R.B. 6/JAN/15 "Sem combinar antes com a chefa"


R.B.

"Sem combinar antes com a chefa"

 

São Paulo, 6 de janeiro de 2015 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando uma recuperação após 3 pregões consecutivos de queda, acompanhando a leve melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e também beneficiada pela avaliação positiva das declarações dadas ontem por Joaquim Levy, o novo ministro da Fazenda do governo Dilma e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo parte da forte alta acumulada nos últimos pregões, influenciado pelos leilões de venda do BC e seguindo a esperada melhora do "humor" na Bovespa.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -2,0%, novamente pressionada pelo forte recuo das ações da Petrobrás (-8,0%), que fechou no menor patamar desde 2004, e prejudicada um cenário de recuo das commodities e de redução constante da credibilidade da economia brasileira e (2) o DÓLAR subiu 1,3% à R$ 2,73, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante das incertezas políticas na Grécia e do fortalecimento da economia dos EUA, que pode levar ao aumento dos juros do referido país.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -0,2%, com os investidores realizando lucros nas exportadoras, como da Canon (-1,4%), Nintendo (-2,3%) e Mazda (-2,7%), meio a preocupações com a Europa numa segunda-feira de poucos negócios e China 3,5%, no maior nível desde AGO/14 e com destaques de alta para as ações das empresas do setor imobiliário, (2) da EUROPA, Inglaterra -2,0%, França -3,3% e Alemanha 3,0%, prejudicas pela queda do petróleo, pelas incertezas sobre o futuro da Grécia na zona do euro e pela divulgação de dados ruins sobre a inflação alemã e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, S&P –1,8%, DJ –1,7% e NASDAQ –1,6%, com destaques de queda para as petrolíferas, como Exxon Mobil (-2,7%), Chevron (-3,9%) e Noble Energy (-9,6%).

 

Com a ausência de Mantega, que teve a indelicadeza de faltar ao evento, ontem Joaquim Levy finalmente tomou posse como novo ministro da Fazenda e, já em seu primeiro discurso, afirmou, provavelmente "sem combinar antes com a chefa", que (1) possíveis ajustes em tributos serão considerados em sua gestão, (2) terão preferência as medidas que tendam a aumentar a poupança doméstica e reduzir desbalanceamentos setoriais da carga tributária e (3) a possibilidade de descontos nas dívidas dos Estados e municípios com a União não deve se concretizar.

 

Cada dia mais pessimista, o "mercado" (1) elevou, desta vez de 6,53% para 6,56%, suas projeções para a inflação oficial do país (IPCA) em 2015 e (2) reduziu, agora de 0,55% para 0,50%, suas "apostas" para o crescimento da economia brasileira neste ano.

 

Ajudando a pressionar a inflação, a conta de luz das residências atendidas pela Eletropaulo pode ficar 3,77% mais cara nos próximos dias por conta de uma disputa judicial entre a empresa e a Agência Nacional de Energia Elétrica.

 

Apresentando o primeiro resultado negativo desde 2000 e o pior resultado desde 1998, no ano passado a balança comercial brasileira, mesmo com a alta de quase 13% do dólar, registrou um déficit de US$ -3,9bi, prejudicada principalmente pelo recuo internacional dos preços das commodities e pela falta de habilidade do atual governo brasileiro de fazer acordos internacionais com base no pragmatismo econômico.

 

Segundo Daniel Godinho, secretário de comércio exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o aumento na produção mundial de soja e milho ao longo de 2015 deve puxar os preços desses itens ainda mais para baixo.

 

Diante da perspectiva de mais um ano de crescimento fraco e de inflação elevada, a recomendação é que o pequeno investidor tome cuidado ao escolher as aplicações e busque refúgio na renda fixa, cuja remuneração se baseia na taxa básica de juros (Selic), que por sua vez deve subir.


Política:

 

Aumentando a pressão sobre o Dilma, o peemedebista Renan Calheiros, que é presidente do Senado e que perdeu influência na última reforma ministerial, avisou a ministros que o partido não aceitará perder as indicações para o segundo escalão no governo e ameaçou inclusive declarar independência automática em relação ao Palácio do Planalto.

 

Na avaliação da cúpula peemedebista, o Planalto tem dado respaldo político para Kassab e Cid ganharem força política e assim atraírem parlamentares par futuramente tentarem reduzir a dependência do governo em relação ao partido, tanto na Câmara quanto no Senado.

 

Apesar de ter acabado de anunciar a escolha dos ministros para seu segundo mandato, a presidenta Dilma poderá fazer trocas em algumas pastas já no começo deste ano e para isto espera apenas a manifestação da Procuradoria-Geral da República sobre políticos envolvidos no esquema de desvio de recursos da Petrobras.

 

Acreditando que podem aparecer mais "esqueletos no armário do PT", integrantes do PSDB defenderam ontem a resolução editada pelo Tribunal Superior Eleitoral que obriga os bancos a enviarem periodicamente extratos de contas dos partidos políticos à Justiça Eleitoral.


Crítica:

 

-    Criando mais lixo e assim poluindo ainda mais as cidades, segundo uma pesquisa feita pela Qualcomm, em 2014 30% dos celulares e tablets existentes no mundo foram substituídos.

-    Dando uma passo em direção da PAZ, a Coréia do Sul anunciou ontem que pode dividir eventos com a Coréia do Norte durante os Jogos Olímpicos de inverno de 2018.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário