R.B. 13/MAR/15 "7 propostas, algumas inovadoras, para uma reforma política séria"


R.B.

"7 propostas, algumas inovadoras, para uma reforma política séria"

 

São Paulo, 13 de março de 2015 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ainda prejudicada pela piora do cenário político no Brasil, que somado com o péssimo desempenho da economia pode levar ao rebaixamento da "nota" do país pelas agencias internacionais de classificação de risco e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e pressionado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa tupiniquim.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,1%, revertendo uma abertura positiva, na qual chegou a avançar 1,5%, pressionada principalmente pelo novo recuo das ações da Petrobrás (-3,3%), desta vez prejudicada doi "rumores" de que o ministro Joaquim Levy não vai autorizar uma emissão de títulos que a empresa faria lastreados no crédito de cerca de R$ 9bi a empresa tem junto à União e à Eletrobrás e (2) o DÓLAR subiu 1,2% à R$ 3,16, revertendo uma abertura negativa, quando na mínima atingiu R$ 3,07, para fechar o dia no maior valor em quase 11 anos, afetado pelo pessimismo com a economia brasileira e por preocupações com os desdobramentos da operação Lava Jato.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,4% e China 1,8%, beneficiadas pelos anúncios de corte de taxas na Coreia do Sul e de que a atividade da indústria terciária japonesa teve alta de 1,4% em JAN/15, (2) da EUROPA, devolvendo os ganhos da abertura, Inglaterra –0,1%, França –0,2% e Alemanha –0,1%, realizando lucros recentes, prejudicadas pela queda da produção industrial na zona do euro, pelo aumento acima do esperado da inflação francesa e pelo resultado ruim da balança comercial do Reino Unido e (3) dos EUA, após alguma volatilidade, S&P 1,3%, DJ 1,5% e NASDAQ 0,9%, com destaques de alta para as ações dos bancos, que tiveram aprovação da autoridade monetária para aumentar dividendos e recompra de ações.

 

Apesar de admitir, durante um discurso ontem no RJ, que as políticas de estímulo à economia, adotadas por conta da crise internacional que começou em 2009, sacrificaram as contas públicas, a presidenta Dilma também afirmou que isto foi positivo pois evitou um aumento da taxa de desemprego no Brasil.

 

Podendo afetar a economia brasileira, já que tem muito gringo que ainda acredita, com alguma razão, que a capital do Brasil é Buenos Aires, ontem o juiz norte-americano Thomas Griesa voltou a proibir o pagamento a credores da dívida argentina até que o país solucione o impasse com os chamados "fundos abutres".

 

Os recentes casos de descapitalização dos setores elétrico e de óleo e gás, causada pelas tão pretensiosas quanto falhas políticas de contenção de preços e tarifas, confirma que o governo Dilma, que além de corrupto e acéfalo, comete graves e frequentes erros de concepção de políticas econômicas que resultam em novos erros e são aprofundados por medidas subsequentes que tentam em vão corrigi-los.

 

Demonstrando pessimismo com a inflação, o BC elevou suas suas projeções para o aumento da energia elétrica e outros preços administrados e, dando novos sinais negativos da economia brasileira, em JAN/15 a taxa média de desemprego do país fechou em 6,8%, patamar superior aos 6,5% de DEZ/14.

 

Provavelmente com o objetivo único de criar mais empregos para a "companheirada", ontem Eliseu Padilha, ministro da Aviação Civil, afirmou que o governo Dilma está estudando dividir a Infraero, estatal que administra parte dos aeroportos do país, em três empresas.

 

Sem conhecer os graves problemas de infraestrutura do país e também de falta de mão de obra qualificada, ontem a agência de classificação de risco Fitch divulgou um relatório afirmando que o dólar teria que se fortalecer até R$ 3,75 para levar a competitividade das exportadoras brasileiras aos níveis de 2004.

 

Especializado em emprestar dinheiro para Cuba e para a Friboi, ontem o BNDES "avisou" que não quer mais financiar diretamente a Sete Brasil, principal parceira da Petrobras na exploração do pré-sal, e que pretende repassar o risco da operação para os bancos que já são credores da companhia.

 

-    A CSN subiu 2,9%, após a empresa registrar lucro líquido de cerca de R$ 67mi no quarto trimestre de 2014, revertendo resultados negativos sofridos nos três meses imediatamente anteriores e no mesmo período de 2013.


Política:
 
Patrocinado uma passeada de vagabundos do MST e da UNE para hoje, quando cidadãos de bem estão trabalhando, o governo Dilma quer agora espalhar o medo naqueles que pretendem ir às ruas no domingo para protestar, já que ontem o Palácio do Planalto divulgou uma nota em que mostra preocupação com a possibilidade de que ocorram confrontos entre ativistas no dia 15/MAR/15.
 
Orientado pelos advogados petistas, alguns aliás já atuando como membros do Supremo Tribunal Federal, ontem, durante seu depoimento na CPI da Petrobrás, José Gabrielli, ex-presidente da Estatal, tentou de forma descarada livrar a cara dos políticos e colocar toda a culpa da corrupção na conta dos ex-funcionários da empresa.

 

Podendo complicar ainda mais a vida do governo Dilma, ontem deputados de oposição, com o apoio de boa parte do PMDB, iniciaram uma articulação para conseguir a quebra do sigilo telefônico do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, por meio da CPI da Petrobras na Câmara.

 

Ontem, em mais uma crítica à péssima articulação política do governo, que aliás é comandado por uma presidenta que detesta fazer política, Renan Calheiros, presidente do Senado, afirmou que os partidos aliados precisam "conversar mais", lembrou da autonomia do Congresso sobre o Poder Executivo e ressaltou que cabe ao Legislativo dar a palavra final sobre vetos da presidenta a matérias aprovadas pelos congressistas.

 

Colocando cada vez mais o PMDB na oposição, ontem o ministro do Superior Tribunal de Justiça Luís Felipe Salomão autorizou os pedidos de investigação sobre os governadores do Rio, Luiz Fernando Pezão, e do Acre, Tião Viana, que tiveram seus nomes citados nas delações premiadas da Operação Lava Jato.

 

Deputados da base de Dilma avisaram ontem ao Planalto que passarão a ter reuniões de articulação política diretamente com o presidente da Câmara, o peemedebista Eduardo Cunha , sem a participação de um representante do governo, o que confirma que a situação de Pepe Vargas, que já era crítica, vai ficando insustentável.

 

A defesa de Eduardo Cunha feira por tucanos na CPI da Petrobras ocorre por dois interesses (1) o PSDB quer manter o presidente da Câmara como aliado antigoverno e continuar influindo na condução dos trabalhos da comissão daqui para a frente e (2) o delator que citou Cunha, o ex-policial Jayme Alves, foi o mesmo a dizer que levou dinheiro de Alberto Youssef ao senador Antonio Anastasia, que é o único tucano investigado na Lava Jato.


Crítica:
 
"É bom esclarecer" que a passeata de 15/mar/15 não é do PSDB, ou de partido político algum, e nem é somente para quem quer tirar os bandidos do PT do poder, a manifestação é para qualquer cidadão que esteja cansado de tanta mentira é sacanagem, pois neste momento o importante é pressionar a presidenta para ela sentir medo e ver a dimensão real da insatisfação popular, já que está cada dia mais claro que ela vive na corte do Rei Nu.
 
Defendido por advogados do PT, o terrorista italiano Cesare Battisti foi solto no fim da noite de ontem, já que o Tribunal Regional Federal da 1ª Região aceitou o pedido de liberdade provisória feito pela defesa.
 
Acreditando ser importante atrair para a política pessoas descentes, com vocação para trabalhar pelo país, ao invés de políticos profissionais, o R.B. vai ao protesto de domingo com um cartaz propondo "7 propostas, algumas inovadoras, para uma reforma política séria" (1) Voto distrital misto para parlamentares, (2) financiamento 100% privado, apenas de pessoas físicas e com identificação pelo CPF nas contas de campanha, (3) mandatos executivos e legislativos de 3 anos, com apenas 1 reeleição por cargo, inclusive para os cargos legislativos, (4)eleições todo ano, intercalando municipal, estadual e federal, (5) redução de -90% das verbas de gabinete, (6) fim do fórum privilegiado e (7) obrigatoriedade de equiparação salarial dos vereadores aos professores dos municípios.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário