R.B. 3/DEZ/14 "Unidos por suas ideologias"


R.B.

"Unidos por suas ideologias"

 

São Paulo, 3 de dezembro de 2014 (QUARTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando uma recuperação após fechar o pregão anterior no menor patamar desde 17/NOV/14 (aos 51.612pts), com Petrobrás e Vale acompanhando a melhora dos preços das commodities e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo a esperada melhora do "humor" na bolsa brasileira e a expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos diante da "aposta" de que o Copom vai elevar a taxa básica de juros em 0,5% na reunião que termina hoje.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –1,3%, após um pregão com razoável volume de negócios (R$ 6,1bi) e alguma volatilidade, já que na máxima avançou 0,5% e na mínima recuou –1,4%, novamente com destaques negativos para as produtoras de matérias-primas, como Petrobras (-1,5%) e Vale (-2,4%) e (2) o DÓLAR subiu 0,8% à R$ 2,57, acompanhando a nova piora do "humor" na Bovespa, mesmo diante dos leilões de venda do BC e das expectativas de aumento da taxa básica de juros na reunião do Copom.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,4% e China 3,1%, com destaques de alta para as empresas dos setor de energia, em um movimento de recuperação após atingirem o nível mais baixo em mais de 5 anos, (2) da EUROPA, Inglaterra 1,3%, França 0,3% e Alemanha 0,3%, beneficiadas pela divulgação do índice de preços ao produtor da zona do euro, que mostrou uma contração de -0,4%, superior à esperada para o mês de OUT/14, o que reacendeu as expectativas dos investidores em relação a novos estímulos monetários, principalmente pois nesta semana tem reunião do BC Europeu e (3) dos EUA, com o DJ fechando em um novo recorde histórico, S&P 0,6%, DJ 0,6% e NASDAQ 0,6%, desta vez com destaques de alta para as ações da farmacêutica Biogen (6,4%), diante de notícias sobre um tratamento experimental para o mal de Alzheimer, e para as petrolíferas Exxon Mobil (2,0%) e Chevron (2,0%), diante das "apostas" de que não é interesse de ninguém que o petróleo caia ainda mais.

 

Registrando queda em 16 dos 24 setores, segundo o IBGE a produção da indústria brasileira surpreendeu negativamente e ficou estagnada de SET/14 para OUT/14, já que voltou a sofrer com estoques elevados, baixa confiança de empresários e consumidores, juros maiores, crédito restrito e deterioração cada vez mais intensa das exportações, com isto aumentam as chances de o PIB do quarto trimestre também não mostrar crescimento.

 

Hoje termina a reunião do Copom e, com a inflação em alta e a credibilidade do governo em baixa, 99% do "mercado" espera uma elevação da taxa básica de juros, sendo que mais da metade "aposta" que esta elevação será de 0,5%, o que aumentaria a Selic dos atuais 11,25% para 11,75% ao ano.

 

"Unidos por suas ideologias" e princípios bolivarianos, Brasil, Venezuela e Argentina, que atualmente tem governos populistas, estão puxando para baixo o desempenho regional da economia da América Latina, que neste ano de 2014 deve obter o pior resultado desde 2009, auge da crise financeira global.

 

Segundo especialistas do setor, a forte queda no preço do minério de ferro, que está no menor valor desde 2009 e hoje derruba o lucro das grandes mineradoras, deve beneficiar as gigantes do setor no médio e no longo prazos, já que estas empresas devem ganhar participação de mercado nos próximos anos.


Política:
 
Com a oposição, capitaneada pelos tucanos, finalmente agindo como agia o PT antes de chegar ao poder, ontem o plenário do Congresso se transformou em um ringue e, apesar de ter negociado liberação de recursos e montado uma força-tarefa para garantir apoio dos aliados, o governo sofreu uma nova derrota na tentativa de aprovar sua "maracutaia fiscal" para fechar as contas deste ano.
 
Após garantir que a corrupção ocorre no Brasil inteiro, Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, surpreendeu os integrantes da CPI criada pelo Congresso para investigar a estatal ao quebrar o silêncio e confirmar que entregou cerca de 40 políticos em seus depoimentos à Justiça, ainda mantidos sob sigilo pelo Supremo Tribunal Federal.
 
Reforçando as criticas de seu pupilo Aécio, que disse recentemente não ter perdido as eleições presidenciais para um partido político, mas para uma "organização criminosa", ontem o ex-presidente FHC disse que "agora a gente sabe de onde vem" o dinheiro que financiou a "máquina" petista na última eleição.
 
Alegando queria participar pessoalmente das articulações para a votação da sua "maracutaia fiscal" que flexibiliza a meta fiscal deste ano, porem na verdade com medo de enfrentar as perguntas dos participantes do evento, a presidenta Dilma decidiu cancelar em cima da hora sua participação em um evento anual organizado pelo banco americano JP Morgan com clientes e investidores em SP.
 
Colocando "mais uma raposa para cuidar do galinheiro", ontem, após uma articulação conduzida pelo PMDB, o Senado aprovou a indicação do senador Vital do Rêgo, do PMDB de Pernambuco, aliado de Dilma e atual presidente da CPI da Petrobrás, para ministro do Tribunal de Contas da União.

Crítica:

 

Consumindo o desnecessário e muitas vezes para agradar os outros, segundo uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito, 64% dos brasileiros vão se autopresentear no Natal deste ano.

 

Se não fosse a coisa mais natural do mundo a compra indireta do voto de deputados e senadores, não haveria liberação de dinheiro para obras nos redutos eleitorais dos parlamentares condicionada à aprovação do decreto de Dilma que faz uma "maracutaia " nas contas publicas ao rever para baixo a meta fiscal de 2014.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário