R.B. 17/DEZ/14 ''Firme e rápido"


R.B.

"Firme e rápido"

 

São Paulo, 17 de dezembro de 2014 (QUARTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando recuperar uma parte das perdas acumuladas no ano (-8,7%) e no mês de DEZ/14 (-14,1%), em um movimento de ''caça de barganhas'' já que algumas empresas brasileiras são negociadas bem abaixo do seu valor patrimonial e (2) o DÓLAR pode cair, influenciado pelos leilões de venda do BC e em um ''ajuste técnico'' após subir 5,6% nos 5 últimos pregões e assim fechar a sessão anterior no maior patamar desde 23/MAR/05.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1%, com bom volume de negócios (R$ 8,6bi) e recuperando quase todas as perdas registradas na abertura, quando na mínima recuou -2,3%, beneficiada principalmente pela valorização das ações (a) da Petrobrás (2,1%), diante dos ''rumores'' de que Dilma já estaria à procura de alguém para substituir Graça Foster na presidência da referida estatal e (b) Vale (3,2%), diante das expectativas de divulgação de medidas de estímulo à economia chinesa e (2) o DÓLAR subiu 2,0% à R$ 2,74, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante do forte aumento da aversão ao risco que se espalhou nos mercados financeiros, depois que a continuidade da queda dos preços do petróleo ocasionou um ataque especulativo contra a moeda da Rússia, o rublo.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, novamente sem uma tendência única, Japão -2,0%, a quinta queda dos últimos 6 pregões, com destaques negativos para as exportadoras, como Canon (-2,2%) e Suzuki (-3,3%), que são prejudicadas pela desvalorização do dólar frente a moeda local (o iene) e China 2,3%, no nível mais alto em mais de 3,5 anos, impulsionada pelas expectativa pelo anúncio de novas medidas de relaxamento monetário para estimular a economia do país, (2) da EUROPA, recuperando as perdas da abertura e do pregão anterior, Inglaterra 2,4%, França 2,2% e Alemanha 2,5%, beneficiadas no final do pregão pela alta do petróleo, por uma recuperação das bolsas nos EUA e pela divulgação de dados positivos da economia alemã e (3) dos EUA, ainda realizando lucros recentes, S&P –0,8%, DJ –0,6% e NASDAQ –1,2%, penalizadas por um conjunto de fatores de incerteza e volatilidade, como a queda dos preços do petróleo, a instabilidade monetária na Rússia e as expectativas sobre a reunião de política monetária.

 

Apesar da presidenta Dilma ser famosa por não gostar de tomar decisões, das mais simples às mais complexas, Joaquim Levy, seu futuro Ministro da Fazenda, ''garantiu'' que a nova equipe econômica vai promover um ajuste "firme e rápido" na economia, evitando postergar decisões e buscando se antecipar a problemas.

 

-    Segundo Tombini, presidente do BC, a inflação acumulada em 12 meses vai atingir seu pico no primeiro trimestre de 2015 e iniciará um longo período de declínio a partir do segundo trimestre do próximo ano.

 

Dando mais um sinal negativo da economia brasileira, mesmo com a forte alta do dólar, que facilita as exportações e reduz a atratividade dos produtos importados, segundo estimativas da Confederação Nacional da Indústria, a indústria brasileira deve fechar este ano com retração de -1,5% na comparação com 2013.

 

Por conta das recentes queda do petróleo, ocorreu ontem um ataque especulativo contra a moeda da Rússia, o rublo, que chegou a despencar -30% na comparação com o dólar, reforçando os temores sobre a economia global, o que levou o BC russo a (1) elevar fortemente a taxa básica de juros do país, de 10,50% para 17%, e (2) ''garantir'' que não discutiu a possibilidade de introduzir controles de capitais.

 

Diante da redução dos níveis das hidroelétricas, que obrigou o acionamento das caras e poluidoras termoelétricas, o mercado de combustíveis no Brasil fechará 2014 com um volume total de 132,9bi de litros, o que representa um crescimento de 5,6%, em relação ao ano passado.

 

Desacreditado, ineficiente e sem o pragmatismo necessário para fazer alianças comerciais ao invés de ficar fazendo politica ideológica, o Mercosul será, a partir de hoje, presidido pelo Brasil, sob pressão do empresariado nacional para restabelecer a discussão econômica e comercial do bloco, o que ficou mais urgente com o menor crescimento do Brasil e a recessão na Argentina e na Venezuela.

 

Mostrando que, para quem tem muito sangue frio e bastante tempo para esperar, o patamar atual é interessante para compras na bolsa brasileira, segundo um estudo da Economatica, as ações da Petrobrás estão cotadas na Bovespa a cerca de 1/3 do seu valor patrimonial (31,8%), o que representa a menor relação desde 1º/JAN/96.

 

-    A Petrobrás subiu 2,1%, porem ontem, após o fechamento do pregão, a agencia de classificação de risco S&P rebaixou sua ''nota'' para a empresa para um nível considerado especulativo, ressaltando uma menor projeção de liquidez, um acesso mais restrito a financiamento e um geração de fluxo de caixa potencialmente mais fraca, à luz das investigações de corrupção em curso.


Política:
 
Legislando em causa própria, ontem a Câmara dos Deputados aprovou uma proposta de mudança na Constituição para estabelecer que servidores públicos aposentados por invalidez terão direito ao benefício integral, independentemente do motivo, o que obviamente não se estende ao trabalhadores da iniciativa privada.

 

Fazendo pouquíssimo e torrando muito dinheiro publico, principalmente nas grandes redes de TV, os gastos com publicidade das Estatais, o que obviamente ajudou bastante na reeleição de Dilma, cresceram, já descontando a inflação, incríveis 65% entre 2000 e 2013.

 

-    Com carta branca do Palácio do Planalto para ''bater de frente'' com o PMDB, o Deputado Federal petista Arlindo Chinaglia será, com o apoio de apenas 3 partidos além do PT (PDT, PROs e PC do B), candidato à presidente da Câmara.

 

Indicando que é no mínimo suspeita a relação dos magistrados brasileiros com as grandes empresas,Nelson Jobim, ex-ministro da Justiça e do Supremo Tribunal Federal, é atualmente o papel de principal interlocutor das empreiteiras da Operação Lava Jato com o Judiciário, atribuição que era de Márcio Thomaz Bastos até o mês passado, quando o advogado e ex-ministro morreu.

 

-    Apesar das inúmeras suspeitas de que o crime teve motivação política, o Supremo Tribunal Federal anulou o processo que investiga a morte de Celso Daniel, o ex-prefeito petista de Santo André que foi assassinado em 2002.


Crítica:
 
Mostrando toda sua enorme incapacidade técnica, Mantega, futuro ex-ministro da Fazenda, quando assumiu o cargo em 27/MAR/06 encontrou um país que crescia cerca de 3% ao ano, contra algo próximo de 0% este ano, com a inflação na meta (4,6%), contra 6,6% atualmente, e um superávit de US$ 13bi (1,4% do PIB) nas contas externas, contra um déficit que já supera US$ 84bi (3,7% do PIB) nos últimos 12 meses.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário