R.B. 16/MAR/15 "A ficha ainda não caiu"


R.B.

"A ficha ainda não caiu"

 

São Paulo, 16 de março de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ampliando as baixas acumuladas no mês (-5,9%) e no ano (-2,8%), prejudicada pela crescente piora do cenário político no Brasil, mesmo diante do anúncio de que a China divulgará novas medidas de estímulo econômico e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, mesmo após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 2/ABR/03, com os investidores externos retirando suas "fichas" do país de forma cada vez mais rápida.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,6%, novamente com os investidores preocupados com a crise política, que por sua vez eleva os receios de que o País possa até perder o grau de investimento e os "rumores" de que Joaquim Levy, o ministro da Fazenda, pode pedir demissão e (2) o DÓLAR subiu % à R$ 3,26, para fechar o dia no maior valor em quase 12 anos, também afetado pelas preocupações com a economia brasileira e com a crise política, que se somaram a tendência internacional de valorização da moeda norte-americana, diante da avaliação de que a taxa de juros dos EUA deve subir até JUN/15.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,4%, fechando em alta a 5ª semana seguida de ganhos, desta vez impulsionada, principalmente, por um forte apetite dos fundos públicos de pensão e China 0,7%, mais uma vez impulsionada por expectativas de que o governo do país adotará novas medidas de estímulos, (2) da EUROPA, anotando a 6ª semana consecutiva de ganhos, Inglaterra 0,3%, França 0,5% e Alemanha 0,9%, com destaques de alta para as ações de empresas de tecnologia e exportadoras, cujas perspectivas melhoraram com a desvalorização do euro frente ao dólar e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, S&P –0,6%, DJ –0,8% e NASDAQ –0,4%, com as exportadoras do país pressionadas pela valorização do dólar em relação às principais moedas.

 

Mostrando um total desconhecimento com relação à enorme falta de capacidade intelectual da atual presidenta do Brasil, o prestigiado economista Nouriel Roubini, que foi apelidado de Sr. Apocalipse por ter sido um dos únicos economistas a prever a crise financeira e a bolha hipotecária de 2008 nos EUA, afirmou que se Dilma não for irracional ou suicida politicamente ela fará um ajuste nos rumos de seu governo que inclua corte de despesas, aumento receita e controle da inflação, caso contrário o real sofrerá queda livre e o país vai perder o grau de investimento.

 

Refutando, ao menos por enquanto, os "rumores" de que pediria demissão, Joaquim Levy, ministro da Fazenda, informou a presidenta Dilma que um tributo federal sobre heranças é a melhor opção entre as medidas em estudo para a parcela mais rica da população dar sua contribuição para o ajuste fiscal e assim atender ao discurso do PT, de que o pacote fiscal avança também sobre o  "andar de cima".

 

Perdendo de longe para a inflação (cerca de 7,4%) e prejudicado pelo forte aumento da taxa básica de juros, segundo dados apresentados pelo IBGE em JAN/15 o comércio varejista do Brasil cresceu apenas 0,6% na comparação com JAN/14, mantendo o ritmo mais fraco também visto em DEZ/14 (0,3%).

 

Podendo, juntamente com a disparada do dólar frente ao real, elevar as exportações brasileiras, o governo chinês, para atingir sua meta de crescimento este ano (7,0%), anunciou, no encerramento da sessão anual do Congresso Nacional do Povo que ocorreu neste final de semana, que está disposto a adotar novas medidas de estímulo.

 

Segundo dados oficiais da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais, em 2014 o segmento dos investidores conhecido por Varejo cresceu 14,8% em relação a 2013 e atingiu R$ 667,7bi em recursos aplicados, com destaque positivo para as aplicações em Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e do Agronegócio (LCA), que são isentas de IR e que apresentaram um aumento de 8,4% no mesmo período.

 

-    A Petrobras caiu –2,3%, diante de "rumores" de que a estatal vai demorar mais tempo para publicar seus balanços e pode anunciar fechamento de capital quando as ações atingirem R$ 3,00.


Política:
 
Assustada pelos quase 2 milhões de brasileiros que saíram às ruas para criticar seu governo, Dilma, que é covarde, intelectualmente limitada e certamente está distante da realidade, o que mostra que "a ficha ainda não caiu", escalou seu dois principais bajuladores, que são os ministros José Eduardo Cardozo e Miguel Rossetto, para, sem nenhuma vergonha da cara, dizerem que a corrupção está sendo combatida como nunca no Brasil e que a presidenta vai enviar para o Congresso um pacote de medidas anticorrupção.
 
Além de enviar, provavelmente ainda esta semana, ao Congresso o pacote de medidas anticorrupção, a presidenta Dilma quer, após menos de 3 mês da posse, apressar as mudanças no ministério para responder às manifestações e tentar estancar a crise política, o que significa que o PMDB terá mais alguns ministérios.
 
Acreditando que o discurso de Aécio Neves e de outros líderes da oposição está aquém do das ruas, os caciques do PSDB estão sendo pressionados por deputados da sigla a subir o tom nesta semana, principalmente na CPI da Petrobrás e com o apoio do grupo cada vez maior de peemedebistas que são críticos ao governo Dilma.
 
Apesar de seu um "petista histórico", o senador Walter Pinheiro afirmou ontem que o governo, ao qual ainda apoia, é incapaz de (1) ouvir a sociedade, (2) admitir seus erros e (3) sair da letargia e (4) avaliar que os protestos não foram liderados pela oposição e sim por uma sociedade farta da corrupção e da hipocrisia na política.
 
"Eu vim de graça", em alusão aos R$ 35,00 que cada "companheiro" ganhou para participar do fracassado protesto à favor de Dilma  feito pela CUT e pelos terroristas do MST na sexta-feira, e "Lula, cachaceiro, devolve meu dinheiro", foram os gritos de guerra mais escutados durante a passeata de ontem que reuniu mais de 1 milhão de pessoas em SP.

Crítica:
 
Mostrando que o judiciário brasileiro é tão podre quanto o executivo e o legislativo, foi revelado que o juiz federal Flávio Roberto de Souza, flagrado dirigindo o Porche de Eike Batista, que ele mesmo apreendeu, sumiu com provas do processo contra um traficante de drogas para tentar encobrir o desaparecimento do dinheiro apreendido do criminoso.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário