R.B. 30/MAR/15 "Destaques de infidelidade"


R.B.

"Destaques de infidelidade"

 

São Paulo, 30 de março de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, sustentando o patamar dos 50.000pts e ampliando a "tímida" valorização acumulada no ano (0,2%), diante da melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e da valorização das commodities e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo uma pequena parte da forte alta acumulada no ano (21,8%), acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e a esperada melhora do "humor" na Bovespa.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,0%, prejudicada pela crescente piora do "humor político" no Brasil e desta vez também pressionada pelo recuo das ações da Vale (-2,7%), diante do recuo do preço do minério de ferro e (2) o DÓLAR subiu 0,6% à R$ 3,22, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e prejudicada pela divulgação de novos sinais negativos da economia brasileira.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão –0,9%, realizando lucros após o anúncio de que os gastos das famílias no país recuaram -2,9% em FEV/15 em termos reais, contra o mesmo período de 2014 e China 0,2%, em compasso de espera antes do discurso de Janet Yellen, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra –0,6%, França 0,5% e Alemanha 0,2%, mesmo após Mario Draghi, presidente do BC Europeu, ter assegurando que o programa de compra de títulos vai conseguir atingir sua meta para este mês e (3) dos EUA, recuperando as perdas da abertura, S&P 0,2%, DJ 0,2% e NASDAQ 0,1%, após Janet Yellen, a presidente do Fed, descartar aumento nas taxas de juros nas próximas reuniões até que a inflação esteja na meta e com o setor de trabalho alinhado.

 

Dentro daquilo que já se esperava, porem bem aquém daquilo que a presidenta Dilma prometeu durante sua campanha eleitoral, na sexta-feira o BC brasileiro anuncio que em 2014 a economia do país registrou um crescimento de apenas 0,1%, o que representa o resultado mais fraco desde a retração de -0,2% registrada em 2009, em meio à crise global.

 

Limitados pelo fraco desempenho da construção civil e pela produção doméstica de máquinas e equipamentos utilizados na produção de bens e serviços, os investimentos tiveram, em 2014, uma retração de –4,4% na comparação com 2013, o que representa o pior resultado desde 1999.

 

Mostrando que, diferentemente do que diz a presidenta Dilma, a economia dos EUA está se recuperando mais rapidamente do que a economia brasileira, o PIB norte-americano registrou um crescimento foi de 2,2% entre OUT/14 e DEZ/14 em relação ao mesmo período de 2013.

 

Confirmando mais uma vez que atualmente investimento em imóvel é um péssimo negócio, além da tendência de queda dos preços, que deve durar no mínimo mais uns 2 anos, a taxa média dos alugueis está em 5,24% ao ano, contra um rendimento médio de 11,5% das LCAs, de 10,0% das LFTs e de 9,5% dos CDBs.

 

Estimuladas pela disparada do dólar, que tornam mais baratas as aquisições em reais, as consultas de investidores estrangeiros interessados em comprar empresas no Brasil seguem em alta a despeito da estimativa de contração na economia brasileira neste ano, já que a impressão externa é que a turbulência no país será passageira.

 

Trazendo mais instabilidade para os mercados globais, a agência de classificação de risco Fitch rebaixou na sexta-feira passada sua "nota" de risco de investimentos da Grécia citando que a falta de acesso aos mercados e as incertezas sobre o desembolso da ajuda dos credores oficiais estão pressionando o financiamento governamental.

 

Apesar do governo Dilma "garantir" que é quase zero a chance de racionamento, o consumidor brasileiro terá de enfrentar mais um mês de tarifas altas no setor de energia elétrica, já que a conta de luz do mês de ABR/15, segundo divulgado na sexta-feira passada pela Agência Nacional de Energia Elétrica, será acrescida de R$ 5,50 a cada 100 kilowatt-hora consumidos.

 

Prejudicando a competitividade da indústria tupiniquim no mundo, segundo uma pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Rio, o Brasil alcançou o primeiro lugar em um ranking de países com a energia mais cara para o setor industrial, com um preço médio de R$ 534,28 por megawatt-hora (MWh), contra R$ 504,1 na Índia, R$ 493,6 na Itália, R$ 366,6 na Colômbia, R$ 355,5 em Cingapura, R$ 51 na Argentina, R$ 115 no Canadá, R$ 122 nos EUA e R$ 133 na Rússia.

 

Ajudando a aumentar a concorrência no setor, mesmo com uma redução de quase 25% no volume de investimentos previstos para este ano, na comparação com 2014, a distribuidora de combustíveis Ale pretende investir R$ 125mi e assim agregar à sua rede 300 novos postos em 2015.

 

Para evitar que tenha que se endividar ainda mais para financiar o seu plano de exploração do pré-sal, a Petrobrás anunciou que, assim que publicar seu balanço com os valores da corrupção, pretende cobrar indenizações das empreiteiras envolvidas no esquema de desvios da Lava Jato.

 

-    A Gerdau caiu -9,1%, após a empresa anunciar que vai propor em assembleia de acionistas a saída no grau 1 de governança corporativa da Bolsa.


Política:
 
Dizendo o que pensa, já que acreditava que suas palavras não estavam sendo gravadas, e assim criando mais um atrito com sua chefa, Joaquim Levy, ministro da Fazenda, afirmou, em um evento a portas fechadas em SP, que, embora seja bem-intencionada, a presidenta Dilma nem sempre faz as coisas da maneira mais simples e eficaz.
 
Estalado pela chefa para responder às criticas do ministro da Fazenda, Mercadante, ministro da Casa Civil, afirmou, com toda razão, que esse tipo de discurso vindo do principal ministro da área econômica e responsável por sanear as contas públicas do País dificulta as negociações em torno do ajuste fiscal.
 
Como já era de se esperar, o conjunto das 31 empreiteiras investigadas pela Operação Lava Jato foi responsável, em média, pela doação de 40% dos recursos privados canalizados para os cofres dos três principais partidos do País (PT, PMDB e PSDB) entre 2007 e 2013, com valores que somados chegam a pelo menos R$ 557mi, sendo que o PT ficou com a maior parte disto (R$ 321,9mi).

 

Como atualmente a presidenta do Brasil tem um recorde de rejeição e um enorme desafeto com o comando da Câmara, Dilma já perdeu, na prática, o controle sobre o Congresso Nacional, já que em 2015, em média, 3 em cada 10 membros de siglas aliadas votaram contra os interesses do Planalto, com "destaques de infidelidade" para PP, PTB e PMDB.

 

O preferido de Renan Calheiros para a vaga aberta há 8 meses no Supremo Tribunal Federal é Marcos Coelho, atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil e o drama da presidenta Dilma é que o referido presidente do Senado ameaça boicotar qualquer nome que seja enviado para análise da Casa com a chancela do ministro José Eduardo Cardozo.


Crítica:
 
Dando um belo exemplo, que deveria ser seguido por muitos empresários pelo mundo, Tim Cook, presidente-executivo da Apple, anunciou que está se juntando ao grupo de pessoas muito ricas que doam suas fortunas, ressaltando que planeja doar seu patrimônio, estimado em US$ 785mi, à caridade.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário