R.B. 23/FEV/15 "Provavelmente por ordem de Lula"


R.B.

"Provavelmente por ordem de Lula"

 

São Paulo, 23 de fevereiro de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando o desempenho ascendente das principais bolsas mundiais, para ampliar a valorização acumulada no mês (9,2%) e no ano (2,5%), também beneficiada pela recuperação dos preços das commodities e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo a esperada melhora do "humor" na Bovespa, influenciado pelos leilões de venda do BC e em um "ajuste técnico" após fechar o pregão anterior no maior patamar em 10 anos.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,1%, recuperando quase todas as perda da abertura, quando na mínima chegou a recuar –1,1%, com baixo volume de negócios (R$ 3,7bi) e em um movimento de realização de lucros após 4 sessões consecutivas de queda e (2) o DÓLAR subiu 0,2% à R$ 2,88, para fechar em território positivo pelo quinto pregão seguido, ainda acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela avaliação cada dia mais negativa da economia brasileira.

 

Também Sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, China permaneceu fechada por conta do feriado de ano novo e Japão 0,4%, novamente no maior patamar em 15 anos, desta vez beneficiada pela divulgação de resultados corporativos positivos, como das empresas de automóveis, máquinas, robôs, peças eletrônicas e aço, (2) da EUROPA, recuperando as perdas da abertura, Inglaterra 0,5%, França 0,1% e Alemanha 0,4%, com os investidores "apostando" na resolução do impasse entre a Grécia e os credores internacionais e destaques de alta para as ações de empresas ligadas à exploração de commodities e (3) dos EUA, batendo novos recordes históricos de alta, S&P 0,6%, DJ 0,9% e NASDAQ 0,6%, após a Grécia e os ministros das Finanças da zona do euro alcançarem um acordo para extensão do programa de resgate grego em 4 meses, o que remove o risco imediato de a Grécia ficar sem dinheiro no próximo mês e, possivelmente, ser forçada a sair da zona do euro.

 

Após o ministro da Fazenda de Dilma afirmar, estrategicamente em inglês, que a economia brasileira pode encolher em 2015, a equipe econômica da presidenta avisou à chefe que há, sim, um risco real de o Brasil entrar em recessão neste ano, com uma queda de -1% da atividade econômica.

 

Indicando mais uma vez o péssimo desempenho da economia brasileira, no ano passado o setor de serviços cresceu 6% valor que obviamente não desconta a inflação do setor no período (6,41%) e que foi o menor da série histórica iniciada pelo instituto em 2012, quando o avanço havia sido de 10%.

 

Atualmente as empresas brasileiras não têm motivos para aumentar a produtividade, já que por um lado são forçadas a comprar localmente insumos caros e obsoletos e por outro vendem seus produtos quase que só dentro do país, em mercados protegidos e com diminuta concorrência, o que faz o Brasil crescer tão pouco em relação a outros emergentes.

 

Ilustrando o tamanho doa abacaxi que recebeu Joaquim Levy, a nova equipe econômica de Dilma herdou quase R$ 15bi em dívidas atrasadas com o Banco do Brasil, que são valores que não foram pagos nos últimos anos pelo Tesouro Nacional ao banco estatal com objetivo de melhorar o resultado das contas públicas.

 

Mostrando que, além de afetar o desempenho da economia brasileira, a crise da Petrobras também causa enormes prejuízos para investidores, no final de JAN/15 os fundos de investimento brasileiros ainda tinham pelo menos R$ 9bi em papéis diretamente ligados à referida estatal e aos seus fornecedores, incluindo empresas citadas na operação Lava Jato e com destaque negativo para a Caixa Econômica Federal, que tem sob gestão R$ 3,8bi espalhados em 15 fundos.

 

Exemplificando como a corrupção afeta a geração de vagas no mercado de trabalho, a Sete Brasil, empresa formada por sócios privados e pela Petrobras e que administra o aluguel de sondas para o pré-sal, confirmou ontem que o estaleiro Atlântico Sul enviou carta comunicando intenção de cancelamento de contrato entre as duas empresas, devido à falta de pagamento.

 

Ontem, em protesto contra a alta dos preços dos combustíveis, dos pedágios e dos valores dos tributos sobre o transporte, caminhoneiros bloqueiam parcialmente ao menos 38 pontos em rodovias estaduais e federais do Paraná, Mato Grosso, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

Confirmando que, também nos negócios, "o melhor caminho é o bom caminho", segundo um estudo publicado pela FGV que calcula o efeito das conexões políticas sobre a performance das empresas de capital aberto, historicamente, companhias que desenvolvem aproximação com o governo por meio de doações a campanhas eleitorais costumam ter acesso preferencial a recursos financeiros, principalmente de bancos públicos, porém, tais companhias acabam alocando parte dos recursos para trocar favores com os políticos com os quais possuem conexões, sem atender o objetivo de maximizar o valor da firma e assim geram fluxos de caixa operacional em média mais baixos ou até mesmo negativos.

 

Segundo o economista uruguaio Luis Bértola, a América Latina deveria ter aproveitado o recente período de bonança, com a alta dos preços de commodities, para diversificar sua estrutura produtiva, investir em tecnologia e adotar políticas muito mais ambiciosas de integração no continente, desenvolvendo um mercado regional que fosse um contrapeso aos freios da economia mundial.


Política:
 
Segundo o cientista político Marcus Melo, professor da Universidade Federal de Pernambuco, o atual momento do governo Dilma pode cair por conta da formação de uma "tempestade política perfeita" cujos ingrediente são (1) políticas de austeridade que devem gerar desemprego, (2) novos escândalos envolvendo o PT e (3) aumento das manifestações de rua.

 

Após ganhar as disputas pela presidência da Câmara, com Eduardo Cunha, e pela presidência do Senado, com Renan Calheiros, o PMDB assumiu um protagonismo que não detinha desde o governo Sarney, levando os peemedebistas a finalmente perceberem que a eventual queda do governo Dilma pode ser muito positiva para o partido.

 

Mostrando que está do lado oposto ao da presidenta Dilma, o deputado peemedebista Leonardo Picciani, recém-eleito líder do PMDB na Câmara, afirmou que há um erro do PT ao aparelhar politicamente o Estado, ressaltando que o governo não pode ser para "companheiros do partido''.

 

Se aproximando cada dia mais do centro do poder petista, o empreiteiro Ricardo Ribeiro Pessoa, dono da UTC Engenharia, que negocia acordo de delação premiada com os procuradores da Operação Lava Jato, afirmou que está disposto a fazer revelações sobre o uso de caixa dois em campanhas do atual ministro da Defesa, o petista Jaques Wagner, na Bahia, ressaltando também que sua empresa ajudou no pagamento de despesas pessoais do ex-ministro José Dirceu, condenado no processo do mensalão, simulando contratos de serviços de consultoria.

 

Usando o ataque como defesa, em resposta às acusações atribuídas a Ricardo Pessoa, da UTC, de que doações à campanha de Dilma Rousseff tinham propina como origem, petistas martelam a tese de que a oposição também recebe recursos de empresas contratadas por governos que ela comanda.

 

Para piorar ainda mais as coisas, José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, não foi o único assecla de Dilma a ter encontros com representantes das empreiteiras investigadas na Lava-Jato, já que Luís Inácio Adams, advogado-geral da União, recebeu advogados nos últimos meses para discutir os termos dos acordos de leniência que o governo tenta firmar com as empresas.

 

"Provavelmente por ordem de Lula", que é praticamente um funcionário das maiores construtoras do Brasil, a presidenta Dilma pediu que seus ministros não se intimidem pelas críticas feitas às reuniões de José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, com advogados das construtoras envolvidas na Operação Lava Jato e determinou que continuem recebendo representantes destas empresas para discutir projetos.

 

Complicando a vida do escolhido por Dilma para presidir a Petrobrás, investigações da Polícia Federal indicam que Aldemir Bendine, novo presidente da petrolífera, deu carona para a socialite Val Marchiori e mais dois amigos num jato a serviço do Banco do Brasil na época em que ele era o presidente do banco.


Crítica:

 

Lutando em defesa de um traficante legalmente executado e de outro que está na fila da execução, a presidenta Dilma, também fazendo mais um desserviço à diplomacia tupiniquim, decidiu rejeitar receber as credenciais da Indonésia, que obviamente classificou a decisão como inaceitável e convocou seu diplomata de volta a Jacarta.

 

Finalmente agindo em defesa do consumidor, o Procon do ES notificou na sexta-feira passada a operadora de telefonia Vivo, que é tão ineficiente e ruim quanto suas poucas concorrentes no país, a suspender imediatamente a comercialização de chips, habilitação de novas linhas, assinaturas, comercialização de novas promoções e realização de portabilidade no Estado "simplesmente" por conta má qualidade do serviço prestado.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário