R.B. 16/DEZ/14 ‘’Batendo de frente com o mercado’’


R.B.

"Batendo de frente com o mercado"

 

São Paulo, 16 de dezembro de 2014 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, para fechar o dia abaixo dos 47.000pts, em um bom patamar para compra de investidores de longo prazo, porem ainda influenciada pela crescente redução da credibilidade da economia e das empresas brasileiras e (2) o DÓLAR pode subir, para fechar o dia acima dos R$ 2,70, influenciado pelo mesmo motivo que deve derrubar a bolsa brasileira e também ainda acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -2,0%, no menor patamar desde MAR/14 (aos 47.019pts) seguindo o recuo das commodities e mais uma vez pressionada pela forte baixa das ações da Petrobrás (-9,2), que sofre por conta das denúncias de corrupção e da enorme letargia do governo Dilma em assumir suas responsabilidades e (2) o DÓLAR subiu 1,3% à R$ 2,68, para fechar em território positivo pelo quarto pregão consecutivo, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e com investidores sob a expectativa sobre o futuro do programa de vendas do BC.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -1,6%, a quarta queda nas últimas cinco sessões e no seu nível mais baixo desde 17/NOV/14, com destaques de queda para as exportadoras, como Kyocera (-2,4%) e TDK (-3,0%), diante da desvalorização do dólar em relação a morda local (o iene), e China 0,5%, impulsionada pelo otimismo em relação a resultados das corretoras no país, que ganharam um maior volume de operações após o lançamento da plataforma de conexão entre as bolsas de Xangai e Hong Kong, (2) da EUROPA, devolvendo os ganhos da abertura, Inglaterra -1,9%, França -2,5% e Alemanha -2,7%, prejudicadas pelo recuo dos preços do petróleo, que derrubou as petrolíferas BP (-3,2%), Total (-4,3%) e BG Group (-2,9%), e por preocupações sobre o crescimento da economia global e (3) dos EUA, após um pregão com relativa volatilidade, S&P –0,6%, DJ –0,6% e NASDAQ –1,0%, influenciadas pela nova retração nos preços do petróleo, que pode ser positiva para o país, pois oferece a consumidores e companhias a possibilidade de gastar menos com energia, mas internacionalmente indica uma retração da demanda global, e pela cautela antes da reunião de política monetária do Fed (''BC'' local).

 

Como se fosse um bobo da corte, ontem Mantega, que ao que tudo indica só permanece no cargo como demissionário para receber todos os salários de 2014, recebeu Paulo Nogueira, diretor-executivo do FMI, que está em missão no Brasil para coletar dados para o relatório anual de desempenho e perspectiva da economia brasileira e que na semana passada já esteve na semana passada com o próximo titular do Ministério da Fazenda, Joaquim Levy, responsável por desenhar o ajuste fiscal a ser colocado em prática no segundo mandato da presidente Dilma.

 

Incomodado com o novo empréstimo do Tesouro ao BNDES, Sebastian Briozzo, analista da agência de classificação de risco Standard & Poor's, alertou que o comprometimento do Brasil com políticas prudentes e com a estabilidade econômica é necessário para evitar que o rating do país passe para uma perspectiva negativa.

 

Cada dia mais pessimista, o ''mercado'' reduziu pela terceira vez consecutiva, agora de 0,73% para 0,69%, suas ''apostas'' para o crescimento da economia brasileira em 2015 e, andando no fio da navalha, manteve em 6,50% sua projeção para o IPCA no ano que vem, o que representa exatamente o topo da meta do BC.

 

Dando mais um sinal negativo da economia brasileira, acumulando retração nos dez primeiros meses de 2014, em OUT/14 o indicador mensal de atividade do BC, chamado de IBC-Br, recuou -0,26% na comparação com SET/14 e -1,18% na comparação com OUT/13.

 

Diante da atual situação de deterioração da economia, das incertezas políticas quanto ao rumo do Ministério da Agricultura e do fato de parte das áreas estarem ocupadas irregularmente, terminou ontem sem sucesso o leilão da maior e mais valiosa propriedade da massa falida da Boi Gordo, a fazenda Realeza do Guaporé I e II, situada em Comodoro (MT), cujo tamanho é próximo à área urbana da cidade de SP.

 

Prenunciando o que pode acontecer com o Brasil se a presidenta Dilma seguir ''batendo de frente com o mercado'', ontem o governo argentino lançou um título de dívida com vencimento em 2024 para tentar captar cerca de US$ 3bi, mas, por conta da enorme falta de credibilidade do país, a emissão teve uma demanda de US$ 286mi, ou 9,5% da meta.

 

Tentando impulsionar as exportações tupiniquins, que permanecem estagnadas mesmo com a disparada do dólar, o Portal Único, sistema do governo que pretende agilizar a importação e exportação de mercadorias, ganhou novas funções e agora já é possível anexar documentos digitalizados ao sistema, permitindo o envio de documentos sem que o operador tenha de se deslocar até o órgão responsável.

 

-    A Petrobrás despencou -9,2%, cada dia mais prejudicada pelas denúncias de corrupção, que ao que tudo indica já eram conhecidas pela presidente da empresa bem antes da operação da Polícia Federal, porem ontem, após o fechamento do pregão, a empresa anunciou um aumento médio de 15% no preço do Gás Líquido de Petróleo destinado a usos industrial, comercial e a granel.

-    O Itaú caiu -1,6% e o Bradesco recuou -2,1%, mesmo diante da divulgação de um relatório da agência de classificação de risco Fitch Ratings ressaltando que os grandes bancos privados brasileiros têm sido capazes de enfrentar um cenário de fraco desempenho econômico e de limitar o impacto potencial sobre a sua rentabilidade e qualidade de ativos. 


Política:
 
Ontem, enquanto a Petrobras recuava quase -10% na Bovespa, a presidenta Dilma, mostrando que tinha coisa mais importante para fazer, se encontrou com os bandidos e vagabundos do MST, que criticaram a indicação da senadora Kátia Abreu, do PMDB de Tocantins, para o ministério da Agricultura, ressaltando que ela representa o agronegócio, o atraso e o trabalho escravo.

 

Se afastando dos problemas, o peemedebista Luiz Fernando Pezão, governador eleito do RJ, afirmou ontem que o PT não terá representantes nas secretarias do Estado por não terem apoiado sua reeleição desde o primeiro turno e que o PSDB, por sua vez, deve obter uma pasta.

 

Apesar de Dilma querer manter Graça Fortes no cargo, já que valoriza pessoas subservientes a ela, como é o caso, membros de seu governo já começaram a avaliar nomes para uma eventual substituição da presidente da Petrobras e das demais diretorias da estatal e um dos nomes citados é o do atual presidente da Vale, Murilo Ferreira.

 

Colocando ''a mulher do lobo para tomar conta do galinheiro'', os ''nobres'' deputados estaduais de Mato Grosso aprovaram a nomeação da pecuarista Janete Riva, que já foi presa por crimes ambientais, é filiada ao PSD e é mulher do deputado estadual José Geraldo Riva, que por sua vez é réu em mais de 100 processos por improbidade administrativa, para o Tribunal de Contas do Estado.


Crítica:
 
O PT sempre disse, em tom de ameaça, que a Petrobras seria privatizada se o PSDB, um dia, conseguisse voltar ao poder, porém a privatização, mesmo que ocorresse a ''preço de banana'', seria muito melhor para o país, pois hoje está claro que a empresa, que certamente tem mais de 99% dos funcionários com a reputação ilibada, foi corrompida, desmoralizada e empurrada buraco a baixo pelo PT e é ingenuidade acreditar que a presidenta Dilma, que já foi Ministra de Minas e Energia e presidente do seu conselho de administração, ignorasse o que se passava com a estatal.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário