R.B. 23/SET/14 "Se aproximando dos tucanos"


R.B.

"Se aproximando dos tucanos"

 

São Paulo, 23 de setembro de 2014 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, inclusive podendo testar o "suporte" dos 55.000pts, ainda acompanhando as perdas nas principais bolsas mundiais e o recuo das commodities e também "temendo" a recuperação da presidenta Dilma nas pesquisas de intenção de votos e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, com "boas chances" de fecha o dia acima da "resistência" do R$ 1,40, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela redução da confiança na economia brasileira.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,7%, acompanhando a piora do ''humor'' nas principais bolsas mundiais, diante do acirramento das tensões geopolíticas e da divulgação de dados negativos da economia chinesa, e também ''temendo'' um novo crescimento da presidenta Dilma nas próximas pesquisas de intenção de voto e (2) o DÓLAR subiu 0,9% à R$ 2,39, testando, mas não rompendo, ao longo do dia ''resistência'' dos R$ 2,40, já que acompanhou a cotação internacional da moeda norte-americana e a piora do ''humor'' na Bovespa.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,7% e China -1,7%, prejudicadas por declarações de Lou Jiwei, o ministro das finanças chinês, que reduziram as ''apostas'' de que o governo local aumentaria os estímulos à economia, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,9%, França -0,4% e Alemanha -0,5%, prejudicadas pela piora na confiança do consumidor da zona do euro e com destaque negativo para as ações da Tesco (-11,6%), diante da notícia de que o resultado financeiro da maior rede varejista britânica pode ter sido superestimado em 250 milhões de libras e (3) dos EUA, com o S&P sofrendo seu maior recuo desde o início de AGO/14, S&P -0,8%, DJ -0,6% e NASDAQ -1,1%, acompanhando a piora do ''humor'' global e prejudicadas pela divulgação de dados da construção mais fracos que o esperado, o que levantou novas preocupações sobre o nível de crescimento da maior economia do mundo.

 

Mantendo o pessimismo das últimas semanas, o "mercado" reduziu pela 17ª vez consecutiva, agora de 0,33% para 0,30%, suas "apostas" para o crescimento da economia brasileira em 2014 e, diante da necessidade de aperto monetário menor, a projeção da Selic, a taxa básica de juros, foi mantida em 11% até o fim deste ano.

 

Finalmente se aproximando um pouco da realidade, o governo Dilma reduziu sua projeção para o crescimento da economia brasileira este ano, que era de 2,5% no começo de 2014, caiu para 1,8% e agora está em 0,9%, patamar ainda otimista na comparação com as previsões do mercado, que estão em torno de 0,3%.

 

Usando dados oficiais processados pela receita federal, um estudo da Universidade de Brasília indicou que, ao contrário do que sinalizam os indicadores do governo petista, a redução da desigualdade pode não ter ocorrido nos últimos anos no Brasil e a concentração de renda no país pode ser maior do que se imaginava até então.

 

Fazendo mais uma de suas "maracutaias", a "brilhante" equipe econômica de Dilma adotou duas manobras não convencionais na tentativa de fechar as contas do Tesouro Nacional neste ano eleitoral, (1) decidiu utilizar R$ 3,5bi em recursos do Fundo Soberano e (2) recuou na sua intenção de elevar os subsídios à conta de luz de R$ 9bi para R$ 13bi.

 

Precisando de dinheiro e beneficiando os caloteiros, o governo federal anunciou que deve dar mais prazo para que empresas quitem suas dívidas tributárias dentro do programa especial de parcelamento, o chamado Refis.

 

Com muito mais oferta do que procura, o mercado de locação residencial passa por um período de ajustes para baixo na cidade de SP, já que segundo dados do sindicato do mercado imobiliário, o valor dos alugueis contratados AGO/14 subiu 3,83% em 12 meses, o que representa a menor variação para o índice registrada desde SET/06 e é inferior ao IGP-M do referido período (4,89%).

 

Segundo um levantamento inédito feito pelo Banco Central, a Caixa, que é usada pelo governo para forçar a concorrência no setor bancário reduzindo sua taxas de juros e emprestando com poucas exigências de garantias, é o banco brasileiro com maior nível de atraso em quase todas as principais modalidades de crédito para pessoas físicas.

 

-    A Vale caiu -4,1%, diante da declaração do ministro das Finanças chinês, Lou Jiwei, de que não alteraria dramaticamente a política econômica do país em virtude do mau resultado de um indicador, o que esfriou as expectativas dos investidores que esperavam novos estímulos à economia chinesa.

-    A TIM subiu 1,0%, diante de ''rumores'' de consolidação do setor de telecomunicações brasileiro.


Política:

 

Levantando novas suspeitas de manipulação de dados para ajudar na campanha de reeleição da presidenta Dilma, o sindicato nacional dos servidores do IBGE afirmou que a responsabilidade pelos erros na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios é da direção do órgão e o governo, que obrigam a instituição a "fazer mais com menos".

 

Agindo como se fosse um cabo eleitoral da presidenta Dilma, Marcio Holland, subsecretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, reagiu irritado e de forma grosseira às críticas sobre a condução da economia brasileira feitas pelos economistas durante o seminário "Cenários pós-crise", que aconteceu ontem no RJ.

 

Falando para seus eleitores, que na média são bem mais ignorantes, ontem, durante sua entrevista concedida ao jornal "Bom Dia, Brasil", da TV Globo, a presidenta e candidata Dilma mais uma vez utilizou dados e informações incorretas para chegar a conclusões falsas e sem nenhum sentido.

 

"Se aproximando dos tucanos", que devem apoiar em massa sua candidatura no segundo turno, ontem Marina Silva finalmente autorizou que os "santinhos" da campanha dela que serão distribuídos pelo PSB em SP na reta final do primeiro turno incluam o nome de Alckmin como candidato ao governo do Estado.


Crítica:

 

Mostrando mais uma vez que no Brasil atualmente "o crime compensa", em um plenário que é dominado por magistrados indicados por Dilma ou por Lula, ontem Luís Roberto Barroso, Ministro do Supremo Tribunal Federal, determinou que o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, condenado no processo do mensalão a 6 anos e 8 meses de prisão por corrupção ativa, cumpra o resto da pena em casa.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil 



Nenhum comentário:

Postar um comentário