R.B. 8/SET/14 "Sem ideologia política"


R.B.

"Sem ideologia política"

 

São Paulo, 8 de setembro de 2014 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando uma recuperação após 3 pregões consecutivos de queda, acompanhando a melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e também as "apostas" de que a candidatura da presidenta Dilma será prejudicada pelas denuncias do ex-diretor da Petrobrás e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, acompanhando a melhora do "humor" na Bovespa e também o fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e "investimentos".

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu –0,2%, revertendo uma abertura negativa, na qual chegou a avançar 0,4%, com bom volume de negócios (R$ 9,1bi) e prejudicada principalmente pelas ações dos setores de mineração e siderurgia, como Vale (-1,8%) e Usiminas (-5,1%), e (2) o DÓLAR caiu -0,1% à R$ 2,24, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelos leilões de venda do BC.

 

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão –0,1%, realizando lucros recentes, após fechar o pregão anterior no maior patamar em 7 meses, e China 0,8%, em alta pelo 6º dia seguido, com papéis de empresas do setor portuário liderando os ganhos graças a planos do governo chinês de apoio ao setor naval, (2) da EUROPA, também sem uma tendência única, Inglaterra –0,3%, França –0,2% e Alemanha 0,2%, divididas entre a preocupação dos investidores de que as últimas medidas de estímulo do BC Europeu não sejam suficientes para a recuperação econômica e o anuncio de que a produção industrial alemã avançou 1,9% em JUL/14 e (3) dos EUA, com o S&P fechando o dia no maior patamar da história, S&P 0,5%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,4%, já que a divulgação de dados mais fracos que o esperado do mercado de trabalho foram interpretados como um sinal que o BC do país não irá elevar as taxas de juros tão cedo.

 

Após a quase estabilidade em JUL/14, o IPCA de AGO/14 acelerou e registrou uma alta de 0,25%, influenciado pelo fim do ciclo de quedas expressivas dos preços dos alimentos e sob impacto de reajustes de energia elétrica, com isto este indicador de inflação acumula uma alta de 6,51% nos últimos 12 meses, patamar acima do teto da meta do BC (6,5%).

 

Já que seu chefe, o ministro Mantega, está "se escondendo" para evitar explicar o que acha de ter sido "fritado" pela presidenta Dilma, Márcio Holland, secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, "garantiu" que o governo espera terminar o ano com um índice de inflação próximo de 6%, o que obviamente é mais otimista do que a visão do mercado.

 

Como fruto dos resultados e principalmente da péssima condução da economia brasileira, em AGO/14 o índice que mede a confiança dos comerciantes paulistas recuou –10,8% na comparação com AGO/13 e atingiu 98,3pts, o que representa o menor patamar desde MAR/11, quando a FecomercioSP iniciou este levantamento.

 

Mostrando mais uma vez que entende tanto de economia quanto Tiririca entende de trigonometria, a presidenta Dilma afirmou na sexta-feira que não pretende buscar um índice de inflação no centro da meta, que hoje é de 4,5% ao ano, às custas de um aumento no desemprego.

 

Contribuindo com a "contabilidade criativa" do governo Dilma, a Petrobrás, mesmo com o caixa pressionado por dívidas, pela impossibilidade de reajustar combustíveis e pelos investimentos, teve que conseguir um espaço para fazer o maior pagamento a acionistas para primeiros semestres desde 2008, antecipando todo o desembolso previsto para o ano e, consequentemente, reforçando o caixa do Tesouro na formação do superávit primário.

 

Conforme já antecipado aqui no R.B., na tentativa de impulsionar as vendas no período pós-Copa, as Construtoras e imobiliárias reduziram o preço de casas e apartamentos e em alguns casos os descontos, ainda baseados em preços fora da realidade, chegam a até -40%.


Política:

 

Menos afetada do que a presidenta Dilma, Marina, candidata à Presidência do PSB, defendeu o ex-governador Eduardo Campos das denúncias de envolvimento em um suposto esquema de corrupção na Petrobras, ressaltando que a existência de um investimento sob investigação em Pernambuco não implica em responsabilidade dele.

 

Vivendo em um mundo de fantasia, a presidenta Dilma garantiu que não existem suspeitas sobre seu governo, uma vez que ninguém ainda foi formalmente acusado, ressaltando que recebeu, de maneira oficial, informações sobre as denuncias, em regime de delação premiada, feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

 

"Sem ideologia política", porem obviamente preparando a conta para depois das eleições, as 3 principais doadoras das campanhas presidenciais, que são a indústria de alimentos JBS e as construtoras OAS e Andrade Gutierrez, já foram responsáveis por R$ 69,4mi dos R$ 191,7 milhões arrecadados até agora pelos partidos nestas eleições, o que representa 36,2% do total, sendo que Dilma ficou com 64,6% do total, Aécio com 22,2% e Marina com 11,6%.

 

Mostrando como o mundo dá voltas, numa aliança inusitada na disputa pelo Senado em Alagoas, cujo principal objetivo é impedir a reeleição de Fernando Collor, a ex-senadora Heloísa Helena, do PSOL, recebeu o apoio de prefeitos, deputados e líderes do PSDB.

 

As denúncias de corrupção na Petrobras vão testar o seu alcance para a campanha eleitoral da presidenta Dilma nesta semana, depois que o ex-diretor de abastecimento da companhia, Paulo Roberto Costa, fez um acordo de delação premiada comprometendo dezenas de políticos ligados principalmente ao PT e PMDB.


Crítica:

 

Virando as costas para seus credores internacionais, a Argentina anunciou ontem que fez um acordo com a China para injetar cerca de US$ 11bi em suas reservas.

 

Dando mais um passo inovador e que contribui para a sustentabilidade, a Tesla Motors, fabricante de carros elétricos, confirmou que investirá US$ 5bi para abrir a maior fábrica de baterias de lítio no mundo em Nevada, no oeste dos EUA, que vai gerar 6.500 empregos diretos e cerca de 16 mil empregos indiretos.

 

Mesmo sem saber pegar em uma enxada, porem contando com o apoio do governo Federal, os dissidentes do MST liderados por José Rainha Junior invadiram neste final de semana as sedes de usinas de cana de açúcar em ao menos quatro cidades da região do Pontal do Paranapanema, que fica no oeste paulista.

 

Diante da crise no suprimento e alto custo da energia, o BNDES "prometeu" que vai financiar o "nascimento" da indústria de geração solar em grande escala no país, com juros subsidiados (entre 2,3% e 5,5% ao ano) e regras flexibilizadas.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com 


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil 



Nenhum comentário:

Postar um comentário