R.B. 28/OUT/14 "A coisa mais idiota e antidemocrática"


R.B.

"A coisa mais idiota e antidemocrática"

 

São Paulo, 28 de outubro de 2014 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, influenciada por uma provável recuperação, mesmo que parcial, das ações da Petrobrás, que caíram bastante no pregão anterior, e também voltando a acompanhar a melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo uma parte da forte alta acumulada no pregão anterior, diante dos "rumores" de que a nova equipe econômica da presidenta Dilma será mais alinhada com o "mercado".

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –2,8%, recuperando ao longo do pregão uma parte da forte baixa registrada na abertura (-7,0%), com bom volume de negócios (R$ 16,8bi) e pressionada principalmente pelo forte recuo das ações da Petrobrás (-12,3%), que foi a ação que mais sofreu com a reeleição de Dilma e (2) o DÓLAR subiu 2,0% à R$ 2,52, fechando o dia no maior patamar desde ABR/05, porem devolvendo um parte da forte alta registrada na abertura, influenciado pelos temores causados pela reeleição de Dilma.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 0,6%, seguindo o fechamento positivo das principais bolsas mundiais na sexta-feira e China –0,5%, com as exportadoras realizando lucros recentes, (2) da EUROPA, Inglaterra –0,9%, França –0,8% e Alemanha –0,9%, com os investidores analisando a saúde financeira do Banca Monte dei Paschi, cujas ações despencaram –19,1%, e os demais resultados dos testes com os bancos da região do euro realizados pelo BC Europeu e (3) dos EUA, próximas da estabilidade, S&P –0,1%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,1%, em uma pausa depois dos ganhos fortes da semana passada, já que o volume de negócios foi relativamente reduzido, com muitos investidores evitando fazer grandes apostas antes da decisão de política monetária do Fed ("BC" dos EUA) que ocorrerá amanhã e da divulgação do PIB do país, que ocorrerá na quinta-feira.

 

-    Demissionário e aproveitando os últimos minutos de holofotes, Mantega, ministro da Fazenda, "garantiu" que o resultado das eleições presidenciais mostra que a população brasileira aprova a política econômica do governo Dilma.

 

Conforme já se esperava, segundo a agência de classificação de risco Fitch, o cenário de dificuldades para empresas brasileiras em 2015 não foi alterado com a reeleição da presidenta, pois (1) a demanda domestica deve continuar fraca, a confiança dos empresários e consumidores vai se manter baixa e (3) os problemas sistêmicos como inflação e sistema tributário excessivamente complexo e ineficiente continuarão a prejudicar os fluxos de caixa das companhias.

 

Mantendo quase todos os números da semana passada, o "mercado" (1) reduziu de 11,88% para 11,50% suas expectativas para a taxa básica de juros brasileira no final de 2015, (2) voltou a indicar que espera uma inflação de 6,45% em 2014 e de 6,30% em 2015 e (3) projetou em o,27% a expansão do PIB neste ano e em 1,00% no próximo.

 

-    Por conta da total falta de controle com os gastos públicos, em SET/14 a dívida pública federal cresceu 0,65% na comparação com AGO/14, fechando o mês passado em R$ 2,2tri.

 

Coincidentemente menos de 24 horas Dilma se reeleger, foi divulgado o ranking de "Abismo de Gênero", que (1) avalia como os países estão distribuindo os recursos e oportunidades entre homens e mulheres, (2) é compilado pelo Fórum Econômico Mundial e (3) mostrou que o Brasil caiu 9 posições em relação ao ano anterior, ocupando agora a 71ª colocação em uma tabela de 142 países.

 

Mesmo com as inúmeras ajudas do governo federal, 2014 foi um ano difícil para o setor automotivo, porem a associação nacional das montadoras acredita que o pior já passou e 2015 será um ano melhor com mais crédito em parceria com a Caixa Econômica Federal.

 

Exemplo de empresa que em 2003, logo após a primeira vitória de Lula, lançou ações na bolsa para aumentar sua produção e se internacionalizar, a Natura, que para enfrentar o baixo crescimento da economia brasileira, olha cada dia mais para fora para manter a alta no faturamento, já quem nos 9 primeiros meses deste ano suas vendas no exterior já representaram 18,6% da sua receita líquida, mais do que o dobro do que foi registrado em 2010 (7,3%).


Política:
 
Após a divulgação de que Lula teria mais participação na área econômica do segundo mandato de Dilma, aumentaram os rumores de que Luiz Trabuco, atual presidente executivo do Bradesco, ocupará o lugar de Mantega no comando do Ministério da Fazenda, o que em tese poderia ajudar a acalmar o mercado financeiro, que por sua vez se mostra descontente com a eleição da petista.

 

-    Mostrando que Dilma seguirá tendo que "pagar caro" para ter maioria no Congresso, segundo o deputado federal peemedebista Eduardo Cunha, a bancada do PMDB não será aliada automática do governo para qualquer matéria.

 

Respondendo à sugestão de Dilma de realizar um plebiscito para discutir uma reforma no sistema político, o peemedebista Renan Calheiros, presidente do Senado, Renan Calheiros, afirmou que cabe ao Legislativo a decisão sobre os pontos de mudança, uma vez que não há consenso sobre o que deve ser alterado nem mesmo entre congressistas.

 

Que Aécio perdeu as eleições presidenciais por conta de sua derrota em MG, e não por conta do Nordeste, todos já sabem, porem os principais pontos que causaram esta a derrota do tucano em casa são (1) seu candidato ao governo do Estado, Pimenta da Veiga, foi derrotado no primeiro turno pois estava aposentado da política e afastado do eleitor, (2) utilização de uma linguagem elitizada e (3) anúncio prematuro do nome de Armínio Fraga para ministro da Fazenda.

 

Com o resultado das urnas deste ano, caberá agora ao PSDB, que obteve a maior votação de sua história, tentar articular as forças concedidas pelos mais de 51 milhões de votos de Aécio para incomodar a presidenta e promover os debates necessários para o país.


Crítica:
 
"A coisa mais idiota e antidemocrática" que ocorreu após a vitória de Dilma foram as piadinhas dizendo que não se deve mais ajudar os pobres ou ir para o Nordeste pois estes seguimentos foram supostamente responsáveis pela reeleição da presidenta, primeiro é preciso lembrar que o voto de cabresto já foi abolido, segundo deve-se ressaltar que quem ajuda os necessitados deveria fazer por prazer e humanidade, nunca em troca de voto, e por fim o Nordeste brasileiro é lindo, o povo é receptivo e as festas são muito animadas.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário