R.B. 19/FEV/15 "Malandragem do PT"


R.B.

"Malandragem do PT"

 

São Paulo, 19 de fevereiro de 2015 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, para ampliar a valorização acumulada no ano (2,5%), acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e a repercussão positiva das reuniões do ministro brasileiro da Fazenda em NY e (2) o DÓLAR pode cair, realizando lucros após subir 7 vezes nos últimos 10 pregões, influenciado pela divulgação da ata do Fed ("BC" dos EUA), que indicou que muitos membros da instituição avaliam que um aumento prematuro dos juros norte-americano pode afetar a economia e que a deterioração no exterior traz riscos para os EUA.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,3%, para novamente fechar o dia no maior patamar do ano (aos 51.280pts), impulsionada pela divulgação de boas noticias para as empresas brasileiras e se ajustando a melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais durante o Carnaval e (2) o DÓLAR subiu 0,3% à R$ 2,84, pressionado por declarações de Charles Plosser, presidente da regional Filadélfia do Fed ("BC" dos EUA), de que os juros norte-americanos de curto prazo deveriam chegar no final do ano entre 1% e 1,5%, e com poucos negócios diante da expectativa antes da divulgação da ata da última reunião do FED ("BC" dos EUA).

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,2%, no maior patamar em 7 ano, beneficiada pelas expectativas de que a economia dos EUA irá se recuperar e China 0,8%, diante da diminuição de temores de que a Grécia possa abandonar a zona do euro e das expectativas de uma grande fusão no setor petrolífero do país, (2) da EUROPA, também nos maiores patamares dos últimos 7 anos, Inglaterra 0,1%, França 0,9% e Alemanha 0,6%, com destaques de alta para as ações dos bancos, como National Bank of Greece (6,8%), Eurobank (6,1%), Monte dei Paschi (4,8%) e Crédit Agricole (7,6%), diante das "apostas" de que o eventual acordo entre a Grécia e os seus credores internacionais irá garantir a sobrevivência da zona do euro e (3) dos EUA, com pouca volatilidade e sem uma tendência única, S&P –0,1%, DJ –0,1% e NASDAQ 0,1%, pressionadas no final do dia pelo recuo das ações das empresas do setor de energia, como Exxon Mobil (-2,2%), que foi prejudicada pela explosão e incêndio numa refinaria perto de Los Angeles.

 

Cada dia mais pessimista, "mercado" reduziu, desta vez de 0,00% para -0,42%, suas expectativas para o desempenho do PIB brasileiro este ano e elevou, agora de 7,15% para 7,27%, suas "apostas" para a inflação medida pelo IPCA em 2015, patamar cada vez mais distante do teto da meta (5,60%).

 

Ontem, em uma palestra para 180 investidores e autoridades em NY que foi bastante elogiada pelos presentes, Joaquim Levy, ministro brasileiro da Fazenda, afirmou que sua "independência" é oriunda do instinto de sobrevivência dos políticos e ressaltou que o ajuste em curso na economia tupiniquim inclui "reformas estruturais significativas", que a expectativa de inflação "está em queda" e que "novos impostos não estão sendo criados".

 

Diante da tendência global de alta do dólar, o real, também afetado pela piora das contas publicas e das perspectivas para a economia tupiniquim, já acumula em um 1 a terceira maior desvalorização entre as moedas das principais economias do mundo, com uma queda de -18,5% em relação ao dólar, perdendo apenas a moeda da Rússia (-73,4%) e para o euro (-21,3%).

 

Provavelmente para não perturbar as "queridinhas" do governo petista, como a JBS, o BNDES e a Caixa Econômica Federal deixaram de checar se empresas que pedem empréstimo público foram condenadas administrativamente por trabalho análogo à escravidão após decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, o "nobre" ministro Ricardo Lewandowski, de impedir a publicação da chamada "lista suja", conforme determinado pelo "queridinhas".

 

Interrompendo o fluxo de caminhões em dois pontos da BR-163, principal rota de escoamento de grãos de Mato Grosso, exatamente em um momento em que a colheita da nova safra de soja se intensifica, empresários do setor de transportes e caminhoneiros protestaram ontem contra os preços dos combustíveis e margens apertadas no frete.

 

-    A Oi subiu 7,7%, ajudada por novos rumores em torno da expectativa de consolidação das operadoras de telefonia no País.

-    A Usiminas avançou 4,2%, apesar de ter reportado um prejuízo líquido de R$ -117mi no quarto trimestre do ano passado, revertendo lucro registrado um ano antes, diante de fraca demanda de aço no mercado interno e sem contar com a ajuda da unidade de mineração.

-    A Petrobrás subiu 1,3%, mesmo diante do recuo do petróleo no mercado internacional, pois foi beneficiada por declarações de Joaquim Levy, ministro brasileiro da Fazenda, ressaltando que a estatal "vai superar seus atuais obstáculos" pois o pré-sal "é uma realidade" e é mais produtivo do que se imaginava.


Política:
 
Repetindo uma tática que era muito usada quando FHC era presidente, a apuração interna da Corregedoria-Geral do governo tucano Alckmin, de SP, sobre o cartel que agiu no Metrô e na CPTM está parada desde FEV/14, quando o órgão divulgou seu último balanço público.
 
Aumentando o atrito e a tensão com presidenta Dilma, as centrais sindicais vão para nova reunião com o governo na próxima quarta-feira sem disposição de recuar no pedido de revogação das medidas provisórias que endurecem acesso a benefícios trabalhistas.

 

Mostrando que Marta Suplicy tem razão ao afirmar que ou o PT muda ou não haverá marketing nem Joaquim Levy que dê jeito, com um discurso inconsistente, José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, afirmou que está sendo vítima de "ditadores" ao ser criticado  por ter se encontrado com advogados de construtoras investigadas pela Polícia Federal na operação Lava Jato.

 

Corroborando com as críticas de Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, classificou como "intolerável" a iniciativa de advogados de empreiteiras de se reunirem com o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo para "obter interferência política".

 

Aumentando a pressão sobre um dos ministros mais "queridinhos da presidenta", um grupo cada dia maior de pessoas tem realizado, em SP, panelaços em frente ao prédio onde vive José Eduardo Cardozo pedindo sua imediata demissão.

 

Acompanhando a pressão popular, ontem o PPS ingressou com representação contra o ministro José Eduardo Cardozo na Comissão de Ética Pública da Presidência da República, ressaltando que os encontros do "nobre" ministro da Justiça não seguiram a conduta ética do governo federal, uma vez que a Polícia Federal, que investiga as empreiteiras, é subordinada a sua pasta.

 

Mais uma vez zombando da cara dos brasileiros, Luis Roberto Barroso, "nobre" ministro do Supremo Tribunal Federal, autorizou ontem o petista e ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha, condenado a 6,5 anos no escândalo do Mensalão, a cumprir o restante da pena em casa por ter devolvido aos cofres públicos a  "ninharia" de R$ 536 mil.


Crítica:
 
O financiamento público de campanha é mais uma "malandragem do PT" para continuar no poder e deve ser combatido com veemência pois (1) o impostos tem outras prioridades, (2) privilegiaria apenas os partidos que governam, dificultando a fundamental alternância no poder e (2) é impossível é até anti-democrático proibir o financiamento privado.
 
Historicamente patrocinado por traficantes, milicianos e banqueiros do jogo do bicho, o Carnaval brasileiro "se superou" e agora é turbinado pelo dinheiro de ditadores africanos, que este ano injetaram milhões de dólares na Beija-Flor, que por sua vez se sagrou campeã das escolas de samba do RJ.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário