R.B. 6/OUT/14 "Investidores comemorando"


R.B.

"Investidores comemorando"

 

São Paulo, 6 de outubro de 2014 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, para fechar o dia registrando uma forte alta e provavelmente recuperando todas as perda acumuladas na semana passada (-4,7%), com os "investidores comemorando" o resultado do primeiro turno das eleições presidenciais brasileiras que, além de mostrar que existe a real chance de derrota da presidenta Dilma, levou Aécio para o segundo turno, e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo neste dia toda a valorização acumulada na semana passada (2,1%), acompanhando a esperada melhora do "humor" na Bovespa diante da ida de Aécio para o segundo turno.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,9%, acompanhando o desempenho positivo das bolsas de Wall Street e com destaques de alta para as ações das estatais, como Petrobrás (6,1%) e Banco do Brasil (2,2%), beneficiadas pelas "apostas", posteriormente confirmadas, de que Aécio iria para o segundo turno no lugar de Marina e (2) o DÓLAR caiu –0,5% à R$ 2,47, respeitando a "resistência" dos R$ 2,50, influenciado pelos leilões de venda do BC, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e acompanhando a melhora do "humor" na Bovespa.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,3% e Coréia 0,7%, beneficiadas pela redução das tensões políticas em Hong Kong, porem com poucos negócios devido ao feriado em diversos centros importantes, incluindo a Índia e a China, (2)da EUROPA, recuperando parte das perdas acumuladas na semana, Inglaterra 1,3%, França 0,9% e Alemanha 0,8%, beneficiadas pela divulgação de dados positivos de criação de empregos nos EUA e de vendas no varejo na zona do euro e (3) dos EUA, com o S&P registrando o melhor desempenho diário desde AGO/14, S&P 1,1%, DJ 1,2% e NASDAQ 1,0%, refletindo dados mais fortes do que o esperado de geração de empregos do país em SET/14, que excluiu várias preocupações de curto prazo sobre o ritmo de crescimento da maior economia do mundo.

 

Confirmando a atual baixa atratividade dos investimentos no setor produtivo da economia brasileira, segundo um estudo elaborado pelo Instituto Assaf, especializado em avaliação de empresas, em 2014 os proventos que as empresas abertas brasileiras pagaram a seus acionistas empataram com os pagamentos feitos em 2013, de R$ 0,70 por ação, e mais uma vez perderam para a inflação.

 

Com cada dia menos credibilidade, Mantega, ministro demissionário da Fazenda, voltou a afirmar que o efeito das eleições no mercado financeiro está sendo superestimado e que a turbulência, tanto na cotação do dólar quanto na Bolsa de Valores, se deve prioritariamente ao cenário externo.

 

Ressaltando que o Brasil "andou para trás" em inflação e protecionismo e que o país precisa "desesperadamente achar novos mercados", o economista Arturo Porzecanski, que há 37 anos estuda a América Latina e que já foi economista-chefe dos bancos J. P.M. e ABN, afirmou que o mundo está "colocando o polegar para baixo ao pensar no Brasil e quem se eleger vai ter muito trabalho em mudar essa percepção.

 

Mostrando austeridade, segundo Armínio Fraga, responsável pela área econômica do programa de governo de Aécio e já "nomeado" ministro da Fazenda caso o tucano seja eleito, a meta de inflação será reduzida para 3% ao ano e este objetivo será alcançado gradualmente.

 

Contrariando o discurso eleitoral petista, segundo o australiano Greg Medcraft, presidente do conselho da Iosco, que é uma espécie de "CVM das CVMs", o sobe-e-desce do dólar e da Bolsa ao sabor das pesquisas de intenção de voto poderia ser reduzido se o Brasil tivesse instituições de Estado e agências reguladoras, como o BC, independentes do governo e cujos mandatos dos dirigentes não coincidissem com o dos cargos eletivos em disputa.

 

Dando mais um sinal de que "a bolha está murchando", em AGO/14 as vendas de imóveis novos residenciais na cidade de SP registraram uma queda de -48% na comparação com AGO/13, diante de preços ainda astronômicos e da incerteza do consumidor com os rumos da economia.

 

-    Uma boa alternativa para pequenos investidores, segundo especialistas, é vestir em fundos que replicam índices, que são chamados ETF e atualmente já existem 16 produtos desse tipo listados na Bolsa brasileira.

 

-    A Usiminas subiu 6,2%, diante do anuncio da compra de papéis com direito a voto da empresa pela Ternium.

-    A Ecorodovias valorizou-se 4,9%, influenciada em parte pela derrota no leilão de concessão da Rodovia dos Tamoios, vencido pela Queiroz Galvão.


Política:

 

Surpreendendo positivamente até o mais otimista dos tucanos e ascendendo a luz vermelha no QG petista, segundo dados oficiais o resultado do primeiro turno das eleições presidenciais indica Dilma com 41,5%, Aécio com 33,5%, Marina com 21,3%, Luciana Genro com 1,5%, Pastor Everaldo com 0,7% e Eduardo Jorge com 0,6%.

 

Mostrando uma maior dispersão entre os partidos, na Câmara de Deputados o PT terá seu número de parlamentares reduzido de 88 para 70, o PMDB cairá de 71 para 66, o PSDB subiu de 44 para 54, o PP encolheu de 40 para 36, o PSD diminuiu de 45 para 37, o PSB avançou de 24 para 34, o PR cresceu de 32 para 34, o PTB aumentou de 18 para 25 e o DEM encolheu de 28 para 22.

 

Importante fiel da balança no segundo turno das eleições presidenciais, Marina Silva, seguindo os passos já dados pela viúva de Eduardo Campos e muito magoada com os ataques covardes que sofreu de Dilma e do PT, deve apenas negociar as bases e alguma participação no eventual governo tucano para confirmar seu apoio a Aécio.

 

Representando uma vitória da ética na política, no Maranhão as urnas rejeitaram os aliados de Sarney tanto para o governo do Estado, que era disputado por Lobão Filho e que foi vencido no primeiro turno por Flavio Dinho, do PCdoB, como para o senado, que era disputado por Gastão Vieira e que foi vencido por Roberto Rocha, do PSB.

 

Após 24 anos no senado, no qual sua única qualidade foi, apesar de fechar os olhos para as bandalheiras do PT, manter a honestidade pessoal, Eduardo Suplicy foi derrotado de forma vergonhosa por Serra, eleito senador de SP com mais de 60% dos votos válidos.

 

-    Mostrando que nem tudo foi alegria no primeiro turno das eleições deste ano, Collor foi reeleito senador em Alagoas e Tiririca foi reeleito, mais uma vez com votação recorde, deputado Federal por São Paulo.

-    Representando uma nova forma de fazer política, Romário foi eleito senador pelo RJ com votação recorde.

-    Desbancando as previsões dos institutos de pesquisa, na disputa pelo governo do RJ Garotinho ficou de fora do segundo turno, que será disputado por Pezão e Crivella.

-    Causando uma vitória vergonhosa ao PT, que ficou em terceiro lugar com apenas 14,9% dos votos válidos, no Paraná o tucano Beto Richa foi eleito governador com 55,7%.

-    Podendo causar problemas para Dilma no segundo turno, a disputa pelo governo do RS ficará entre o peemedebista José Sartori, que ficou com 40,4%, e o petista Tarso Genro, que obteve 32,6% dos votos válidos.

-    Herdeiro político de Eduardo Campos, Paulo Câmara, do PSB, foi eleito governador de Pernambuco com 68,1% dos votos válidos.

-    Repetindo a polarização nacional, no Acre o segundo turno será disputado entre o petista Tião Viana (49,7%) e o tucano Marcio Bittar (30,1%).

-    Causando a maior derrota pessoal para Aécio, em MG o petista Fernando Pimentel ganhou no primeiro turno com 52,9% dos votos válidos.

-    Na Bahia, onde Dilma continua com a popularidade em alta, o petista Rui Costa foi eleito governador com 54,5% dos votos válidos.

-    No Ceará a disputa foi para o segundo turno e está apertada, já que o petista Camilo ficou com 47,8% e o peemedebista Eunício recebeu 46,4% dos votos válidos.


Crítica:

 

Diante da modificação das políticas urbanas, do aumento da quantidade e da quilometragem de ciclovias em grandes cidades e da disseminação do estilo de vida saudável, está ocorrendo uma revolução no mercado das bicicletas brasileiro, que está sendo inserido no modal do transporte como um todo, o que tende a humanizar a cidade.

 

Marina Silva apanhou muito, de forma covarde na maioria das vezes, porem a candidata do PSB ficou de fora do segundo turno das eleições presidenciais por culpa dela mesma, já que prometer décimo terceiro salário para bolsa família no ultimo debate na TV foi a pior coisa que ela poderia fazer, pois o eleitor que pretendia votar nela queria mudança, e mudança se faz com coragem para dizer que o Brasil precisa de mais progresso e menos vagabundo dependente de esmola do Estado.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário