R.B. 26/JAN/15 "É um beneficio obsoleto"


R.B.

"É um beneficio obsoleto"

 

São Paulo, 26 de janeiro de 2015 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, após acumular uma baixa de –0,5% na semana passada, acompanhando a reação tranquila dos mercados mundiais com o resultado da eleição na Grécia e também diante das análises de que as medidas de ajuste que têm sido tomadas pelo ministro Joaquim Levy podem trazer um pouco mais de confiança aos investidores brasileiros e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo os mesmos motivos que devem "animar" a Bovespa e ainda influenciado pelo elevado patamar da taxa real de juros da economia brasileira (5,41%).

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,3%, pressionada principalmente pelo forte recuo das ações da Vale (-5,3%), que realizou lucros recentes diante da divulgação de dados indicando a desaceleração da indústria chinesa em JAN/15 e do corte da "nota" da empresa pelo Goldman Sachs e (2) o DÓLAR 0,5% à R$ 2,59, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana para devolver parte da queda acumulada na semana (-1,5%), mesmo diante dos leilões de venda do BC.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,0% e China 0,2%, repercutindo positivamente a decisão do BC Europeu de anunciar um programa de estímulos monetários de 60bi de euros, (2) da EUROPA, com os índices das bolsas da região registrando altas semanais superiores a 5%, o que representa o melhor desempenho desde DEZ/11, Inglaterra 0,5%, França 1,9% e Alemanha 2,0%, desta vez beneficiadas pelo aumento das chances de o partido grego contra o resgate Syriza, que liderava as pesquisas eleitorais, chegue a um acordo com os credores oficiais da Grécia e (3) dos EUA, apesar de fecharem a primeira semana de alta após 4 semanas em queda, S&P –0,5%, DJ –0,8% e NASDAQ –0,1%, realizando lucros pressionadas por notícias corporativas desanimadoras e pelo desempenho negativo do setor de commodities metálicas, após o Goldman Sachs reduzir o preço alvo dos papéis de várias mineradores.

 

Após afirmar que o seguro desemprego  "é um beneficio obsoleto", o que obviamente vai criar muito ruído dentro do PT, Joaquim Levy, ministro brasileiro da Fazenda, ressaltou que após as eleições, passado o período em que o Brasil teve seu crescimento ligado ao consumo, o governo Dilma decidiu mudar e começar este ano com ações para reforçar investimentos e que para isto é preciso ter a confiança do "mercado".

 

Segundo Alexandre Tombini, presidente do BC brasileiro, as expectativas de inflação, coletadas pelo boletim Focus, começaram a recuar, algo que não ocorria havia muito tempo, e o centro da meta, principalmente por conta de uma politica fiscal mais restritiva, será atingido no final de 2016.

 

Confirmando mais uma vez que o Brasil perdeu muito dinheiro com a Copa do Mundo de futebol, no ano passado os gastos dos turistas estrangeiros no país cresceram apenas 3,13% em relação aos de 2013, patamar muito aquém do esperado pelo BC brasileiro.

 

Pressionado pelos reajustes da energia elétrica e uma forte pressão dos alimentos, em JAN/15 o IPCA-15, que representa a prévia da inflação oficial do país, ficou em 0,89%, patamar superior ao registrado em DEZ/14 (0,79%), mais do que o dobro do de NOV/14 (0,38%) e também superior ao auferido em JAN/14 (0,67%).

 

Por conta da alta dos juros, que começou o ano em 10% e terminou em 11,75%, e da vacância de vários imóveis, os fundos imobiliários, que cresceram acompanhando o boom do setor até 2012, decepcionaram em 2014 pelo segundo ano consecutivo e caíram em média -2,8% no ano passado.

 

-    A Sabesp caiu -11,6%, diante de sinais de piora do cenário hídrico do país e da previsão de que as chuvas que deverão chegar às represas da região Sudeste em JAN/15 sejam equivalentes a apenas 43% da média histórica.


Política:
 
Obviamente por influencia e pressão do governo Dilma, que vê o cerco se fechando a cada dia, os agentes e delegados da Polícia Federal que atuam na Operação Lava Jato, em Curitiba, relatam que a verba destinada para reforçar as equipes acabou.
 
Nesta reta final da eleição para a presidência da Câmara, o candidato do PMDB de Eduardo Cunha abriu negociações para formar um bloco com partidos dispostos a apoia-lo, com isto as siglas médias e pequenas terão mais poder para pleitear espaço em comissões.

 

Preocupados com  "velhas amizades", deputados tucanos procuraram Julio Delgado, candidato do PSB e também da oposição para a presidência da Câmara, para reclamar de  "rumores" de um suposto acordo entre ele e o PT para o segundo turno da eleição.

 

Apesar de estar vivendo um verdadeiro inferno astral desde o começo do seu segundo mandato, com medidas econômicas impopulares, apagão e disputas políticas, a presidenta Dilma tem dito a auxiliares próximos de que está convicta do caminho adotado e por este motivo tende a desconsiderar as críticas de que está isolada em suas decisões ou praticando estelionato eleitoral ao adotar medidas associadas à oposição.

 

Instalando a "companheirada" no poder, o petista Fernando Pimentel, novo governador de MG, tirou o grupo ligado ao tucano Aécio Neves do comando da Cemig, entre eles um primo do ex-governador, e nomeou para seu lugar o engenheiro civil Eduardo Lima Andrade Ferreira, filho do seu vice o peemedebista Antônio Andrade.

 

-    Representando uma enorme "vergonha nacional", o Brasil, após acumular dívidas de mais de US$ 6mi, perdeu os direitos no Tribunal Penal Internacional, entidade da ONU sediada em Haia.

 

A cúpula do PT teme que as críticas feitas por dirigentes do partido ao ajuste econômico de Dilma se espalhem para entidades como a CUT e ampliem o distanciamento do governo com as bases da sigla, o que pode causar uma enorme discussão na reunião do diretório nacional em MG, marcada para o início de FEV/15.

 

-    Além de turbinar a criação de uma nova CPI da Petrobras, a oposição agora também tentará instalar também uma CPI do sistema elétrico.


Crítica:
 
Dando às autoridades paulistas uma excelente oportunidade de mostrar para a população a gravidade do tema, o vereador Gilberto Natalini, do PV, solicitou que o governador tucano Alckmin e o prefeito petista Haddad cancelem o Carnaval da cidade em 2015 por causa da falta de água no Estado.


PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário