R.B. 5/DEZ/14 "Alienação mental"


R.B.

"Alienação mental"

 

São Paulo, 5 de dezembro de 2014 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando recuperar as perdas agora acumuladas em 2014 (-0,3%), seguindo a melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e a leve recuperação dos preços das commodities e (2) o DÓLAR pode cair, ainda se mantendo abaixo dos R$ 2,60, influenciado pela esperada recuperação da Bovespa e pelos leilões de venda do BC.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,7%, revertendo uma abertura positiva, na qual chegou a avançar 0,4%, prejudicada pela forte queda das ações da Petrobrás (-3,9%), que teve sua "nota" rebaixada pela agencia de risco Moody's, e também influenciada negativamente pela realização de lucros nas bolsas da Europa e dos EUA e (2) o DÓLAR subiu 1,3% à R$ 2,59, acompanhando a piora do "humor" na Bovespa e influenciado por "rumores" de que o BC pode desacelerar o ritmo do aperto monetário, enfraquecendo as expectativas de que juros mais altos no Brasil poderiam atrair mais recursos externos.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,9% e China 4,0%, beneficiadas pelos sinais positivos da economia dos EUA divulgados no dia anterior e por pesquisas apontando que o partido governista, do primeiro-ministro Shinzo Abe, deve conseguir uma vitória folgada nas próximas eleições parlamentares japonesas, (2) da EUROPA, Inglaterra –0,6%, França –1,6% e Alemanha –1,2%, com destaques de queda para as ações dos bancos, prejudicados pelo anúncio do BC Europeu de que vai esperar o início do ano que vem para decidir se mais medidas são necessárias para estimular a economia da zona do euro e (3) dos EUA, realizando lucros após o S&P e o DJ fecharem no maior patamar da história por 2 dias seguidos, S&P –0,1%, DJ –0,1% e NASDAQ –0,1%, influenciadas negativamente pelo mesmo motivo que derrubou as bolsas europeias e também pelo recuo do petróleo, que fez com que as ações da Chevron sofressem a pior desvalorização do dia (-1,3%).

 

"Caindo na real" e comprovando mais uma vez o estelionato eleitoral que foi a reeleição de Dilma, ontem o governo federal enviou ao Congresso Nacional um documento reduzindo sua projeção oficial para o crescimento do PIB no próximo ano, de 2% para 0,8%, patamar bem próximo das "apostas do mercado" (0,77%).

 

Terminando sua participação no governo Dilma apresentando a mesma "alienação mental" com que começou no governo Lula, Mantega, que foi o ministro da Fazenda que mais tempo permaneceu no cargo na história da republica brasileira, afirmou ontem que  que termina sua gestão com a convicção de entregar o país com a economia mais firme e sólida do que a recebeu e com a menor taxa de desemprego da história, obviamente desconsiderando as  "maracutaias" que o governo faz nas estatísticas.

 

Mostrando um certo otimismo, Luis Stuhlberger, gestor de um dos maiores fundos de investimentos multimercados do mundo e considerado um dos "oráculos" do mercado financeiro, afirmou ontem que a escolha de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda minimiza o risco de que o Brasil perca o grau de investimento, porem ressaltou que o Congresso e o Judiciário são obstáculos para uma política de austeridade.

 

Dando dois novos sinais negativos da economia brasileira, (1) a produção de veículos no Brasil entre JAN/14 e NOV/14 caiu -15,5% em relação ao mesmo período de 2013 e (2) em 2014 o faturamento da indústria eletroeletrônica tupiniquim deve ter queda real, descontada a inflação, de -3% na comparação com 2013.

 

Ainda beneficiada pela enorme falta de educação financeira dos brasileiros, em NOV/14 a caderneta de poupança, que quase perdendo da inflação (6,40%) atualmente rende apenas 7,02% ao ano, registrou um saldo positivo de R$ 2,5bi, porem, diante da desaceleração da economia brasileira, este resultado é o menor para um mês de novembro desde 2011.

 

 -    A Petrobrás caiu –3,9%, após a Moody's rebaixar sua  "nota" para a empresa ressaltando o crescente risco de liquidez, devido às investigações sobre alegações de corrupção dentro da estatal.

-    A Vale recuou -1,6%, após ter sua  "nota" cortada pelo Bank of America Merrill Lynch.


Política:
 
As dificuldades do governo Dilma em aprovar a  "maracutaias fiscal" que permite descumprir a meta de superávit primário de 2014 preocupam assessores da área econômica porque podem se repetir na votação de medidas que os novos ministros da Fazenda e Planejamento estão elaborando.
 
Confirmando sua total falta de respeito à democracia, Roseana Sarney, governadora do Maranhão, anunciou ontem que vai renunciar ao cargo no último mês de seu mandato, certamente pois ela não quer participar da cerimônia de posse e passar a faixa ao novo chefe do Executivo, que será Flavio Dino do PC do B.
 
Para mostrar que os tucanos também tem "rabo preso", ontem a Polícia Federal concluiu a investigação sobre o cartel de empresas que fraudou licitações de trens em SP entre 1998 e 2008, durante governos do PSDB, e indiciou o presidente da CPTM, Mário Manuel Bandeira, por suposto envolvimento no esquema.

Crítica:
 
Incentivando a vagabundagem, agora de maneira Global, ontem a prefeitura de SP, comandada pelo petista Fernando Haddad, anunciou que, já a partir da próxima semana, os estrangeiros que vivem na maior cidade do Brasil vão poder se cadastrar para receber o Bolsa Família.
 
Após torrar todo o dinheiro do seu país para brincar de guerra em países como a Ucrânia, Putin, presidente russo, anunciou ontem uma anistia fiscal para os capitais que retornem ao país, em seu discurso sobre o estado da nação em um momento no qual a economia do país chega perto da recessão.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário