário) e LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio).

 

O governo estima em R$ 31bi o potencial de arrecadação anual com a tributação de lucros e dividendos, porem esse mecanismo, caso implementado, ajudará a afugentar ainda mais o capital estrangeiro produtivo investido no Brasil, já que seria um exemplo de "mudança de regra no meio do jogo" e certamente provocaria desgaste ainda maior na credibilidade do governo.

 

Cada dia mais pessimista, o "mercado" reduziu ainda mais, desta vez de –0,50% para –0,58%, suas "apostas" para o desempenho do PIB brasileiro em 2015, o que se confirmado será o pior resultado desde 1990, e elevou, agora de 7,33% para 7,47%, suas perspectivas para a inflação do país medida pelo IPCA neste ano, o que, se confirmada, será a maior elevação desde 2004.

 

O excesso de recursos disponíveis no mercado financeiro global após a crise de 2008 levou a um boom de endividamento do setor privado brasileiro no exterior, fazendo a dívida externa de bancos e empresas privadas do país dobrar e atingir o maior patamar da história (US$ 208bi) entre o terceiro trimestre de 2009 e o mesmo período de 2014, o que agora, diante da expectativa de elevações dos juros nos EUA, deve pressionar ainda mais a alta do dólar e consequentemente a inflação brasileira.

 

Como fruto da queda dos preços das commodities, mas principalmente de uma política externa equivocada que privilegia relações comerciais com países como Argentina, Rússia e Cuba, em detrimento à Europa e EUA, em FEV/15 a balança comercial brasileira registrou um déficit de US$ -2,8bi, o que representa o pior resultado da história para meses de fevereiro.

 

-    A Petrobrás caiu –1,6%, mesmo após anunciar que, (1) para fazer frente à atual dificuldade de caixa, espera obter R$ 39bi com a venda de ativos no Brasil e no exterior e (2) seu Conselho de Administração aprovou a renovação do contrato da PricewaterhouseCoopers para prestação de serviços de auditoria contábil neste ano e em e 2016.


Política:
 
Desta vez com razão, o Ministros do governo Dilma temem que o ato marcado para o dia 13/MAR/15 pela CUT em defesa da Petrobras seja visto como uma provocação e "infle" o movimento pró-impeachment agendado para 15/MAR/15 em diversas cidades do país.

 

Pressionado pela repercussão extremamente negativa de sua medida, o deputado peemedebista Eduardo Cunha, o presidente da Câmara, deve anunciar hoje o recuo do benefício aprovado pelo comando da Casa que permite passagens para cônjuges de parlamentares.

 

Em uma resposta às reclamações que tem escutado do PMDB, seu principal aliado, a presidenta Dilma se reuniu com a cúpula do partido em um jantar no Palácio da Alvorada na noite de ontem e prometeu para os caciques da sigla que irá realizar reuniões semanais com os partidos da base aliada para tentar resolver o problema de relacionamento com o Congresso.

 

Certamente com o alvo em Lula e em Dilma, segundo o juiz federal Sergio Moro, responsável pelas ações envolvendo a Operação Lava Jato na Justiça Federal no Paraná, a criminalização da lavagem de dinheiro evita que um "político desonesto" ganhe vantagens no mundo "extremamente competitivo" da política e que a investigação deve rastrear o dinheiro ilegal a fim de se chegar ao chefe do grupo.

 

Em depoimentos de delação na Operação Lava Jato, que investiga esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro Alberto Youssef apontou que propinas em contratos da refinaria Abreu e Lima, que fica em Pernambuco, resultaram em repasses a integrantes dos partidos PP, PSDB e PSB.


Crítica:
 
Colocando em risco os caminhoneiros e os demais usuários das estradas e prejudicando a manutenção das rodovias e ruas, a presidenta Dilma sancionou a lei geral dos caminhoneiros com medidas como a permissão para um caminhão transportar 10% acima de seu peso e para um motorista dirigir até 12 horas por dia.
 
Provavelmente após mandar encher por lá o tanque do seu avião presidencial, já que no Brasil o querosene para aviação é um dos mais caros do mundo, a presidenta Dilma, de olho nos preços baixos do país vizinho, aproveitou seu tempo livre no Uruguai e foi fazer compras em um supermercado de Montevidéu.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário