R.B. 7/JAN/15 ‘’Saudosismo e desconfiança’’


R.B.

"Saudosismo e desconfiança"

 

São Paulo, 7 de janeiro de 2015 (QUARTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando seguir o movimento de recuperação das perdas já acumuladas em 2014 (-4,0%), acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e beneficiada pela leve recuperação dos preços das commodities e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, pressionado pelos leilões de venda do BC e acompanhando a esperada melhora do "humor" na Bovespa.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,0%, com bom volume de negócios (R$ 7,7bi) e ensaiando um movimento de recuperação após 3 pregões consecutivos de queda, com destaques de alta para as ações da Vale (4,1%) e das siderúrgicas, como CSN (6,8%) e Gerdau (11,1%) e (2) o DÓLAR caiu -0,7% à R$ 2,70, alinhado com o recuo registrado ante outras divisas no exterior e impactado pela reação positiva do mercado à fala do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, no dia anterior.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -3,0% (a maior baixa diária em 11 meses) e China -1,0%, com a confiança dos investidores abalada pela instabilidade política na Grécia, pela fraca perspectiva econômica da Europa e pelo forte recuo nos preços do petróleo, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,8%, França -0,7% e Alemanha -0,1%, com destaques de queda para as ações do setor de energia e (3) dos EUA, S&P –0,9%, DJ –0,7% e NASDAQ –1,3%, prejudicadas pela divulgação de que (l) o índice de atividade do setor de serviços do país recuou para 56,2pts em DEZ/14, patamar pior que as expectativas dos analistas (58,0pts) e (ll) as encomendas à indústria norte-americana caíram -0,7% entre OUT/14 e NOV/14.

 

Após perderem dinheiro aplicando em CDBs de bancos que quebraram, como Cruzeiro do Sul, BVA e Santos, um grupo de fundos de pensão, principalmente de funcionários de estatais como o Metrus, tenta repassar na Justiça um prejuízo de R$ 480 milhões para a conta do Fundo Garantidor de Créditos, o que obviamente prejudicará todos os brasileiros.

 

Como percebeu que suas palavras tem cada dia menos credibilidade, o governo Dilma, com o objetivo de recuperar parte da confiança do "mercado", decidiu promover um corte de despesas antes mesmo da aprovação do Orçamento de 2015, já que um decreto presidencial fixará limites máximos para os gastos mensais de cada ministério, em montantes inferiores aos previstos no projeto de lei orçamentária ainda em tramitação no Congresso.

 

Mostrando pessimismo com a economia brasileira, Carlos Ghosn, presidente mundial da montadora franco japonesa Renault Nissan, afirmou ontem que na melhor das hipóteses o mercado de automóveis no Brasil ficará estável neste ano, mas o mais provável é que ele tenha uma queda nas vendas.

 

-    Competindo com as LCAs e LCIs, que tem isenção tributária e proteção do FGC, em 2014 o setor de fundos de investimento no Brasil registrou resgates líquidos de R$ -1,1bi, o que representa o pior resultado do setor nos últimos 6 anos.

 

Indicando que, para a alegria dos bancos e das assets, está próxima do fim a isenção tributária das LCAs e LCIs, Joaquim Levy, ministro da Fazenda de Dilma, defendeu a "simplificação" da agenda tributária nos próximos semestres, ressaltando que a harmonização da tributação dos instrumentos de investimento será essencial para a expansão do mercado de capitais e o financiamento interno competitivo.

 

-    A Petrobrás caiu -3,8%, para novamente fechar o dia no menor patamar desde 2004, desta vez também prejudicada pela notícia de que  a ANP aplicou multa de R$ 18,7mi na empresa por irregularidades em duas plataformas e por ''rumores'' de que a empresa está estudando  a redução de preço de combustíveis.

-   A Vale subiu 4,1%, impulsionado pela recuperação do minério de ferro  e pelos ''rumores'' de que a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China aprovou 7 trilhões de yuans em investimentos.


Política:

 

Repetindo o mesmo erro que levou aos casos de corrupção na Petrobrás, após o fim da reforma ministerial, os partidos aliados da presidenta Dilma agora cobram a garantia de que terão a chamada "porteira fechada'' para montar suas equipes nas pastas, o que invariavelmente colocará políticos incompetentes, e muitas vezes corruptos, em cargos que deveriam ser ocupados por técnicos competentes.

 

Se aproximando da empresa mais ''queridinha'' do BNDES, uma planilha encontrada no computador do ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa sugere que ele teria firmado contrato para prestar serviços de consultoria para o Grupo J&F, controlador do frigorífico Friboi.

 

Facilitando a corrupção, ontem a presidenta Dilma vetou 2 artigos da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2015 que dariam mais transparência a financiamentos realizados com recursos públicos, já que obrigariam (1) os bancos públicos a divulgar na internet demonstrativos detalhados de empréstimos a governos e (2) a divulgação na internet de um cadastro único com todas as obras e serviços de engenharia no país.

 

Para a "sorte do PT", o deputado peemedebista Eduardo Cunha, atual líder do partido e até então favorito na disputa pela presidência da Câmara no próximo dia 1º, é um dos citados na Operação Lava Jato da Polícia Federal e terá uma investigação a seu respeito pedida pelo Ministério Público Federal ao Supremo Tribunal Federal por suspeita de ter recebido dinheiro do esquema do doleiro Alberto Youssef.

 

-    Petistas mais próximos de Marta Suplicy agora apostam que a senadora, desafeto declarado de Dilma, deve deixar o PT ainda no primeiro semestre e ir para o Solidariedade.


Crítica:
 
Fazendo os metalúrgicos do ABC se lembrarem, com ''saudosismo e desconfiança'', do tempo em que Lula ''quebrava tudo'' em defesa dos trabalhadores, durante esta semana, na volta das férias, 800 funcionários serão demitidos na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, enquanto o agora ''Dr. ex-presidente'' petista está muito preocupado com as reformas, tanto nos ministérios de Dilma como no seu novo AP do Guarujá.

 

Em uma espécie de auto-bullying, o perfil oficial do Senado Federal do Instagram postou uma foto fazendo piada com o cardápio de uma pastelaria de Brasília, que oferece o pastel sabor Congresso, que por sua vez tem recheio de pizza.

 

Na França os parlamentares que não tem carro próprio ganham do Estado vales transporte para irem ao trabalho, já no Brasil o Senado realizou licitação para comprar 180 celulares, por R$ 381 mil, já que serão 90 aparelhos iPhone 6, por R$ 3.034 cada, e 90 Blackberry, a R$ 1.199 a unidade.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com 


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário