R.B. 13/NOV/14 ''Quase 100%''


R.B.

"Quase 100%"

 

São Paulo, 13 de novembro de 2014 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, ainda recuperando perdas recentes e desta vez também acompanhando a valorização das principais bolsas mundiais e impulsionada pela valorização das commodities e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelo fluxo ainda positivo de recursos externos.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,0%, após um pregão com boa volatilidade, já que na máxima avançou 1,8% e na mínima recuou –0,6%, e com baixo volume de negócios (R$ 5,9bi), beneficiada pelo aumento dos ''rumores'' de que Meirelles será convidado para substituir Mantega no Ministério da Fazenda e (2) o DÓLAR –0,1% à R$ 2,56, acompanhando a leve melhora do ''humor'' na Bovespa e influenciado pelos leilões de venda do BC.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,4% no maior patamar em 7 anos, ainda sustentada por especulação sobre o adiamento de uma elevação de imposto e a possível convocação de eleições antecipadas pelo governo e China 1,0%, no maior patamar em 3 anos, com destaques de alta para as ações das corretoras, diante da expectativa de que as operações entre os mercados acionários de Xangai e Hong Kong vão atrair mais investidores e aumentar suas receitas, (2) da EUROPA, Inglaterra –0,2%, França –0,5% e Alemanha –1,7%, influenciadas negativamente pela divulgação de dados fracos sobre a economia da zona do euro e pela revisão na previsão de crescimento e inflação do BC da Inglaterra e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, após 5 recordes históricos consecutivos, S&P %, DJ % e NASDAQ %, com baixo volume de negócios e destaques de queda para as ações dos bancos, após HSBC, Royal Bank of Scotland, UBS, Citigroup, JPMorgan e Bank of America anunciarem que fecharam acordos para dar fim a acusações de que manipularam o mercado de câmbio para aumentar seus lucros.

 

Acreditando que a região precisa de mais tempo para recuperar suas economias, Mario Draghi, presidente do BC Europeu, afirmou ontem que vai manter as taxas de juros baixas e está pronto para tomar medidas não convencionais adicionais se as expectativas de inflação não melhorarem.

 

Apresentando mais um sinal negativo da economia brasileira, em SET/14, completando 6 meses seguidos de queda, o emprego na indústria recuou -0,7% na comparação com AGO/14, o que é um claro reflexo do baixo nível de investimento na economia, que por sua vez é causado pela falta de confiança dos empresários.

 

Corroborando com a opinião da oposição e do ''mercado'', Augusto Nardes, presidente do Tribunal de Contas da União, criticou o projeto do governo que permite alterar a meta do superávit primário e, classificando a proposta como "improvisação", ressaltou que (1) é temerário o governo ter como prática liberar recursos apenas nos últimos dias do ano para o governo fazer caixa e acertar suas contas e (2) vai propor a governadores e ao governo federal um "pacto pela boa governança" com o objetivo de reduzir o que chamou de "jeitinho" com as contas públicas.

 

Fazendo ''malabarismos e maracutaias'' para fechar este ano, o governo Dilma ameaça a solidez das empresas de construção pesada, que começaram a registrar inúmeros casos de atraso de pagamentos de obras publicas nas últimas semanas e agora se mobilizam para cobrar do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, um cronograma para a solução do problema.

 

Construída, financiada e criada com ''quase 100%'' de recursos públicos emprestados pelo BNDES, a brasileira JBS, que antes do governo Lula era apenas um frigorifico e hoje é a maior produtora global de carnes, teve lucro líquido de R$ 1,1bi no terceiro trimestre deste ano, valor cinco vezes maior que o registrado no terceiro trimestre de 2013.

 

Começando a puxar o fio de uma meada, ontem o BNDES perdeu na justiça o recurso impetrado contra decisão do Tribunal de Contas da União que determinava que o referido banco de fomento abrisse ao órgão de controle dados dos empréstimos feitos ao Grupo JBS, que detém a marca Friboi, entre outras, e que nas últimas duas eleições tem sido uma grande doadora de campanhas eleitorais do PT.

 

Com capacidade de ajudar a Petrobrás a melhorar suas contas, a Organização dos Países Produtores de Petróleo deve decidir em sua próxima reunião, no dia 27/NOV/14, reduzir a produção para elevar os preços do petróleo, que desde JUN/14 já caíram -30%, atingindo o menor patamar em 5 anos.

 

-    A Even subiu 11,7%, beneficiada pela divulgação de um balanço melhor que o esperado.

-    A Gol avançou 6,2%, após o balanço ter trazido melhoras operacionais e diante da aprovação de uma Medida Provisória que libera a participação do investidor estrangeiro no capital das empresas aéreas.


Política:
 
Após a saída de Marta Suplicy do Ministério do Turismo, Mauro Borges também anunciou que está saindo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, César Borges, ministro da Secretaria de Portos, colocou seu posto à disposição do governo e até Mercadante, titular da Casa Civil, recomendou que os ministros coloquem seus cargos à disposição de Dilma para deixar a presidenta à vontade para fazer as mudanças que julgar necessárias.

 

Finalmente atuando como líder de uma oposição ativa e vigilante, ontem o senador Aécio, presidente do PSDB, afirmou que seu partido vai ingressar com medidas judiciais contra o projeto do governo federal que permite fazer uma ''maracutaias'' nas contas publicas para alterar a meta do superávit primário.

 

Legislando em causa própria, o Congresso Nacional articula uma anistia aos partidos políticos que acaba com punições para prestações de contas irregulares que não forem analisadas pela Justiça Eleitoral no prazo de quatro anos após a sua apresentação.

 

Pressionado por partidos a oficializar seu nome para a disputa pela Presidência da Câmara em 2015, o líder do PMDB, Eduardo Cunha, afirmou ontem que, mesmo com a oposição do PT, sua candidatura é real e será "irremovível".


Crítica:
 
Supostamente com o objetivo de tornar a matriz energética brasileira mais ''verde'', ontem o BNDES aprovou liberação de crédito de R$ 422mi para usinas de energia eólica no Nordeste que terão capacidade de geração de 172,4 MW e serão conectados ao Sistema Nacional.

 

Mostrando o quanto somos consumistas, segundo uma pesquisa de intenção de compras para o Natal elaborada pelo SPC Brasil, 9 em cada 10 brasileiros têm intenção de dar, em média, 4 presentes no Natal deste ano, sendo que 50% das compras serão parceladas.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário